Notícias Adventistas

Voluntários doam marmitas, cestas básicas e sangue durante a pandemia

Veja algumas ações sociais, educacionais e espirituais realizadas no interior paulista durante o período de quarentena.

Por Suellen Timm, com informações de colaboradores locais 30 de março de 2020

Rapaz com uma placa chama a atenção dos motoristas para a ação voluntária de entrega de marmitas. (Foto: Divulgação)

“Marmitas grátis para caminhoneiros. Pare aqui.” Três jovens na beira da rodovia entregavam marmitas para os motoristas que passavam pela rodovia próximo à cidade de Novo Horizonte, no interior paulista. A ideia dos voluntários surgiu ao acompanhar as notícias de que os caminhoneiros estavam com dificuldade para encontrar um local para se alimentar durante o período de isolamento devido ao novo coronavírus.  

Os dizeres da faixa demonstram a solidariedade dos membros adventistas do oeste paulista durante o período de quarentena. Quem está acostumado a realizar grandes ações sociais trocou as iniciativas em grupo por pequenas ações em família ou individuais com o objetivo de ajudar os que precisam durante o período de isolamento recomendado pelas autoridades de saúde.

Leia também:

Para fazer as entregas, os jovens usaram luvas e aproveitavam para oferecer álcool em gel para que os motoristas limpassem as mãos antes de se alimentar.

Ações sociais

Vários membros estão envolvidos com atividades para ajudar as famílias e pessoas mais afetadas economicamente pela pandemia. Em cidades como Bauru, Olímpia e São José do Rio Preto, eles têm doado cestas básicas para as famílias mais necessitadas. Voluntários recebem a doação e entregam para uma família por vez como maneira de evitar aglomerações e, ao mesmo tempo, poder demonstrar a solidariedade. 

Em Olímpia, Presidente Prudente e São José do Rio Preto, eles têm mantido as tradicionais doações de sangue ao hemocentro, porém agora com horário marcado individualmente e não em grupo. Em Monte Azul Paulista, eles se revezam para providenciar um lanche para os enfermeiros e profissionais que estão trabalhando durante a pandemia. 

Em Ribeirão Preto, tem se ofereceram para atender pessoas do grupo de risco com compras no mercado, farmácia ou outras necessidades básicas. Em Marília, foram os funcionários da Escola Adventista da cidade que se dispuseram a ajudar essas pessoas através de uma publicação nas redes sociais da unidade escolar. Em pouco tempo, mais de 8.500 pessoas foram alcançadas. 

Veja mais fotos das ações na galeria abaixo:

Cultos

Segundo o pastor Acílio, essas tecnologias já existem há algum tempo, porém por serem gratuitas e diminuirem a distância se tornaram ainda mais essenciais nessa hora.

Em pouco tempo, a rotina foi adaptada do presencial para o virtual. As igrejas passaram a promover transmissões, e as escolas, aulas e reuniões por sistemas de videoconferência. Os membros participam de lives nos horários dos cultos que são realizadas nas redes sociais e YouTube pelo próprio pastor da igreja que frequentam. As reuniões administrativas e treinamentos também passaram a ser realizadas por aplicativos de videoconferência. 

A própria sede administrativa para a região oeste paulista ofereceu um treinamento para os pastores com dicas para uma boa live. Também foram realizadas outras reuniões online com líderes e uma live de pôr do sol com o presidente da sede administrativa, Acílio Alves Filho, no dia 27 de março.

Segundo Alves, essas tecnologias diminuíram a distância se tornaram ainda mais essenciais no momento atual. “Já começamos a usar muito bem esses recursos e esperamos que após o fim da quarentena continuem sendo usados, não mais para os cultos, mas com o objetivo de dar agilidade para o trabalho”, completa. 

Escolas

Aluna acompanha a aula on-line oferecida pelo colégio adventista durante a quarentena. Foto: colaborador local

As unidades escolares também se adaptaram, respeitando as recomendações das autoridades de saúde. Com as escolas temporariamente fechadas, as aulas passaram a ser através de sistemas de videoconferência para os pequenos até os alunos do ensino médio. As aulas são realizadas ao vivo e também são gravadas e disponibilizadas nos grupos de WhatsApp criados para cada turma. 

Em várias cidades, os estudantes receberam um kit com atividades para serem realizadas durante a quarentena, além das aulas online que passaram a desafiá-los a fazer diversas tarefas em casa. Para os alunos da educação infantil foram elaboradas várias ações criativas, como, por exemplo, fazer massinha de modelar e preparar receitas saudáveis. 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox