Notícias Adventistas

O papel da lei e do evangelho no relacionamento entre Deus e Seu povo

Em meio à grande confusão de interpretações que opõem a graça à lei, livro traz argumentações que auxiliam na compreensão desse tema

Por Guilherme Silva 31 de agosto de 2021

Obra também destaca o sábado como uma das principais alianças de Deus com o ser humano (Divulgação / CPB)

Por que Jesus afirma que veio para cumprir os mandamentos (Mateus 5:17), e o apóstolo Paulo diz que o fim da lei é Cristo (Romanos 10:4)? Que lugar ocupam a lei e o evangelho na aliança de Deus com Seu povo? Cristãos das mais diferentes confissões religiosas acreditam que, na era do Novo Testamento, a lei foi substituída pela graça. Desse modo, quem vive no Espírito estaria livre do jugo dos mandamentos.

A escritora Ellen White alerta: “Nenhum erro aceito pelo mundo cristão fere mais audaciosamente a autoridade do Céu, nenhum se opõe mais diretamente aos ditames da razão, nenhum é mais pernicioso em seus resultados do que a doutrina moderna, que tão rapidamente ganha terreno, de que a lei de Deus não mais vigora para os homens” (O Grande Conflito, p. 584).

Leia também:

Muitos intérpretes bíblicos falham em enxergar a realidade de que o Deus dos mandamentos é o mesmo Deus da cruz (Êxodo 33:18-23, João 1:14-18). Em meio à grande confusão de interpretações que opõem a graça à lei, o livro O DNA das Alianças, de Skip MacCarty, traz uma importante contribuição à compreensão desse tema.

MacCarty é doutor em Ministério pela Universidade Andrews, nos Estados Unidos, e atuou durante mais de duas décadas como pastor associado da Pioneer Memorial Church, no campus da universidade. Sua abordagem é solidamente bíblica e brotou dos questionamentos enfrentados ao longo de seu ministério pastoral.

Aliança perpétua

Sua obra analisa em detalhes a relação entre o Antigo e o Novo Testamento e qual é o papel da lei e do sábado para os cristãos da era do Novo Testamento. Segundo o autor, as alianças feitas por Deus em diferentes situações ao longo da história são unidas pelo amor divino que se estende de eternidade a eternidade.

A grande contribuição de MacCarty está em demonstrar que muitos trechos bíblicos falam da antiga e da nova aliança não em termos de um período histórico ou uma fase do relacionamento entre Deus e a humanidade. Para o autor, essas duas alianças são definidas, em muitos casos, como uma experiência vivida em qualquer época ou lugar. Ao longo de toda a obra, ele demonstra que o Deus soberano é autor de uma lei perpétua, de uma graça infinita e de uma aliança eterna. Portanto, a graça não livra o ser humano da lei, mas o habilita a vivê-la pela fé. Até as últimas consequências.


Guilherme Silva é editor na Casa Publicadora Brasileira.

Para conhecer outros detalhes, veja o vídeo abaixo:


Você também pode receber esse e outros conteúdos diretamente no seu dispositivo. Assine nosso canal no Telegram ou cadastre seu número via WhatsApp.

Quer conhecer mais sobre a Bíblia ou estudá-la com alguém? Clique aqui e comece agora mesmo.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox