Notícias Adventistas

Por que a Bíblia não é um livro que deve ser apenas lido, mas estudado?

Como tirar proveito do estudo da Bíblia que vai muito além da leitura superficial, mas envolve uma profunda relação com o texto.

Por Maiara Costa 6 de agosto de 2021

Há muito proveito em um estudo mais profundo da Bíblia para o desenvolvimento espiritual. (Foto: Shutterstock)

Se eu perguntar aqui quantos teriam em casa um ou mais exemplares da Bíblia, acredito que a grande maioria se manifestaria de forma positiva. Se também perguntasse quantos aqui já leram a Bíblia de capa a capa, acredito que a resposta seria de igual modo positiva. Contudo, a pergunta que não quer calar é: quanto da leitura bíblica diária e anual que é feita pelos cristãos, realmente está sendo bem compreendida, explicada e aplicada para a vida? O quanto dessa leitura realmente está trazendo transformação de: pensamentos, sentimentos e vontade?

Leia também:

Bíblia não é um livro para ser meramente lido, mas um livro para ser estudado, explicado e aplicado. Aliás, mesmo que popularmente a consideremos um único livro, na verdade ela é uma pequena coleção de livros, cada um com seus gêneros e subgêneros literários, peculiaridades e estilos de escrita. É como bem disse a escritora cristã, mensageira do Senhor Ellen G White:

“A Bíblia foi escrita por homens inspirados, mas não é uma maneira de pensar e exprimir-se de Deus. Esta é a humanidade. Deus, como escritor, não Se acha representado. Os homens dirão, muitas vezes que tal expressão não é própria de Deus. Ele, porém, não pôs à prova na Bíblia em palavras, em lógica, em retórica. Os escritores da Bíblia foram os instrumentos de Deus, não Sua pena. Olhai os diversos escritores. Não são as palavras da Bíblia que são inspiradas, mas os homens é que o foram. A inspiração não atua nas palavras do homem ou em suas expressões, mas no próprio homem que, sob a influência do Espírito Santo, é possuído de pensamentos. As palavras, porém, entregam ao cunho da mente individual. A mente divina é difusa. A mente divina, bem como Sua vontade, é combinada com a mente e a vontade humana; assim como declarações do homem são a Palavra de Deus”. [1]

Importância do estudo da Bíblia 

A Bíblia é a Palavra escrita de Deus e, por sua transcendência, esta palavra chega a todos os povos, de todas as épocas. Todavia, não podemos esquecer que cada livro da Bíblia tem um público-alvo primário. Uma época e um contexto que precisam ser corretamente entendidos, antes de serem aplicados em nosso contexto e realidade.

Será que ainda hoje, existe necessidade de um estudo mais aprofundado da Bíblia? Como fazer uma leitura mais profunda e não tendenciosa da Palavra? Qual a benção encontrada num estudo aprofundado da Palavra de Deus?

Um olhar mais aprofundado para a Palavra de Deus. Há um salmo que diz assim: “A lei do Senhor é perfeita; ela devolve à nossa alma as forças perdidas. A revelação da vontade de Deus é digna de confiança; ela dá sabedoria a quem estiver disposto a aprender” (Salmo 19:7 – Nova Bíblia Viva).

Aprendizado  

Quantas pessoas que nós já ouvimos testemunhar de terem aprendido a ler na Palavra? Até mesmo no caso do público-alvo primário da Bíblia, sua origem era de forma mais simples. A própria estrutura dos salmos, em forma de paralelismo, tanto de semelhança, como de contraste, foi feita para que o entendimento fosse bem facilitado.

Então, sem sombra de dúvidas o que escreveu o salmista, no salmo transcrito acima está correto. E realmente a revelação que encontramos na Palavra de Deus nos dará sabedoria, contudo, existe uma cláusula ali muito importante e que não deve ser ignorada! A disposição em aprender. De acordo com esse salmo, podemos extrair algumas lições importantes para nossa vida.

A instrução (lei, torá) é completa, ou seja, inteiramente de acordo com a verdade. Nessa instrução encontramos forças e ânimo. A revelação nela contida é cem por cento confiável. Ela dá sabedoria a quem está disposto a aprender.  Não sei se você percebeu, mas a sabedoria que vem da revelação contida na instrução do Senhor (até mesmo para os mais simples), se dá por meio do aprendizado e não existe aprendizado sem ensino.

Se alguém te perguntasse: Qual a diferença entre ler e estudar? Qual seria a sua resposta? Seriam as duas coisas sinônimos perfeitos? De acordo com o dicionário da língua portuguesa, leitura corresponde a percorrer com a visão (palavra, frase, texto), decifrando-o por uma relação estabelecida entre as sequências dos sinais gráficos escritos e os significados próprios de uma língua natural. [2]  

Já estudar corresponde a adquirir habilidade e/ou conhecimento. Procurar compreender através da reflexão. [2]  Embora, em um estudo, a leitura possa estar envolvida, quando nos propomos a estudar algo e não simplesmente ler o nosso aprendizado pode ser maior. Por que a Bíblia deve ser não meramente lida, mas estudada?  

Disposição do leitor 

Temos aspectos como antiguidade do texto, expressões idiomáticas, barreira da língua e culturas diferentes. Existe uma expressão teológica que diz: “um texto fora de contexto, serve de pretexto”. Se nós não quisermos incorrer nesse erro, devemos aprender a estudar a Bíblia. E analisar os textos, dentro dos seus devidos contextos, época e língua, se quisermos interpretá-los corretamente. Quanto mais buscarmos estudar a Palavra, mais sabedoria iremos adquirir das instruções e revelações deixadas por Deus.

A nossa relação com o estudo da Bíblia sempre deve ser esta:

“O que é a verdade? E não: o que até agora creio ser a verdade? Não interprete as Escrituras à luz de suas antigas crenças e não insista para que doutrinas de seres humanos finitos sejam a verdade. Que sua indagação seja: o que dizem as Escrituras? É o plano deliberado de Satanás perverter as Escrituras e levar os seres humanos a dar um falso sentido às palavras de Deus”. [3]

“Não há desculpas para ninguém assumir a posição de que não há mais verdades a serem reveladas e de que todas as nossas visões da Bíblia não têm qualquer erro. O fato de certas doutrinas terem sido consideradas como a verdade por muitos anos pelo nosso povo não é uma prova de que nossas ideias sejam infalíveis. A idade não transforma o erro em verdade e ela pode ser reexaminada. Nenhuma verdadeira doutrina terá algo a perder pela cuidadosa investigação”. [4]

Hermenêutica 

Existem duas palavras que são aparentemente difíceis, porém extremamente necessárias no estudo profundo da Bíblia. Palavras que são muito conhecidas no meio teológico e que também podem e devem se tornar parte do dia a dia do estudante sincero da Bíblia. Hermenêutica e exegese.

Hermenêutica é uma palavra que vem do termo grego hermeneuo que significa explicar, interpretar, traduzir. Entende-se que se fazer hermenêutica é saber interpretar corretamente um texto.

Será que temos o apoio e o incentivo dentro da Bíblia para isso?

“Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. (2 Timóteo 2:15 – Nova Almeida Atualizada). A palavra manejar, aqui nesse texto, vem da expressão grega ortotomeo. Essa expressão traz consigo o seguinte significado: cortar reto.

Entendendo a palavra dentro do sentido proposto pelo texto, o conselho que Paulo está dando é o de que a palavra da verdade deve ser ensinada corretamente. Para ser um obreiro aprovado por Deus, portanto, e não passar vergonha no ensino da palavra da verdade. Só quem a estuda e pratica é que está livre desse risco. Todo estudante fiel da Bíblia deveria buscar entendê-la corretamente, ou seja, manejá-la bem.

Exegese 

Mas como fazer uma boa e não tendenciosa interpretação do texto bíblico? Quais ferramentas podemos usar para não correr o risco de manejar mal a palavra da verdade? Aqui entra a nossa segunda palavrinha de hoje, a exegese. Ao passo que a hermenêutica é interpretar, a exegese seria a forma, a maneira como isso pode ser feito.

Fazer exegese, portanto, nada mais e nada menos é estudar cuidadosamente e sistematicamente a Escritura para descobrir o significado original que foi pretendido em uma passagem. É a tentativa de escutar a Palavra conforme os destinatários originais devem tê-la ouvido; descobrir qual era a intenção original das palavras do autor.

Para isso, algumas coisas podem ser feitas. Faça perguntas ao texto, tais como: quem escreveu, de onde, quando, para quem e por quê. Permita que a própria Bíblia seja a sua intérprete. Leia o texto com calma e atenção, prestando atenção aos detalhes, nas repetições que aparecerem. Caso haja, leia textos que sejam paralelos. Os evangelhos, por exemplo, estão cheios de textos assim.

Outra dica é a de usar versões da Bíblia diferentes e comentários bíblicos. Lembre-se que a pesquisa, também, é uma forma de o Espírito Santo nos ensinar sobre a revelação que há na Palavra de Deus. Lucas ao escrever o evangelho que leva o seu nome, deixou bem registrado isso (Lucas 1:1-4).

A bênção que acompanha o estudo da Palavra de Deus 

Diferentemente de outras áreas e disciplinas de estudo, aprendizado e capacitação, o estudo da Bíblia não existe apenas para levar informação. Sobretudo, o estudo dessa coleção de livros visa a trazer transformação. O maior objetivo das Escrituras Sagradas é nos trazer o conhecimento de Jesus Cristo (Lucas 24:27; João 5:39,46), conhecimento este que nos dá sabedoria para a salvação (2 Timóteo 3:15) e nos ensina o que é ter uma vida verdadeiramente justa (2 Timóteo 3:16).

Como li, certa vez, na contracapa de uma Bíblia. Ela é o bisturi de Deus para o transplante de coração que todos nós precisamos receber. Deus, por meio de Sua Palavra, tem o poder de mudar nossa vida por completo. Nenhum outro livro suscitará pensamentos tão puros, elevados, enobrecedores; em nenhum outro livro se pode obter uma experiência religiosa tão profunda.

A Bíblia pode ser comparada a uma folha da árvore da vida, pois ao nos alimentarmos dela, ou seja, internalizarmos os seus ensinos em nossa mente, rebemos força para fazer a vontade de Deus.

Faço minhas as palavras de Ellen White:

“Nada há mais apropriado para fortalecer o intelecto do que o estudo das Escrituras. Se a Palavra de Deus fosse estudada como deveria ser, as pessoas teriam a mente mais esclarecida e firmeza de propósito, coisas raramente vistas nos dias de hoje. É muito pequeno o benefício que se tira de uma leitura apressada da Bíblia. Pode-se ler a Bíblia inteira sem que se veja sua beleza ou se compreenda sua profundidade, nem seus significados escondidos. Tem mais valor uma passagem estudada até que seu significado fique claro, e sua relação com o plano de salvação se torne evidente, do que percorrer os olhos por vários capítulos sem um propósito definido e sem que se obtenha alguma instrução”. [5]  

Lembre-se que Bíblia é refeição. E uma refeição bem aproveitada não deve ser feita com pressa. Estude a Palavra de Deus e a sua vida será poderosamente e radicalmente transformada.

Maiara Costa é roteirista, produtora TV Novo Tempo e estudante de teologia.


Referências

[1] Ellen White. Mensagens Escolhidas, vol. 1, p.21.

[2] https://www.google.com/search?q=dicionario&rlz=1C1SQJL_pt-BRBR821BR821&oq=dicio&aqs=chrome.1.69i57j69i59j0i433l8.6040j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8#dobs=estudar

[3] Ellen White. Meditação Matinal Perto do Céu, 2013, CPB, p.19.

[4] Ellen White. O Outro Poder, CPB, p.24.

[5] Ellen White. A Caminho do Lar, v2017, CPB, p. 16

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox