Notícias Adventistas

Mobilização arrecada fundos para ajudar desbravadores a chegar a Barretos

Na hora do embarque, clube de Manaus descobriu que passagens não foram compradas por empresa contratada.

Por Priscila Baracho 10 de janeiro de 2019

Os 15 desbravadores e os membros da diretoria trabalharam durante dois anos para conseguir os recursos (Foto: Priscila Baracho)

A expectativa para participar do maior acampamento realizado pela Igreja Adventista na América do Sul, o V Campori Sul-americano, era grande entre os desbravadores do Clube Sol da Justiça, de Manaus, Amazonas. Eles estavam prontos para embarcar no aeroporto internacional Eduardo Gomes no dia 7 de janeiro, com destino a Barretos, no interior paulista, quando descobriram não poderiam viajar. Eles foram vítimas de um golpe estelionatário referente à compra das passagens aéreas.

Leia também:

O clube trabalhou durante dois anos para conseguir arrecadar os valores necessários para participar do encontro em São Paulo. Para isso venderam feijoada vegetariana, trufas, pizzas, bolos e outros alimentos. Descobrir que o sonho não seria realizado foi muito difícil, como afirma Rhanna Moraes, de 15 anos. Desde que entrou no Clube de Desbravadores, sempre quis participar de um Campori.

“Chorei muito quando soube que não iríamos, mas tive fé em Deus de que algo aconteceria, e [por isso] não desfiz minha mala”, explica a adolescente. Assim como ela, Davi Silva, de 11 anos, também ficou triste com a situação. “Foi muito difícil. Achei que não ia dar certo”, desabafa o desbravador.

Mobilização

Mesmo diante da situação, os desbravadores não desistiram. Um boletim de ocorrência foi registrado junto à 24ª Diretoria de Inteligência Policial (DIP), em Manaus, para investigação do caso. A partir desse momento, foi iniciada uma campanha de arrecadação de fundos nas redes sociais. Era preciso levantar cerca de 40 mil reais para que o clube pudesse participar da segunda edição do acampamento, que terá início no dia 15.

Reginaldo Falcão, um dos líderes do templo adventista de Compensa 6, em Manaus, onde os desbravadores frequentam, pediu orações em um grupo em um aplicativo na madrugada em que o problema ocorreu. Foi aí que surgiu a ideia de começar uma arrecadação e não deixar o sonho dos juvenis e adolescentes ser enterrado. “[A mensagem] viralizou”, sublinha, emocionado.

Ao ter conhecimento da situação, as lideranças da Igreja Adventista na América do Sul e na região noroeste do Brasil também se engajaram para ajudá-los. O valor levantado somou-se ao dos doadores de todo o País. Quase 48 horas depois, o valor foi alcançado.

Mensagem de agradecimento publicada na página do clube em uma rede social (Foto: Reprodução)

Agora, os desbravadores se preparam para o embarque. Rhanna nem vai precisar fazer a mala de novo. “Estou muito feliz. Agradeço a todas as pessoas que nos ajudaram. Só temos gratidão por tudo”, conclui sorrindo a desbravadora. Para o líder da igreja adventista na região norte e centro-oeste do Amazonas, pastor Sérgio Alan, o Clube de Desbravadores é uma escola permanente de evangelismo, discipulado e formação de novos líderes. “É uma alegria indescritível ver o sorriso no rosto de uma criança que tinha um sonho e aguardou mesmo diante da notícia triste, agora o sonho será realizado”, conclui.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox