Notícias Adventistas

Goiás se mobiliza contra violência no projeto Quebrando o Silêncio

Voluntários e estudantes saíram às ruas para conscientizar a população sobre a gravidade do abuso sexual e uso do tabaco.

25 de agosto de 2014

Goiânia, GO… [ASN] “O medo de ser ainda mais abusada foi o principal fator para que eu nunca fizesse a denuncia”, é o que conta Gysele (nome fictício), de 24 anos, que denunciou seu padastro depois de 4 anos de abuso sexual e moral, prática que a atingiu aos 13 anos. A violência contra crianças, mulheres e idosos, a cada, ano geram números assustadores. De acordo com a Agência Brasil, quatro em cada dez mulheres brasileiras já foram vítimas de violência doméstica.

A informação consta no Anuário das Mulheres Brasileiras 2014, divulgado no início de julho. A publicação reúne dados referentes à situação das mulheres no país obtidos por diversas entidades. Há uma informação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), ligada ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de que 43,1% das mulheres já foram vítimas de violência em sua própria residência. A mesma pesquisa mostra ainda que, de todas as mulheres agredidas no país, 25,9% foram vítimas de seus cônjuges ou ex-cônjuges.

Leia também:

Passeatas, carreatas e diversas manifestações aconteceram em diversos pontos em Goiás

Passeatas, carreatas e diversas manifestações aconteceram em vários pontos em Goiás.

Frente a esta realidade, há 12 anos a Igreja Adventista do Sétimo Dia realiza o Quebrando o Silêncio, um projeto educativo e de prevenção contra o abuso e violência doméstica contra mulheres, crianças e idosos. A campanha, que acontece durante todo o ano, toma força no quarto sábado de agosto.

Em Goiás os participantes impactaram vários pontos do Estado. No Shopping Portal Sul, em Goiânia, a movimentação chamou a atenção de quem estava passeando por lá. Um equipe com mais de 300 pessoas entregou cerca de três mil revistas do projeto. Apresentação musical e a fanfarra do Clube de Desbravadores fez parte do programa. De acordo com pastor Daniel do Vale, responsável pela região sul de Goiânia, uma das mais violentas e carentes da capital, “o projeto contra a violência é bem aceito pela população pois aborda um tema recorrente na região e que por isso precisa de esclarecimento”.

Conscientização

Em Rio Verde, a mobilização foi notícia em toda a cidade, inclusive no canal da TV Record. Uma tenda de orientação contra a violência foi montada em um ponto estratégico. Materiais sobre o assunto foram distribuídos à população.

Em Rio Verde a TV Record fez a divulgação da campanha

Em Rio Verde, a TV Record fez a divulgação da campanha.

Os alunos do Colégio Adventista Setor Pedro Ludovico, em Goiânia, saíram em uma passeata nos arredores da instituição para alertar os moradores e pessoas que por ali passavam sobre a violência. Munidos de apitos, faixas e cartazes, para chamar a atenção os alunos distribuíram folhetos e revistas informativas para todos os que encontraram no caminho.

Todavia, a violência não foi o único assunto abordado por eles nesta passeata. Junto a este tema, há outro muito recorrente nos lares e locais públicos: o uso do tabaco. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 93% da população vive em locais onde não há leis que garantem ao não-fumante o direito de estar em um ambiente completamente livre da fumaça do cigarro, especialmente pelo fato de que o fumante passivo absorve as substância presentes no cigarro em níveis maiores por causa da fumaça. Em realidade, de acordo com a OMS, o fumo leva à morte por doenças respiratórias o que o coloca no quinto lugar das causas de morte no mundo. O cigarro mata mais do que os acidentes automobilísticos, que se encontram em nono lugar na lista.

DSCN1252

Alunos também saíram às ruas para falar sobre os malefícios do cigarro.

Os alunos apresentaram em suas faixas informações dos malefícios do fumo, e juntamente com os panfletos, trocavam um cigarro por uma maçã para conscientizar o fumante de que é preciso pensar em sua saúde e na dos outros que convivem com ele.

Outras ações do Quebrando o Silêncio acontecerão nos próximos dias em Goiás. Se você quer fazer uma denuncia contra violência, o disque 100 funciona diariamente das 8h às 22h, inclusive nos fins de semana e feriados. A ligação é grátis. Também é possível encaminhar denúncias pelo e-mail: disquedenuncia@sedh.gov.br. [Equipe ASN, Tatiane Lopes]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox