Notícias Adventistas

Empresário vende concessionária e se dedica a plantar igrejas

Testemunho de morador do Pará foi um dos momentos inspiradores de grande encontro sul-americano voltado ao plantio de igrejas.

9 de abril de 2016
Líderes de oito países sul-americanos pararam alguns dias para pensar e orar acerca de estratégias para que a Igreja se torne mais relevante em grandes centros urbanos.

Líderes de oito países sul-americanos pararam alguns dias para pensar e orar acerca de estratégias para que a Igreja se torne mais relevante em grandes centros urbanos.

Brasília, Brasil… [ASN] Kenedy Wingley, de 52 anos, é um empresário, que no fim de 2013, deixou sua concessionária de motos para se dedicar ao projeto adventista sul-americano denominado Plantio de Igrejas, na região de Parauapebas, Pará, onde reside. Casado com Selma Boy e pai de três filhos, decidiu viver pela fé e até o presente estabeleceu 27 igrejas em sua região, juntamente com sua equipe missionária. O Wingley deu seu testemunho no encontro de Evangelismo e Plantio de Igrejas nas Grandes Cidades, organizado pela sede adventista sul-americana, que contou com a presença de líderes da Missão Global e de Evangelismo de oito países da América do Sul, de 4 a 7 de abril.

Leia também:

A Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN) conversou com o empresário e, ao lhe ser perguntado se estava arrependido por ter deixado suas posses antigas, respondeu: “Faria tudo de novo, porque vejo que isso motivou minha vida e da minha família. Agora vejo que minha vida depende disso (plantar igrejas). Caso eu deixe de fazer o que Deus me incumbiu, eu morro. Não posso parar. Ai de mim se eu não pregar! Vejo vidas transformadas, pessoas sendo batizadas. Eu vejo que Deus me chamou para o projeto. Esse é o plano que Ele tem para minha vida”, comenta.

Wingley conta que, no final do mês de novembro de 2012, uma equipe de membros adventistas decidiu fazer evangelismo na sua cidade, localizada a 50 quilômetros da cidade de Belém, capital do Pará. Porém, em uma reunião de anciãos (líderes leigos) da igreja, eles notaram o rápido crescimento na cidade e que não havia onde colocar os novos conversos “pois as igrejas estavam lotadas”.

A partir dessa reunião, o empresário e outros membros, como Francisco Chagas Almeida, tesoureiro da equipe missionária e ancião da igreja de um bairro em Altamira, entre outros, aceitaram o desafio de plantar igrejas em uma cidade com 130 bairros e que contava com apenas 33 igrejas. O desafio, conta o empresário, era o fato de que “os terrenos eram muito caros e 70% da cidade de Parauapebas não tinha presença adventista”. Não obstante, o custo não foi impedimento, narra o empresário, visto que lançaram na região um projeto chamado 10X10:10% de dízimo e 10% de pacto. Seguidamente os líderes da igreja, juntamente com os pastores locais da Associação Sul do Pará (subsede eclesiástica) e os membros da região, apoiaram a iniciativa que ganhou força no mês de março de 2013.

“As igrejas começaram a devolver o pacto (percentual de oferta voluntária). Houve um considerável crescimento do dízimo – de 25 a 30%. Depois do chamado feito pela nova equipe de plantio referente ao projeto 10X10, o pacto dos membros cresceu em 600%”, afirma Wingley afirma. Além disso, ele acrescentou que o projeto trouxe o benefício de unir as igrejas da região no plano de expansão missionária.

Como resultado, durante o período de três anos, foram plantadas 28 novas igrejas adventistas na cidade de Parauapebas. Antes do plantio, o número de membros era de 2.600, e depois do projeto, passou para seis mil membros na região. “Nós tínhamos três distritos missionários (agrupamentos eclesiástico das igrejas) e os duplicamos para sete”, ele afirma. Atualmente, a equipe amadureceu o projeto e o compartilha com outras regiões do Brasil.

Encontro para inspiração e motivação

Durante o evento ocorrido na sede adventista sul-americana, em Brasília, houve o propósito de integrar os departamentos de Evangelismo e Missão Global da Igreja Adventista, em oito países da América do Sul. Uma das novidades lançadas pelos líderes: pastor Luís Gonçalves, evangelismo, e pastor Edison Choque, diretor de Missão Global, foi plantar neste ano, 2016, 1.700 congregações no território da Divisão Sul-Americana. O desafio para 2017 é o de alcançar o plantio de duas mil igrejas.

Gonçalves, em entrevista para a ASN, mencionou que, quanto ao departamento de evangelismo, um dos esforços será fortalecer o Evangelismo Escola (projeto de capacitação de pastores) para o crescimento dos membros. “Antes tínhamos uma campanha como modelo. Agora teremos uma campanha por pastor. Queremos que os evangelistas saiam de suas igrejas para fazer evangelismo onde não há igrejas adventistas.” A campanha de colheita terá a duração de 15 dias, dependendo das condições, e o programa de Plantio de Igreja deverá durar um ano. Nesse período, serão desenvolvidas diversas ações integradas, como a entrega do livro missionário, os projetos com a Missão Calebe, entre outros.

“Queremos deixar claro que o Departamento de Evangelismo apoiará ainda mais a Missão Global”, destaca o líder de evangelismo, acrescentando a integração dos Pequenos Grupos.

Novidades

Quanto aos materiais, o evangelista informou que uma das novidades para o evangelismo, nesse ano, será a apresentação de um menu com três kits de sermões prontos para serem usados e adaptados. Um é destinado aos membros em geral, outro compêndio servirá para quem desejar trabalhar com um público mais voltado aos conceitos pós-modernos e o último para jovens e adolescentes. Todos terão a oportunidade de usar esses guias para o evangelismo. O pastor Bruno Raso, vice-presidente da Igreja, que acompanhou e liderou o encontro, está preparando, para 2017, um livro da escritora Ellen White, com dez capítulos, adaptados para os 10 Dias de Oração, intitulado: Evento dos Últimos Dias. O recurso será reutilizado para uma próxima semana de colheita, afirma Gonçalves.

O pastor Choque, igualmente, apresentou o desafio de Missão Global: “poder fortalecer o plantio de igrejas. E o plantio não teria sentido sem a pregação; sem pessoas que também sejam uma conosco na proclamação da mensagem. Por esse motivo, o enfoque do encontro foi a união da Missão Global e do Evangelismo, visto que entendemos que evangelismo não é evangelizar na igreja, mas evangelizar onde não há presença adventista”, o líder afirmou. [Equipe ASN, Cárolyn Azo]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox