Notícias Adventistas

Liderança adventista encara desafio de atrair e manter novas gerações

Nos últimos cinco anos várias iniciativas foram adotadas em relação a novas gerações, mas desafios permanecem, principalmente quando são lidas estatísticas.

Por Felipe Lemos 7 de julho de 2021

Pastor Edward Heidinger durante apresentação do relatório da Secretaria-Executiva. (Foto: Gustavo Leighton)

Pela segunda vez, nos últimos cinco anos, a temática da importância do engajamento das novas gerações será uma das ênfases propostas pela liderança geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul. Nos cinco anos passados, a preocupação com um maior envolvimento de jovens, adolescentes e crianças gerou projetos, programas e iniciativas na comunidade adventista.

Leia também:

Para o pastor Stanley Arco, a ideia de repetir esta ênfase é óbvia, porque se trata de um dos mais importantes desafios adventistas. “A Igreja Adventista do Sétimo Dia, a exemplo de outras denominações, enxerga a necessidade de seguir investindo para que mais crianças, adolescentes e jovens sejam alcançados pela mensagem do evangelho. E, no caso dos que fazem parte da comunidade religiosa, que possam se manter ativos, motivados e entusiasmados para fazer a diferença na vida de outros’, comenta o líder sul-americano.

Retrospectiva

Foi lançada, por exemplo, em 2017, uma plataforma de streaming de séries e filmes, o Feliz 7 Play, que procura abordar de uma forma diferenciada temáticas bíblicas para este grupo específico. A plataforma registra média mensal de 3 milhões de visualizações dos conteúdos e tempo de exibição de 400 mil horas.

Outra iniciativa foi a criação de uma especialização lato sensu sobre novas gerações, oferecida a líderes adventistas do público que está nestas faixas etárias. O curso foi iniciado em 2018, com previsão de 360 horas-aula. A primeira turma contou com 48 alunos de sete países e a segunda, em 2021, com 57 participantes.

Há, ainda, o projeto Em cada Igreja um Clube, idealizado pelo Ministério dos Desbravadores e Aventureiros. Foi criado, em 2015, com o objetivo de aumentar a presença de clubes para crianças e adolescentes. Naquele momento, havia 9.317 clubes de desbravadores e 5.093 de aventureiros. Hoje há 12.617 clubes de desbravadores e 8.077 de aventureiros.

O quinquênio passado registrou, também, o projeto chamado Evangelismo Kids. É um movimento discipulado e missão em que pais e filhos são capacitados para transmitir Jesus aos amigos. A mobilização registrou mais de 8.900 crianças envolvidas em atividades evangelísticas, 2.134 duplas missionárias, 2.371 pequenos grupos infantis e 693 batismos.

Gerações atuais

O relatório da Secretaria-Executiva, apresentado durante Comissão Diretiva Plenária da sede sul-americana adventista, fez um comparativo interessante. Em torno de 36,6% da população em geral da região atendida pela Divisão Sul-Americana (oito países) é composta por pessoas entre 10 e 29 anos de idade. Já entre os membros adventistas este percentual é maior, ou seja, 39,2%.

Quando o tema é saída e ingresso de jovens na Igreja Adventista, os números são preocupantes. Entre 10 e 29 anos de idade, por exemplo, são 46,7% dos que passaram a fazer parte da igreja, em 2020, por meio de batismo, rebatismo ou profissão de fé. E, entre zero e 29 anos, este percentual chega a 54,9%.

Já as saídas, entre 10 e 29 anos, no mesmo período, foram de 54,3%. E entre zero e 29 anos de idade, a evasão média chega a 55,7%.

Evasão preocupante 

O histórico de 2011 a 2020 mostra que, neste período de tempo, a Igreja Adventista na América do Sul recebeu 2 milhões, 260 mil e 725 pessoas. Ao mesmo tempo, saíram 1 milhão e 589 mil e 600 pessoas. Um saldo positivo de 29,7%.

Se isso for analisado, também em um período de dez anos (2011 a 2020), levando em conta a faixa etária até 30 anos de idade, aí temos entrada de 1 milhão e 414 mil e 279 pessoas com esta idade contra 943 mil e 096 que deixaram a igreja. Saldo positivo de 33.3%.

Porém, quando a análise é feita na faixa etária específica de 17 a 30 anos de idade (jovens), então as perdas superam os ganhos de membros. São 674 mil e 408 que deixaram a comunidade adventista contra 534 mil e 136 que se tornaram membros adventistas no mesmo período. Um saldo negativo de 26,3%.

Missão Calebe e 1 Ano em Missão 

Uma das reações mais significativas, em relação aos jovens, é mostrada por meio de projetos como Missão Calebe e 1 Ano em Missão (OYim). Um dado que trata das novas gerações, apresentado pela Secretaria-Executiva, mostra que, em três anos, em média, 1 a cada 4 jovens adventistas se envolveu com o projeto Missão Calebe. Outro dado mostra que, a cada 3 membros jovens regulares na igreja, 1 é participante do Missão Calebe.

Os dados do Ministério Jovem mostram que, nos últimos cinco anos, o OYim contou com cerca de 6 mil jovens neste projeto. O Missão Calebe, que conta com menos tempo de envolvimento, registrou, neste mesmo período, a adesão de mais de 700 mil participantes.

O pastor Carlos Campitelli, líder do Ministério Jovem da sede sul-americana adventista, constata algo importante sobre estes desafios apresentados. Ele ressalta que os dados mostram a necessidade de uma conscientização da parte dos adultos no sentido de colaborar, dar espaço e ajudar no desenvolvimento das novas gerações.

Live sobre desafios das novas gerações:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox