Notícias Adventistas

Diagnóstico revela desafios de estudo da Bíblia e Escola Sabatina

Levantamento da Secretaria-Executiva mostra realidade da Escola Sabatina, estudo da Bíblia, entre outros temas que devem nortear ações adventistas nos próximos anos.

Por Felipe Lemos 6 de julho de 2021

Escola Sabatina é considerada, pelos adventistas, como o “coração da igreja”. (Foto: Shutterstock)

Duas vezes por ano, as estatísticas divulgadas pela Secretaria-Executiva evidenciam um diagnóstico mais amplo sobre o andamento da organização adventista em oito países sul-americanos. Durante a Comissão Diretiva Plenária da instituição, que vai até o próximo sábado, 10, foram apresentadas aos delegados informações que se referem ao departamento de Escola Sabatina, estudo da Bíblia e participação de jovens na igreja.

O pastor Edward Heidinger, secretário-executivo da sede sul-americana, apresentou um relatório com dados relacionados às ênfases da Igreja para os próximos anos. As quatro ênfases se relacionam à Escola Sabatina e Pequenos Grupos, estudo da Bíblia, novas gerações e ancionato.

Escola Sabatina 

Heidinger explica que é importante compreender como está a saúde espiritual das mais de 28 mil congregações localizadas em oito países. No caso da organização adventista, uma das maneiras encontradas para se verificar isso é por meio de uma análise de alguns dados sobre a Escola Sabatina.

Desde a primeira reunião de Escola Sabatina, em 1853, por parte de Tiago White, o departamento tem sido desafiado. Heidinger lembra que historicamente a Escola Sabatina tem sido considerada o “coração da igreja”. Ou seja, uma parte vital do organismo vivo. A Escola Sabatina foi criada como um espaço para aprofundamento no estudo sistemático da Bíblia e, também, desenvolvimento espiritual dos membros por meio da vida em comunidade.

Atualmente, 35,1% das congregações adventistas sul-americanas possuem uma proporção, em média, de classes de Escola Sabatina com até 10 membros. Por outro lado, 43,9% das congregações apresentam uma proporção de classes com 11 a 20 membros. O ideal adventista é que se estabeleçam mais classes com menor número de participantes, o que proporciona uma atenção maior.

Frequência à igreja e lição 

Os dados confirmaram algo que muitos adventistas imaginavam. Frequência à igreja e participação ativa na Escola Sabatina possuem conexão. Os dados mostram que 68,3% dos membros adventistas frequentes na América do Sul fazem parte de congregações cuja proporção é de classes de Escola Sabatina com até 10 membros.

Congregações com até mais de 40% de membros estudando a lição da Escola Sabatina são as mesmas que possuem um percentual de 70,8% de membros frequentes. Há, portanto, uma relação direta entre pessoas que estudam o guia mundial adventista para estudo da Bíblia e assiduidade aos cultos.

O desafio da Escola Sabatina, no entanto, é grande. Os dados mostraram a realidade nos últimos três anos sobre a proporcionalidade entre quem é membro da igreja e da Escola Sabatina. Os dados apurados revelam que, para cada cinco membros de igreja, três são alunos matriculados em alguma classe de Escola Sabatina. Ou seja, 58,9% do total.

Estudo da Bíblia 

Heidinger apresentou, também, dados referentes à realidade de estudos da Bíblia. Há basicamente duas preocupações da liderança adventista. A primeira delas é quanto ao número de pessoas que se dispõem a estudar a Bíblia Sagrada com outras pessoas, seja de forma individual, classes presenciais ou virtuais.

A outra preocupação tem a ver com a quantidade de pessoas atendidas com estudos bíblicos. Apesar da Escola Bíblica Digital, projeto que une a Rede Novo Tempo de Comunicação e as igrejas, há um longo caminho, ainda, para crescer na maior atenção a quem quer conhecer mais a Palavra de Deus e se desenvolver espiritualmente.

Imagem relacionada à proporção de membros e estudos bíblicos. (Foto: Reprodução)

Desafios 

Os dados apontam que, a cada cinco membros adventistas, 1 apenas está dando regularmente estudos bíblicos. Isso equivale a 21% de um total de mais de 2 milhões e 540 mil membros regulares em oito países sul-americanos. Já a cada 4 membros regulares de igreja, 1 deles está dando estudo bíblico (27,5%). Os membros regulares da Igreja Adventista considerados são classificados como: regulares frequentes, regulares não frequentes e membros em processo de transferência.

A relação entre batismos e estudos bíblicos foi medida entre 2016 e 2020. No primeiro ano verificado, a proporção era de 3 pessoas estudando a Bíblia para um batismo; já em 2020, foi de 4 pessoas estudando a Bíblia para um batismo. No ano passado, por exemplo, o número de estudantes da Bíblia, de acordo com os registros oficiais, foi de 670.219. No mesmo período, foram registrados 164.421 batismos.

Edward Heidinger chamou a atenção dos delegados para a necessidade de um olhar mais cuidadoso a estes dados. O diagnóstico, na visão do secretário-executivo, exige atenção nos próximos anos da liderança.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox