Notícias Adventistas

Campanha de prevenção ao suicídio inspira vídeos produzidos por jovens adventistas na Bahia

Os vídeos com mensagens de conscientização e acolhimento foram publicados nas redes sociais e tiveram centenas de compartilhamentos

Por Evellin Fagundes 23 de setembro de 2020

Grupos de jovens de igrejas adventistas no sul da Bahia produziram e publicaram vídeos com mensagens de conscientização sobre a prevenção do suicídio (foto: reprodução)

Desde 2015, com a criação da campanha “Setembro Amarelo”, este mês é associado à conscientização da prevenção do suicídio. Diversas ações são promovidas por iniciativas públicas, privadas e pela própria população para garantir mais visibilidade à causa. Segundo o site do movimento, “a ideia é pintar, iluminar e estampar o amarelo nas mais diversas resoluções”.

Os jovens adventistas do sul da Bahia também têm se engajado com o propósito de levar apoio emocional à comunidade. No distrito de Camacan, desafiados pelo coordenador distrital, Hádisson Duarte, e o pastor Osvaldo Filho, os grupos de jovens de cada igreja produziram vídeos com mensagens de esperança para serem publicados nas redes sociais. Os materiais tiveram centenas de compartilhamentos.

Em um dos vídeos, os jovens e líderes de Desbravadores e de Aventureiros proferiram frases com a ênfase: “não desista de viver”. “A gente foi amadurecendo a ideia, chamamos os jovens e gravamos em alguns pontos importantes da cidade pra falarmos sobre a maravilha que é viver”, contou o líder jovem da igreja central da cidade, Jilmar Santos. A descrição do vídeo orienta que o CVV – Centro de Valorização da Vida – seja procurado caso alguém queira conversar ou desabafar.

Leia também:

Em outra produção, os jovens da igreja da cidade de Pau Brasil formaram um coral virtual para cantar uma música que destaca o valor da vida perante Deus. “Você vale o sangue de Cristo. Você é a glória de Deus. Você é a grande esperança de mostrar pro universo que o amor de Jesus valeu”, diz um trecho da canção.

Mente e corpo alimentados

Jovens distribuíram sopão com camisa estampada com o texto: “Você não está sozinho. Falar é a melhor opção”. (foto: reprodução)

Na cidade de Ituberá, com uma abordagem diferente, os jovens uniram esforços com a ASA – Ação Solidária Adventista – e distribuíram sopão para quase 40 famílias. Parte da equipe estava uniformizada com uma camisa amarela com a seguinte estampa: “Você não está sozinho. Falar é a melhor opção”.

Para o líder geral de jovens para a região sul da Bahia, pastor Jádison Encarnação, a atuação dos jovens neste sentido faz parte do propósito do Ministério. “Essencialmente, o propósito do Ministério Jovem Adventista começa com essa declaração: “Os Jovens pelos Jovens”; e o envolvimento com ações do Setembro Amarelo é uma clara evidência da preocupação com a manutenção da vida do próximo.  Foram realizadas palestras, passeatas, distribuição de alimentos, sobretudo às pessoas carentes e que também, estatisticamente, podem ser vítimas desse impulso letal que leva ao suicídio. Fico muito feliz com a contribuição desses jovens com a igreja e com a sociedade em geral”, declarou.

O CVV – Centro de Valorização da Vida – é uma rede de apoio que atende por meio do telefone 188, e também por chat, e-mail e pessoalmente. (Foto: reprodução)

Acolhimento que faz diferença

Segundo a psicóloga Mailanne Dantas, falar sobre este assunto de forma responsável é um gesto necessário na prevenção do suicídio e que uma rede de apoio pode ajudar a evitar que alguém tire sua própria vida. “O ato suicida demonstra uma grande ambivalência, onde o sujeito vai atrás da morte, mas de alguma maneira deseja a intervenção de socorro, quando transmite sinais verbais ou comportamentais da sua intenção. É como se ele quisesse transmitir que algo está errado e necessita de uma solução, mas não encontra meios para fazê-lo. Por isso o suicídio também é considerado um pedido de ajuda. O indivíduo, na verdade, quer acabar com seu sofrimento e não com a vida”, disse.

A especialista ainda contou que é importante que as pessoas estejam preparadas para ouvir com postura de acolhimento. É necessário também observar que se o indivíduo demonstra os sintomas indicadores de tendência suicida como, por exemplo, isolamento, desinteresse, mudança na alimentação, mudança no sono ou agressividade, precisa ser orientado a procurar ajuda profissional. “Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% dos suicídios que acontecem no mundo podem ser prevenidos com uma rede de apoio em torno da vítima. Há uma ampla rede de apoio voluntário por meio de telefonia, internet e atendimento presencial. O CVV atende por telefone (ligar 188), chat, Skype, e-mail e pessoalmente, além de realizar atendimentos especiais em casos de eventos e catástrofes”, completou Mailanne.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox