Notícias Adventistas

Dia Nacional do Doador Voluntário estimula mais pessoas a doar sangue regularmente

Apenas 1,8% dos brasileiros praticam o gesto de solidariedade e generosidade que ajuda a salvar vidas.

25 de novembro de 2015
7-bolsa-de-sangue

Brasil ainda necessita aumentar o número de doadores regulares

Brasília, DF… [ASN] Em 2009, a secretária Elizabete Cristina Fernandes descobriu que estava com Púrpura Trombocitopênica Idiopática, uma enfermidade que afeta uma em cada 10 mil pessoas. A doença se caracteriza pela destruição das plaquetas (células produzidas na medula óssea e ligadas ao processo de coagulação inicial do sangue). Com risco de morte, ela precisou de transfusões de plaquetas e 40 bolsas de sangue foram usadas para o tratamento, que só foi possível devido o ato voluntário de doação de sangue. E neste dia 25 de novembro, em agradecimento a quem ajuda pessoas como Elizabete por meio desse ato solidário, e para estimular mais gente a colaborar com esta causa, comemora-se o Dia Nacional do Doador de Sangue, data instituída em 30 de julho de 1964.

Leia também:

Hoje, Elizabete segue sua vida normalmente, com supervisões medicadas necessárias, mas livre da doença da qual foi curada com o sangue doado por “desconhecidos”. “Eu sempre digo que sou fã de todos os doadores de sangue, mesmo que não os conheça”, expressa em gratidão. De lá pra cá, ela tem apoiado um dos projetos de mobilização de voluntários, o Vida por Vidas, que na época envolveu jovens para reposição do sangue usado no tratamento feito por ela. “O que seria de mim se não existissem doadores de sangue e mobilizações como o Vida por Vidas? Meu sentimento é de gratidão”, assegura, emocionada.

Gesto solidário

Bety

Elizabete (terceira da esquerda para a direita) não pode ser doadora de sangue, mas incentiva amigos a praticarem o ato da doação

Este gesto também foi adotado há 10 anos pelo goiano Robson Marcelo. Agente de viagens, Marcelo tem uma vida corrida e cheia de compromissos, assim como inúmeros brasileiros. No entanto, ele procura um hemocentro quatro vezes ao ano para fazer sua doação. “Tempo sempre vamos encontrar. Falta de tempo é só uma desculpa que damos”, declara . Porém, apenas 1,8% dos brasileiros tem o hábito de doar regularmente. Mesmo ultrapassando a taxa de doação de sangue recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de que pelo menos 1% da população seja doadora, o número revela que existe uma falta de cultura nas doações, segundo a análise de especialistas.

Robsondoador

Robson é doador assíduo há 10 anos

O Dia Nacional do Doador de Sangue é também uma data para que mais pessoas façam uma decisão, como pontua o agente. “Pra quem nunca doou ou não tem o hábito de doar, comece o quanto antes. Algo que para você pode parecer pouco é um ato que para quem está precisando é muito”, incentiva, já que uma bolsa coletada pode beneficiar até quatro pessoas. 

Entre 2013 e 2014 foram coletadas 3,7 milhões de bolsas de sangue, um aumento de 4,5% em relação a períodos anteriores. Por outro lado, de acordo com uma nota divulgada pelo Ministério da Saúde, “embora a taxa de doação de sangue no Brasil seja considerada estável, é sempre importante aumentar as doações, considerando que o sangue é essencial para os atendimentos de urgência, realização de cirurgias eletivas de grande porte e tratamento de pessoas com doenças crônicas, como a doença falciforme e a Talassemia, além de doenças oncológicas variadas que necessitam de transfusão frequentemente”.

Passos para doar

Para coletas o País conta atualmente com 32 hemocentros coordenadores e 530 serviços de unidades de coleta, hemocentros regionais e núcleos de hemoterapia. Doações de sangue podem ser feitas por pessoas de 16 até 69 anos (menores precisam de autorização do responsável). A fidelização do doador, o que torna a probabilidade de utilização do sangue maior, acontece quando os doadores, no caso das mulheres, fazem doações três vezes ao ano com intervalo de 90 dias e homens, quatro vezes, com 60 dias de pausa. Os requisitos básicos para ser um doador, além da idade já citada acima, são os seguintes:

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Pesar no mínimo 50k;
  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação);
  • Apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

No portal Pró sangue é possível saber sobre impedimentos definitivos e temporários que impossibilitam a doação. [Equipe ASN, Ionara Wichinheski]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox