Notícias Adventistas

Aos 79 anos, senhora copia Bíblia à mão

Proximidade com o livro ajudou Maria Petrina a enfrentar um momento difícil.

Por Evellin Fagundes 16 de agosto de 2020

Maria Petrina exibe um dos cadernos que contém cópias do texto bíblico (Foto: Reprodução)

Ao perder seu esposo em 2014, Maria Petrina Gomes ficou muito triste. Adventista desde 1983 e moradora da cidade de Itabuna, sul da Bahia, ela teve uma ideia para tentar amenizar aquele sentimento que tomava conta do seu coração. “Eu pensei: ‘olha, vou escrever. Vou transcrever a Bíblia! Não vou fazer com minhas próprias palavras, vou copiar mesmo'”, relata. Desde então, ela separou em sua rotina semanal algumas horas para ler e copiar cada palavra do livro.

No final do mês de junho, ela completou 79 anos e continua com esse propósito de concluir o projeto que, no Antigo Testamento, já alcançou o livro de Daniel e, no Novo Testamento, o livro de Lucas. Os trechos transcritos até então foram encadernados em três volumes. “Pra mim é uma coisa boa porque tanto estou escrevendo como estou aprendendo. É muito bom porque tenho esse contato maravilhoso com a Palavra do Senhor”, garante.

Leia também:

Esse projeto pessoal tem inspirado sua família. Sua neta, Aryedna, conta o quanto admira a dedicação da avó. “Pra onde ela viaja, a mala pode estar abarrotada, mas ela encontra um jeitinho de levar a Bíblia dela, na versão Linguagem de Hoje, com as folhas de papel e as canetas. Onde ela estiver, ela para um tempinho, nem que seja pra escrever cinco versículos, mas ela para. Acho isso lindo. Às vezes, ela recita e compartilha com a gente as lições que acabou de aprender com a leitura”, descreve.

Caderno de Petrina com trechos do Salmo 23 (Foto: Arquivo pessoal)

Além do conforto espiritual, Petrina relata que o hábito de escrever a ajudou a relembrar sua época de estudante, quando sua professora ensinou lhe ensinou as primeiras letras. “Estou perto dos 80. Quando vai chegando a idade, podia ser que eu deixasse de escrever e fosse perdendo aquela coisa bonita, aquela facilidade, mas graças a Deus minha caligrafia continua bonita”, diz animada. “Pra mim, a melhor coisa da vida é escrever a Palavra do Senhor. Me sinto realizada.”

“Todos pela Palavra”, em qualquer circunstância

Em 2019, a União Leste Brasileira, sede administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia que abrange os Estados da Bahia e Sergipe, propôs que o quinquênio tivesse como ênfase o estudo, a vivência e o ensino da Bíblia. Desde então, as atividades da Igreja têm sido realizadas com o foco no  “Todos Pela Palavra”.

Neste ano, com a chegada do novo coronavírus na região, algumas ações como as classes bíblicas, por exemplo, precisaram ser reestruturadas para garantir a segurança dos estudantes e professores, sem interromper, necessariamente, o processo de aprendizagem.

Modalidade garante estudo de forma remota para garantir segurança dos participantes (Foto: Reprodução)

No sul da Bahia, foi lançada a Classe Bíblica Digital, que permite que os instrutores compartilhem as lições do curso “Ouvindo a Voz de Deus” via chamada de vídeo. Além disso, foi produzida a série “Meditando na voz De Deus“, composta por vídeos com reflexões a respeito de cada tema abordado no estudo. Segundo dados do Ministério Pessoal e Evangelismo da Associação Bahia Sul, sede da Igreja para a região, atualmente 271 classes bíblicas virtuais estão ativas na região.

Crescimento

Para o líder destas áreas de evangelismo no sul da Bahia, pastor Ulisses Mendes, o início da pandemia trouxe desafios. “Nosso estilo de pregação é com contato pessoal, através de duplas missionárias, classes bíblicas, evangelismos públicos, e pensamos como poderíamos pregar em momento de isolamento, distante das pessoas. Mesmo em meio a essa situação, tivemos um aumento significativo de irmãos envolvidos na missão da Igreja”, analisa.

De acordo com ele, “antes tínhamos em torno de 10% dos membros envolvidos. Já durante a pandemia tivemos 29,2% de irmãos dando estudos bíblicos para outra pessoa ou para várias pessoas, montando classes bíblicas digitais. Vimos a mão de Deus nos conduzindo mesmo em meio às tragédias.”

Na agenda da Igreja nos Estados da Bahia e Sergipe, o seguinte projeto de incentivo ao estudo da Bíblia foi o “Maná“. O movimento teve o domingo, 16, como “dia D”, que foi marcado por um mutirão online de assinaturas do guia de estudos da Bíblia, chamado de Lição da Escola Sabatina. O mutirão foi lançado em uma transmissão ao vivo pelos canais oficiais da Igreja nessa região.

Veja os primeiros episódios da série “Meditando na voz de Deus”:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox