Notícias Adventistas

Adolescentes coletam lixo em comunidade ribeirinha durante retiro espiritual

Por Vanessa Lemes 10 de março de 2019

Mais de 30 adolescentes participaram da ação de coleta de lixo (Foto: Vanessa Lemes)

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2000, mostrou que mais de 228 toneladas de lixo eram produzidas por dia no Brasil. Em 19 anos, o número é muito maior. O estudo também divulgou que a maior parte do lixo tem a sua parada final em aterros sanitários a céu aberto, conhecidos popularmente como “lixões”. Infelizmente, esse não é o ideal, pois prejudica o solo, sendo o mais viável a coleta seletiva e o tratamento específico para cada material. Porém, antes de dar esse passo, é preciso fazer o básico: jogar o lixo na lixeira. Com a finalidade de conscientizar a população e contribuir com a coleta, no último domingo, dia 3 de março, adolescentes da Igreja Adventista do Sétimo Dia de Barreirinha, no Amazonas, foram à comunidade ribeirinha de Tucumanduba, no Rio Andirá, para coletar lixo.

Adolescentes percorreram a comunidade coletando lixo e conversando com os moradores (Foto: Vanessa Lemes)

A iniciativa fez parte da programação tradicional da campal de Tucumanduba, existente desde 1963, como forma de levar os adolescentes à ação e mostrar como é possível realizar atividades relevantes em prol da sociedade. Atualmente, a pequena comunidade é composta por cerca de 30 famílias na vila que aceitaram prontamente a colaboração. “Eu achei essa atitude muito importante, porque mesmo sendo adolescentes, eles têm mais consciência do que nós, adultos, muitas vezes. Temos que preservar a natureza para a geração futura”, ressalta a agricultora Elilzilene Costa, que mora na comunidade.

Leia também: Acampantes saem de retiro e distribuem marmitas para venezuelanos

Os 36 adolescentes levaram sacos plásticos para coletar o lixo que encontravam nas ruas e iam até as casas para coletar e conversar com as famílias. Além de abordar as pessoas e recolher o lixo, eles doavam panfletos sobre a esperança de um mundo melhor. Para eles, a tarefa valeu a pena. É o que conta Viviane Barros, de 12 anos. “É muito importante fazer ações como essa porque ajuda tanto quem recebe como quem realiza. Senti-me bem em participar”, declara.

Além da coleta e da conversa, os adolescentes também distribuíram folhetos (Foto: Vanessa Lemes)

A responsável pelos adolescentes nos estados do Amazonas e Roraima, professora Madalena Barbosa, participou da ação e disse que projetos como esse contribuem para que cada adolescente tenha um cuidado em preservar o meio ambiente e também causam uma boa impressão nas pessoas que recebem as orientações. Pensamento semelhante tem o presidente de Tucumanduba, Raimundo Santos. “O evangelho não se resume só em pregar, mas as ações também são importantes para isso. A iniciativa é louvável e só posso agradecer”, enaltece.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox