Notícias Adventistas

Coluna | Thaís Trivelato

Turbine a sua saúde emocional

Uma alimentação equilibrada não tem efeito apenas sobre o corpo, mas também exerce um papel crucial no bem-estar e no controle das emoções


  • Share:

Se Deus estabeleceu, no Éden, uma alimentação natural para o ser humano, é porque o criou para viver bem com esta fonte de energia. (Foto: Shutterstock)

Será que existe alguém nos dias de hoje capaz de viver uma vida sem estresse? É bem provável que não. O estresse é uma resposta do cérebro e do corpo a uma demanda. Qualquer tipo de desafio, como o desempenho no trabalho ou na escola, uma mudança significativa na vida ou um evento traumático, pode ser estressante. Mas, usando as estratégias certas, podemos lidar com isso de forma equilibrada, sem perder a nossa qualidade de vida.

Quando o estresse e a fadiga chegam, muitos dos nutrientes responsáveis pelo funcionamento do nosso corpo vão embora. Se você tem uma vida corrida e atarefada, é imprescindível manter uma dieta equilibrada para ter saúde. Com alguns importantes componentes nutricionais fazendo parte da rotina alimentar, o seu corpo terá as armas necessárias para enfrentar as lutas do dia a dia.

Alimentos e emoções

Você já ouviu falar em alimentação emocional? Ela acontece quando as pessoas comem, mesmo sem fome, em resposta a determinadas emoções, como raiva, estresse, ansiedade ou tristeza. E, geralmente, se busca por alimentos ricos em gordura, sal ou açúcar para compensar esses sentimentos. Acontece que isso desencadeia uma série de eventos adversos ao objetivo inicial de sentir satisfação; ao comer impulsiva e compulsivamente, a pessoa se depara com a frustração e a sensação de fracasso, tristeza com a provável mudança da aparência física e, claro, os danos à saúde de uma forma geral.

Ao longo da última década, cresceu o número de pesquisas que associam nutrição e transtornos mentais. Isso significa que a comunidade médica reconhece a estreita conexão entre dieta e saúde emocional. Uma pesquisa no departamento de saúde e bem-estar da Universidade Binghamton, nos Estados Unidos, investigou o impacto das deficiências nutricionais no aspecto mental e descobriram que as mulheres têm maior necessidade de uma dieta equilibrada e bons hábitos para manter o humor sob controle. O mesmo estudo revela que as conexões cerebrais densas são mais sensíveis a pequenas variações da dieta, já que muitas das substâncias envolvidas no processo vêm de uma dieta rica em nutrientes.

Um outro estudo inglês chamado Food and Mood mostra que aumentar o consumo de frutas e líquidos, ao mesmo tempo em que se diminui a ingestão de açúcar, cafeína e álcool, melhora quadros de instabilidade emocional, ajudando em casos de depressão, ataques de pânico e ansiedade. Aqui no Brasil, especialistas do Conselho Federal de Nutrição explicam que os nutrientes contidos nos alimentos atuam na formação e na liberação de neurotransmissores, que são enviados para áreas do cérebro responsáveis pela manutenção da saúde mental.

A Bíblia estava certa

O interessante é que, quando lemos o livro de Gênesis, percebemos que essa alimentação que a ciência nos aconselha a ter é, exatamente, a que Deus já nos havia designado no Éden. Ele nos revela em Sua Palavra o plano original que tinha em mente ao nos criar. Convenhamos que, nos dias atuais, não é tão fácil assim seguir essas orientações, já que estamos rodeados de produtos industrializados e métodos que visam mais o sabor e a praticidade do que a nutrição. Mas é, sim, possível seguir os desígnios de Deus, que só nos revelam o cuidado e amor que Ele tem por nós.

Ellen White também escreveu muito a respeito da alimentação, e os seus conselhos sempre estiveram alinhados com a Bíblia. Ela reforça que “cereais, frutas, nozes e verduras constituem o regime dietético escolhido por nosso Criador. Estes alimentos, preparados da maneira mais simples e natural possível, são os mais saudáveis e nutritivos. Proporcionam uma força, uma resistência e vigor intelectual, que não são promovidos por uma alimentação mais complexa e estimulante” (A Ciência do Bom Viver, p. 295 e 296).

Alimentos turbinados

Agora, voltando a falar de ciência, ela tem o importante papel de nos ajudar a compreender o poder que os alimentos têm sobre o nosso vigor e qualidade de vida. Aqui vão alguns exemplos de nutrientes imprescindíveis para uma boa saúde, e de alimentos nos quais podemos encontrá-los:

Ômega-3: abacate, nozes, linhaça, chia, folhas verde-escuro.

Vitaminas do complexo B: grãos integrais, vegetais de folhas verdes, legumes, cogumelos, laranja, ervilha, lentilha, amendoim e sementes.

Selênio: castanha do Brasil, farinha de trigo, nozes, feijão, alho, repolho.

Triptofano: banana, ovos, folhas verde-escuro, amendoim, cereais integrais, leite.

Vitamina C: brócolis, couve, mamão, manga.

Ter uma alimentação saudável e equilibrada é fundamental! Ingerir carboidratos, proteínas, lipídios, minerais e vitaminas em equilíbrio é essencial para ter mais disposição e força física e mental. Esse é o melhor jeito de prover energia para as células trabalharem de forma mais eficiente. E não se esqueça de também buscar os sábios conselhos e orientações da parte de Deus.

Thaís Trivelato

Thaís Trivelato

Viva leve

Dicas e orientações sobre como ter uma vida equilibrada e saudável

Thaís Trivelato é nutricionista e pós-graduada em auditoria em saúde. Atualmente trabalha na área de auditoria de empresas de alimentos.