Notícias Adventistas

Thaís Trivelato

Thaís Trivelato

Viva leve

Dicas e orientações sobre como ter uma vida equilibrada e saudável

Atenção para o que você come em tempos de pandemia!

Obesidade é algo extremamente preocupante, ainda mais em associação com a pandemia atual. (Foto: Shutterstock)

Será que a obesidade é um fator de risco para pessoas afetadas pela Covid-19? É um consenso entre os médicos que doenças crônicas tendem a agravar o quadro clínico desse vírus tão letal. Porem, geralmente pessoas obesas acabam adquirindo outras doenças crônicas em decorrência do excesso de peso, como diabetes e hipertensão, o que acaba agravando ainda mais o quadro geral.

Ainda não havia sido feita a relação entre obesidade e o novo coronavírus. Ouvimos alertas de que os idosos eram os mais vulneráveis e diabéticos e hipertensos estavam no grupo de risco. Com o decorrer da pandemia, novos cenários foram traçados e dois novos estudos, um realizado na França e outro nos Estados Unidos, revelam que a obesidade é a condição crônica que mais leva pessoas a serem hospitalizadas pela doença da Covid-19. A inflamação gerada devido ao excesso de peso é um fator que agrava o quadro geral. Doenças como hipertensão e diabetes foram colocadas como protagonistas, porem, o que não foi levado em consideração é que em muitas vezes essas doenças foram hospitalizadas em decorrência de um quadro de obesidade.

Muito mais do que questão estética

Vivemos tempos em que a estética não é mais o foco, e sim, uma vida saudável com bons hábitos nunca foi tão decisivo. Cientistas franceses, do Instituto Lille Pasteur, concluíram no final das pesquisas que os casos mais graves da Covid-19 eram aqueles em que os marcadores inflamatórios estavam acima do normal. Isso leva à conclusão de que a doença crônica que se encaixa na cascata de eventos é a obesidade. O excesso de inflamação pode agravar o quadro, formar coágulos e gerar quadros de trombose e embolia pulmonar, além, é claro, de prolongar o tempo de internação. Estatísticas evidenciam que 70% dos internados pela Covid-19 eram obesos ou estavam acima do peso.

Em tempos de pandemia, é possível observar que, em virtude da recomendação de isolamento social e a crise financeira, muitas famílias têm preferido comprar alimentos industrializados ou pedir por fast food nos aplicativos. Essas escolhas muitas vezes tendem a ser mais calóricas e menos nutritivas que as comidas frescas, o que a longo prazo pode comprometer a qualidade do seu sistema imunológico.

Três dicas de alimentação na quarentena

Precisamos levar a sério que a função dos alimentos vai muito além de simplesmente nos manter saciados. Uma alimentação adequada e saudável garante uma boa nutrição e o funcionamento adequado de todo o corpo. Isso tem um papel fundamental na saúde. Aqui vão três dicas para sua alimentação na quarentena:

1.Faça um planejamento semanal do que você vai comer, faça um cardápio, assim a hora do supermercado terá mais foco. E, então, isso vai evitar a compra de alimentos pouco nutritivos. Além de ajudar no planejamento financeiro das suas contas;

2. Você pode estar perguntando: Mas os alimentos enlatados e industrializados duram mais! Comprar alimentos in natura, no entanto, não significa que esses produtos vão se perder rapidamente. Fazendo o armazenamento correto seus produtos podem durar até 15 dias.

3. Não se esqueça de que uma limpeza dos produtos vindos do supermercado é muito importante! Tire um tempinho assim que chegar em casa para fazer uma higienização e deixar tudo armazenado com segurança.

Estamos em tempos de muita cautela e atenção, onde é fundamental redobrar os cuidados com uma alimentação saudável e adequada. Um estado nutricional deficiente pode deixar o seu organismo vulnerável  e enfraquecer o seu sistema imunológico.

WordPress Image Lightbox