Notícias Adventistas

Ações sustentáveis aproximam crianças da natureza

Instituições adventistas têm desenvolvido diversos projetos para estimular contato com o meio ambiente

“O contato com a natureza minimiza distúrbios do sono e comportamentais”, afirma pediatra. (Foto: Shutterstock)

Brasília, DF…[ASN] Em 05 de junho é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, estabelecido pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). A preocupação com o cuidado do planeta ficou mais forte em 1972, quando a entidade convocou a primeira reunião que tratou oficialmente do tema – a Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano – realizada em Estocolmo, Suécia. Desde então, ações de preservação do ecossistema vêm sendo desenvolvidas em nível mundial. Para a bióloga Luciana Guilhem, o contato com a natureza é um passo fundamental para a conscientização de preservação do meio ambiente. 

Por essa razão, escolas da Rede de Educação Adventista têm criado projetos que aproximam alunos e pais da natureza.  “Nos dias em que vivemos, a maioria das crianças mora em apartamento ou lugares muito apertados. Não têm muito contato com a natureza”, lamenta Raquel Ricarte, responsável pela Rede no Nordeste. A pediatra Dayse Oliveira explica que o contato com a natureza contribui para diminuir a incidência de doenças respiratórias, além de ter grande importância no desenvolvimento cognitivo das crianças.

Leia também

“Fazendinha”

Em Gravatá, cidade de Pernambuco, o Instituto Adventista Pernambucano de Ensino (IAPE) construiu uma mini-fazenda que recebeu o nome de “Fazendinha”. No espaço, inaugurado no dia 2 de junho, serão feitas todas as aulas de ciências dos alunos da educação infantil e do 5º ano. Fora do horário de aula, ele ficará disponível para alunos de outros períodos, pais e membros da comunidade. Eles podem ir até o local a pé ou na carroceria de um trator (devidamente preparado). “Do prédio escolar até a fazendinha, os alunos vão de trator que tem uma carroceria grande. Eles ficam tão felizes!”, conta Raquel Ricarte, uma das coordenadoras do projeto. As crianças também estudam piscicultura – auxiliando a cuidar dos peixes do lago do colégio – e aves. “Nas aulas no galinheiro, os alunos pegam ovos na mão… É uma festa!”, comemora a professora. 

A bióloga Luciana Guilhem acredita que as aulas ao ar livre contribuem para incentivar a percepção e consciência do meio ambiente que ela define como “um conjunto de componentes físicos, químicos e biológicos que interagem entre si, causando efeitos diretos ou indiretos e regendo a vida em todas as suas formas”. “Conhecer, ter contato e proximidade é fundamental para desenvolver o respeito e despertar a curiosidade para o estudo”, completa.

Para Raquel, esse contato auxilia no desenvolvimento cognitivo, físico, social e espiritual. “Eles aprendem a cuidar de outro ser vivo, conceitos de cidadania, respiram ar puro, têm contato com o verde, e bebem mais água porque caminham mais. Também refletem na criação, afinal, a natureza é uma revelação do amor de Deus. Enquanto cresce o contato com a natureza, cresce também o contato com o Criador”, conclui. A pediatra Dayse Oliveira acrescenta: “Em contato com a natureza, a criança fica mais tranquila, consegue dormir melhor e aprender mais rápido”, reforça.

Horta orgânica

No outro extremo do País, na cidade de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, os alunos do 5º ano do Colégio Adventista começaram a trabalhar em uma horta 100% orgânica no início de maio deste ano. “A primeira fase foi o preparo do solo. Eles transformaram a terra junto com o engenheiro agrônomo usando produtos orgânicos que não agridem o ambiente”, conta a coordenadora pedagógica da instituição, Ester Sabino Fávaro. Na última semana de maio, com o solo pronto, os alunos já fizeram o primeiro plantio usando mudas de folhas que podem ser usadas para fazer chás – bebida bem aproveitadas no inverno gaúcho. E, durante a primeira semana de junho já começaram a plantar outros alimentos como cebolinha, salsa, cenoura, tomate e brócolis. 

Ester conta que, uma vez que a horta esteja com a “produção a todo vapor”, as crianças poderão colher as folhas e vegetais que desejarem para produzir a própria horta em casa ou até mesmo dentro dos apartamentos – razão que impulsionou a iniciativa. “O projeto surgiu diante da realidade de nossos alunos; a maioria mora em apartamentos e não têm acesso a quintal ou um espaço maior para plantar alguma coisa”, explica.

A escola também conta com um espaço verde ao lado do prédio com livre acesso para os alunos, seja para aulas de ciências ou para passar o intervalo em horários opostos aos de aula. “Os alunos também usam esse espaço para aulas e pesquisas. Eles procuram insetos, minhocas e outros microrganismos de jardim e se surpreendem ao encontrá-los”, relata a coordenadora Ester Fávaro. As novas descobertas trabalham padrões cognitivos, auxiliando no controle de transtornos comportamentais e emocionais como hiperatividade e distúrbios do sono, explica a pediatra Dayse Oliveira. A especialista aconselha que pais e responsáveis façam do contato com a natureza uma rotina que ocupe pelo menos um dia da semana. “Fazer um passeio no parque, deixar a criança em contato com uma área verde e animais pelo menos uma vez por semana é fundamental para o desenvolvimento”, afirma.

Outras ações

Além das atividades da Rede de Educação Adventista em todo o País, a Igreja Adventista do Sétimo Dia também oferece ações que possibilitam o contato com a natureza  por meio do  Clube de Desbravadores. São oferecidos cursos, que recebem o nome de especialidades. No Manual de Estudo da Natureza, os desbravadores estudam flores, insetos, fungos, árvores, algas marinhas, insetos, mamíferos, apicultura, geologia, agricultura e muito mais. Podem participar de atividades do Clube crianças e adolescentes entre 10 e 15 anos de idade.

ONU, Meio Ambiente e Brasil.

Em 1972, na Conferência de Estocolmo, foi criado o primeiro Manifesto Ambiental que estabeleceu que “defender e melhorar o meio ambiente para as atuais e futuras gerações se tornou uma meta fundamental para a humanidade”, de acordo com o parágrafo sexto da Declaração da Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano.

O Brasil também foi cenário de decisões relacionadas ao Meio Ambiente. Foi aqui, no Rio de Janeiro, em 1992, que foi criada a “Agenda 21” – um conjunto de ações mundiais sustentáveis para o crescimento econômico – durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, a “Rio-92”. E em 2002, o país sediou Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a “Rio+20” que, dentre outros objetivos, estabeleceu que a produção de gases poluentes não deveria ultrapassar 12%. E em setembro de 2015 foi estabelecida a agenda sustentável, mais recente, que será revisada em 2030.

Datas comemorativas

A Assembleia Geral da ONU fixou algumas datas comemorativas relacionadas ao meio ambiente. Entre elas estão o Dia Mundial da Água (22 de março), o Dia Internacional para a Diversidade Biológica (22 de maio), o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho) e o Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca (17 de junho). Você pode conferir outras datas clicando aqui  [Equipe ASN, Aline do Valle].

Acompanhe o vídeo que mostra a posição da Igreja Adventista do Sétimo Dia em relação ao meio ambiente:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox