Notícias Adventistas

Márcia Ebinger

Márcia Ebinger

Desafios em Família

Os dilemas da família moderna e como superá-los.

Você bateu na porta errada?

Certa vez, em Madri, na Espanha, um pai desejava fazer as pazes com seu filho que havia saído de casa após uma violenta discussão. O rapaz nunca mais dera notícias. O pai resolveu colocar um anúncio em um jornal da cidade dizendo assim: “Paco, se você me perdoa, peço que me encontre na praça, em frente à estação, amanhã, ao meio-dia. Assinado: Seu Pai”. No dia e horário marcados havia cerca de 800 rapazes chamados “Paco”. Todos desejavam refazer o relacionamento com seus pais

Um pai querendo ter seu filho de volta e centenas de filhos desejosos por abraçarem o pai. A figura do pai é muito forte em nossa vida. É bom demais quando temos um pai amoroso, interessado e presente. Por outro lado é triste quando o pai é distante, ausente, desinteressado ou totalmente desconhecido.

Assisti, recentemente, em um programa de televisão, uma matéria sobre filhos que estão à procura de seus pais. O repórter mostrou os casos de Jeferson Guimarães, um microempresário que há 34 anos espera a oportunidade para abraçar seu pai pela primeira vez. E de Cristiane Gomes da Silva, uma atendente de 25 anos, que viu sua própria história se repetir em sua família: depois que o pai de sua segunda filha não quis reconhecer a paternidade da criança.

Isso reflete a nossa necessidade de “pertencer”. Pai é sinônimo de raiz, história, vínculo. Estamos perto do dia dos pais e quero aproveitar o gancho do assunto para destacar uma de nossas maiores necessidades como seres humanos: “ser parte de”, “ter” uma história. O vazio de não “pertencer” legitimamente acompanha milhares de pessoas.

E é nessa busca por “pertencer” que, falando agora no aspecto religioso, milhões e milhões de pessoas estão em busca da verdade, estão tentando encontrar a Deus batendo em diversas portas. E há espertinhos por aí se aproveitando disso. Quer um exemplo? O número inacreditável de igrejas que nascem todos os anos no Brasil.

Pessoas inescrupulosas sabem que há milhões de homens e mulheres que querem pertencer a um grupo que partilhe da mesma fé, um grupo que preencha suas necessidades emocionais e espirituais. Com isso, essas pessoas sem caráter estão enriquecendo, utilizando-se de ideias bíblicas equivocadas.

Esses dias recebi um artigo que me chamou muito a atenção. O título era “Vou abrir minha igreja e já volto”, referindo-se à facilidade com que se consegue abrir uma igreja. O editor de Ciência da Folha de São Paulo, Cláudio Ângelo e o repórter Rafael Garcia decidiram abrir uma igreja para mostrar como é simples fazer isso e como isto está virando um negócio muito rentável. Como consequência, hoje há gente simples, gente sofisticada, desconhecidos, celebridades, gente como a gente, que na ânsia de pertencer ao povo de Deus, bateu em porta errada.

Meu conselho pra você que talvez esteja em busca da verdade, em busca de uma razão para sua vida, em busca de um Pai de amor e misericórdia é: Siga o conselho bíblico que diz “pelos seus frutos os conhecereis” (Mateus 7:16). Seja cauteloso, criterioso, busque o máximo de informações, estude a Bíblia com oração e seja exigente mesmo em sua avaliação quando o assunto é descobrir onde está a verdade. E sabe por que você deve agir assim? Porque a Bíblia diz que você “pertence a uma nação santa, é parte do povo de propriedade exclusiva de Deus”, I Pedro 2:9.

Quando o assunto é religião, cuidado! Há lobos escondidos em pele de cordeiro.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox