Notícias Adventistas

Márcia Ebinger

Márcia Ebinger

Desafios em Família

Os dilemas da família moderna e como superá-los.

Mãe orgulhosa afirma: “ela tem 8 anos e já usa salto alto e maquiagem”

maquiagem

Todas as crianças são muito bonitas. Pele de pêssego, nenhuma ruga ou marca de expressão, olhos sempre brilhantes, sorriso fácil e muita disposição e energia! Além disso, são puras também, nascem, conforme a Bíblia, com a natureza do pecado, mas nascem puras, sem malícia.

Estamos em outubro, o mês das crianças. E olha, vamos comemorar mesmo, porque do jeito que as coisas vão, logo não teremos mais crianças para celebrar essa data! Por quê? Porque os adultos, inteligentes, já formados e preparados para a vida, estão tratando de acabar com elas. Você pode estar perguntando: como assim? É verdade que a taxa de natalidade tende a cair, os casais estão tendo menos filhos, mas daí a acabar com as crianças há uma boa distância.

Não, não é a isso que me refiro quando digo que os adultos estão acabando com as crianças. Eles estão acabando com elas porque estão matando a infância, não estão permitindo que as crianças sejam crianças. Estão tentando “pular” essa etapa e fazer com que os pequenos já adquiram, cedo demais, hábitos e procedimentos de adultos. Pesquisando sobre este assunto, encontrei alguns aspectos sobre os quais precisamos refletir um pouco:

1) Que produtos nossas crianças usam?

O Dr. Durval Damiami, chefe da Endocrinologia Pediátrica do Instituto da Criança, no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), afirma que “existem relatos de casos de comunidades expostas a produtos químicos nas quais houve registro de puberdade precoce. Chamamos essas substâncias de endocrine disruptors (interferentes endócrinos)”. Explicando melhor, o que está acontecendo é o seguinte. As crianças estão sendo expostas a produtos químicos, encontrados em maquiagem, xampus e loções, entre outros, que desorganizam o sistema endócrino. Pesquisas mostram que estas substâncias ativam os receptores de produção de estrógeno, o que pode provocar o desenvolvimento de mamas e o início da puberdade em meninas.

2) O que nossas crianças veem?

O impacto nas crianças da sexualidade escancarada que se vê em revistas, filmes, Internet e na televisão, é violento. Alguns pesquisadores defendem que as crianças têm sido expostas a estímulos sexuais e, de algum modo, isso pode levar o cérebro a desbloquear a puberdade, que passa a ocorrer mais cedo. “Muitas meninas começam cedo demais a usar maquiagem, batom”, diz o Dr. Durval.  “O estímulo visual e erógeno poderia atuar no sistema nervoso central e desencadear a puberdade precoce, mas isso não foi provado cientificamente, são ideias”.

3) Como estamos alimentando nossas crianças?

Estamos acompanhando, assustados, o problema crescente da obesidade infantil e o papel que isso pode ter no início da puberdade. Algumas meninas gordas entram na puberdade mais cedo, porque o excesso de células adiposas provoca a liberação do hormônio leptina, que afeta o amadurecimento.

4) O que nossas crianças estão vestindo?

Para este item preferi colocar aqui apenas duas das muitas fotos que encontrei na Internet e que falam mais do que qualquer palavra:

Young girl applying lipstick --- Image by © Angela Coppola/Corbis

O livro Orientação da Criança, de Ellen White, na pág. 434, diz: “Frequentemente os pais vestem os filhos com roupas extravagantes, com muita ostentação de ornamento e então admiram abertamente o efeito de seus trajes e os cumprimentam por sua aparência. Esses pais insensatos se encheriam de consternação se pudessem ver como Satanás lhes apoia os esforços e os impele para maiores loucuras”.

imagemcolunamarcia2

5) O que nossas crianças leem (se é que o fazem) e assistem? No que gastam seu tempo?

A psicóloga Mônica Flügel Hill destaca que “os pais protegem os filhos dos perigos das ruas, deixando-os supostamente seguros em casa com a televisão e a Internet fazendo o papel de babás. Esquecem, porém, que esses meios não possuem um filtro adequado e que todo o conteúdo deve ser controlado por eles”. Porém, ela faz uma ressalva interessante: “A mídia, ou seja, os meios de comunicação, não são os únicos responsáveis por essa geração de meninas moças. Seu peso é grande, sim, mas os estímulos recebidos pela TV, por exemplo, são muitas vezes reforçados por pais que não colocam limites”.

6) O que nossas crianças cantam?

Há pais que aplaudem quando veem suas pequenas meninas, de 2 ou 3 anos, cantando e se requebrando ao som de músicas nada infantis.

7) Como nossas crianças reagem a tudo isso?

Alguns estudos vinculam a puberdade precoce ao aumento do risco de comportamentos autodestrutivos, como uso de álcool e drogas, experiência sexual antecipada e depressão.
Haveria mais aspectos para serem explorados, mas o espaço aqui não permite. Vou terminar lembrando que para uma criança ser saudável e feliz ela precisa apenas brincar, correr, pular, rir muito, ter amigos e a segurança do amor e da liderança dos pais. Só isso. Antecipar a fase adulta, transformar a criança em um adulto em miniatura, nunca fez e nunca fará com que uma criança seja completa e feliz. Pense nisso!

Referências: Colégio Motivo – ebooks / www.selecoes.com.br / Orientação da Criança, Ellen White.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox