Notícias Adventistas

Vidas transformadas selam compromisso público no Rio

9 de maio de 2014
Batismo JP

Rogério Santos, Fernando Rizzuto, pastor Lourival Duarte, Luiz Eduardo Leite e Alan Silva. (Esq. para dir.) Fotos: Katia Nunes

Foram quatro vidas transformadas e no último sábado (03) tomaram a decisão pelo batismo. A Igreja Adventista de Jardim Paulista, na zona Oeste do Rio, estava em festa com amigos e familiares que prestigiaram a cerimônia.

Os quatro jovens Rogerio Ferreira dos Santos, Luiz Eduardo de Brito Leite, Alan Diogo Silva e Fernando Rizzuto tiveram a alegria de ter a companhia de familiares e amigos para a cerimônia de batismo na Igreja Adventista de Jardim Paulista.

O batismo é uma cerimônia que acontece na Igreja Adventista quando uma pessoa decide entregar o coração a Jesus, ou seja, aceita seguir os ensinamentos encontrados na Bíblia. Como demonstração pública desta aceitação, ela formaliza através do batismo, cerimônia onde o batizando é mergulhado na água simbolizando o novo nascimento. Esta foi realizada pelo próprio Jesus quando esteve aqui. Em todos os escritos dos primeiros livros do Novo Testamento encontra-se o relato: Mateus 3:13-17; Marcos 1:9-11; Lucas 3:21,22 e João 1:32-34.

Dos quatro batizados, três participaram do tratamento no Centro de Reabilitação, localizado em Campo Grande, zona Oeste do Rio. Com histórias de superação eles mostram que milagres ainda acontecem em nossos dias, como aconteceu na deles.

‘Eu estava no lugar errado, na hora errada, mas Deus me salvou’

Alan Diogo Silva se envolveu com drogas e crimes desde a adolescência. Sua família era evangélica mas ele nunca seguir igreja alguma. Suas amizades não eram com pessoas de bem e ele frequentava bares, usava drogas e não sentia orgulho das ações que praticava. Certo dia, uma mulher desconhecida disse que ele deveria sair imediatamente do bar onde estava. Ele não deu ouvidos. A mulher insistiu e disse que se ele não saísse imediatamente, morreria. Ele resolveu sair. No dia seguinte sua mãe comentou que alguns dos rapazes que estavam no bar com ele no dia anterior foram mortos. Ele sentiu um frio passar pela espinha e entendeu que aquela mulher fora enviada por Deus. ‘Eu estava no lugar errado, na hora errada, mas Deus me salvou. Agora quero ser um verdadeiro cristão e ajudar pessoas a se libertar das drogas e ter vida nova em Jesus’, comentou Alan.

Ganhou o livro O Desejado de Todas as Nações e a leitura o cativou

A família de Luiz Eduardo de Brito Leite tem um centro de candoblé que funciona em casa. Luiz se envolveu em delitos e foi preso, mas ao sair da prisão já conhecia Jesus e decidiu que iria seguí-Lo. Sua família, entretanto, não concordava com isso. Ele rejeitou aceitar um trabalho muito rentável que era contra seus novos princípios, o que deixou o pai furioso. Então Luiz foi expulso de casa, mas ganhou de presente uma coleção de livros, entre eles, O Desejado de Todas as Nações. A leitura o atraiu de tal forma que ele queria encontrar a igreja do livro. ‘A autora conseguia transportar a gente para a história, cada detalhe, eu gostei muito do livro e nele encontrei a verdade sobre o sábado’, comentou Luiz. Após visitar algumas igrejas evangélicas um amigo indicou a Igreja Adventista. Encontrou a Igreja Adventista de Piquerobe e ali iniciou estudos com Alexandre José Oliveira, que é um dos organizadores do Centro de Reabilitação ‘Vidas transformando vidas’. ‘Meus pais não estão felizes com a minha decisão em ser um cristão, mas eu acredito que o mesmo Deus que me salvou poderá fazer o mesmo por eles’, finalizou Luiz.

Drogas desde a adolescência e finalmente a liberdade

Fernando Rizzuto participou do Pequeno Grupo realizado no Centro de Reabilitação durante os dias 13 a 17 de abril. Ele sentia vontade de abandonar os vícios, um hábito que mantinha desde a adolescência. Ao visitar a Igreja Adventista de Jardim Paulista com a família ele soube que seria formado um coral e ele ficou muito interessado e sentiu vontade de participar. Procurando informações de como fazer para participar, ele percebeu que precisava de uma vez por todas abandonar os vícios. ‘Minha vontade de participar do coral me deu o impulso que faltava para eu tomar a decisão de abandonar as drogas. Meu compromisso público com Deus mais o tratamento vão me ajudar a ficar livre de uma vez por todas do vício, eu creio que Deus pode me ajudar a vencer’, salientou Rizzuto.

A família de Fernando foi batizada no ano passado, durante o mesmo período da Semana Santa e para os pais foi uma alegria que não cabia em palavras. Lágrimas de emoção e alegria pelo momento inesquecível do batismo do filho ‘ficarão marcados para sempre, louvamos a Deus pela decisão dele. Orei por meu filho desde sua adolescência e sabia que Deus ouviria minha oração’, relatou Edméia Rizzuto, mãe de Fernando.

Mais fotos do batismo no face da Associação Rio Sul.

[Equipe ASN, Fabiana Lopes]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox