Notícias Adventistas

Centro de pesquisa aborda a criação da vida no berço do Evolucionismo

O centro de pesquisa é uma iniciativa da rede de Educação Adventista e atenderá à comunidade de Galápagos, turistas e cientistas de todo o mundo. (Imagem: Divulgação)

No Oceano Pacífico, a cerca de mil quilômetros da costa do Equador, está o arquipélago de Colón, mais conhecido como Ilhas Galápagos. A atividade vulcânica da região originou as 58 ilhas com geografia, fauna e flora peculiares, com espécies endêmicas como as tartarugas gigantes de Galápagos. O arquipélago ganhou fama mundial após a visita do naturalista Charles Darwin, em 1835, a partir da qual começou a desenvolver a sua teoria sobre a seleção natural. Desde então, atrai turistas e pesquisadores, sendo considerada a segunda maior reserva marinha e o principal laboratório vivo de biologia do planeta, e declarado Patrimônio Natural da Humanidade em 1978.

É ali, no berço do Evolucionismo, que um projeto ousado estabelece um contraponto: o Origins – Museum of Nature será inaugurado no próximo sábado, 29 de fevereiro, com uma abordagem criacionista sobre o surgimento do planeta e suas espécies.  “Percebemos que Galápagos recebe gente de todo o mundo, interessada em duas coisas, principalmente: o contato com a natureza exuberante e preservada e um conhecimento mais aprofundado sobre as origens. Queremos contribuir apresentando a perspectiva de que tudo isso teve um projetista”, explica o professor Edgard Luz, diretor da rede de Educação Adventista na América do Sul, principal promotora do empreendimento.

O prédio de 230m² está localizado na principal via do arquipélago, a avenida Charles Darwin, em Puerto Ayora, na Ilha de Santa Cruz. Alguns dos seus destaques são o uso de tecnologias como realidade virtual e aumentada, e coleções como de cascos de tartarugas gigantes e minerais de todo o planeta.

O CONTRAPONTO DAS TEORIAS

Além do museu, o complexo dispõe de apartamentos mobiliados para receber pesquisadores que queiram desenvolver seu trabalho em Galápagos. Segundo o doutor em Geologia Marcos Natal, diretor sul-americano do Geoscience Research Institute e presidente da Sociedade Criacionista Brasileira – ambos apoiadores do projeto – o objetivo é que o local seja um centro de suporte à pesquisa científica. “Temos, claro, o viés da fé, mas queremos mostrar que é possível e bastante razoável abordar o Criacionismo pelo viés da ciência”, declara.

Considerando que a comunidade no arquipélago sobrevive do contexto evolucionista, Natal garante que a abordagem do centro não é de confronto: “Se quiséssemos fazer um enfrentamento, não teríamos nos estabelecido lá. Em Galápagos só vemos microevolução; o que Darwin viu lá, de certa forma, caminha junto com aquilo em que nós, criacionistas, acreditamos. O ponto polêmico é a macroevolução, e não há, ali, base para desenvolver discussões e argumentos sobre isso. As pesquisas que o Parque Nacional de Galápagos faz hoje são puramente relacionadas à preservação da natureza, recuperação de espécies ameaçadas, controle de espécies invasoras, etc. Como pesquisadores, queremos contribuir com estudos de qualidade para que o arquipélago continue sendo esse paraíso que é hoje”.

CRIACIONISMO, SUSTENTABILIDADE E SAÚDE

O enredo do museu foi dividido em ambientes temáticos para envolver o visitante em experiências que lhe ensinarão sobre o mecanismo da vida e dos elementos no universo. Ele também verá curiosidades sobre a biodiversidade de Galápagos. Na sequência, outro salão aborda o conceito da criação da vida, argumentando que tudo o que o visitante viu até então partiu de um projetista com um devido propósito.

Adiante, há um ambiente dedicado à sustentabilidade. “Aliás, esse tema está diretamente ligado ao Criacionismo, pois cremos que Deus formou o planeta e nos deixou como mordomos para cuidarmos dele”, explica Luz. Finalizando o tour, o visitante passa por um salão cujo tema é estilo de vida saudável, “porque não adianta cuidarmos do planeta e não podermos usufruir dele por não cuidarmos de nós mesmos”.

PARA ALÉM DO CENTRO

Estando estreitamente vinculado à rede de Educação Adventista, a inauguração do complexo terá, em paralelo, outras atividades. Uma delas é a terceira edição do bianual Encontro de Fé e Ciências, que reúne cientistas e pesquisadores de todo o mundo. Também haverá ali a estreia da série de filmes Origens – Expedição Galápagos, produzida pela rede educacional para o público adolescente, e que será utilizada como objeto pedagógico em suas mais de 950 unidades escolares na América do Sul.

 

Abaixo, imagens do projeto do museu Origins:

 

ASSESSORIA

Vanessa Arba

(61)981513122 | vanessa.arba@adventistas.org


Comentários

WordPress Image Lightbox