Notícias Adventistas

Palestra em Igreja alerta público sobre depressão e suicídio

Médico tem alertado sobre o tema em igrejas da capital e Região Metropolitana

Por Douglas Pessoa 9 de setembro de 2019

Médico Fernando Helene palestrou para público na IASD Moinhos de Vento

Segundo levantamento de órgãos especializados em saúde mental, há muitos anos o Rio Grande do Sul tem liderado um triste ranking: o estado gaúcho é o que mais registra suicídios e onde os médicos mais atendem pessoas que tentam tirar a própria vida. A unidade da federação tem, em média, 10 casos do tipo a cada 100 mil habitantes. A média brasileira é quatro registros nessa proporção. De acordo com profissionais, a maioria dos casos está relacionada a depressão, consumo de entorpecentes, conflitos familiares e problemas financeiros.

Isso fica ainda claro quando vemos o índice por cidade. Segundo levantamento da DATASUS, serviço de levantamentos do Sistema Único de Saúde (SUS), dos 20 municípios brasileiros que lideram o ranking de suicídio, 11 são gaúchas. A região do Vale do Rio Pardo e a Metropolitana de Porto Alegre concentram a maior parte das ocorrências. Os números assustadores veem à tona com a chegada do mês de setembro, que protagoniza a campanha Setembro Amarelo, uma tentativa de alertar sobre esse problema e evitar que números estratosféricos como esses continuem assombrando a população.

Preocupados com esse índice e buscando se envolver com o Setembro Amarelo adventistas da Grande Porto Alegre têm oferecido palestras sobre o tema nas igrejas. Na noite da última sexta-feira (09), fiéis e pessoas que frequentam a Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) do bairro Moinhos de Vento, na Zona Norte de Porto Alegre, participaram de uma palestra sobre suicídio, depressão e maneiras de ajudar pessoas que enfrentam algo relacionado a esses problemas.

O evento de aprendizado contou com a participação do médico Fernando Kamimoto Eckmann Helene que palestrou para os presentes. Ele, que é residente da área de psiquiatria, explicou o funcionamento das chamadas Sinapses, que são ligações elétricas entre os neurônios do sistema nervoso, e mostrou como defeitos nelas estão relacionados com o Transtorno Depressivo Maior, popularmente chamada de Depressão. Ele mostrou também como isso também está relacionado com os casos de suicídio. “A maioria das pessoas que tentam tirar a própria vida estão com um quadro relacionado com a depressão ou com outros problemas, como o transtorno de humor bipolar, por exemplo. São doenças que precisam ser tratadas e encaradas como doenças de fato”, explicou o médico.

No decorrer da palestra Fernando também abordou o preconceito existente entorno dos problemas psicológicos. Segundo ele, a visão distorcida que muitas pessoas possuem sobre o uso de medicamentos psiquiátricos e a constatação de transtornos prejudicam o diagnóstico e o tratamento do paciente. “As pessoas precisam ter acesso a informação correta. Projetos como esse, de trazer uma palestra dessas para dentro de um templo religioso, ajudam muito a fazer com que as pessoas entendam que problemas psicológicos precisam ser encarados como doenças de fato. Tendo essas informações as pessoas podem se sentir seguras para lidarem com familiares e amigos que passam por essas situações”, acredita.

A palestra ministrada por Fernando na IASD Moinhos de Vento será reproduzida em Gravataí e nas igrejas da Floresta e do Partenon, em Porto Alegre. No decorrer do mês de setembro outras ações abordando a temática do Setembro Amarelo serão feitas pelas igrejas gaúchas.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox