Notícias Adventistas

Liderança adventista mundial discute saúde mental nos Estados Unidos

Saúde mental, que afeta a questão física, é motivo de preocupação dos adventistas que uniram forças nas Américas para discutir o tema.

15 de janeiro de 2016
Médico Marcello Niek ressalta a preocupação de se lidar com problemas emocionais e mentais dentro do ambiente das igrejas.

Médico Marcello Niek ressalta a preocupação de se lidar com problemas emocionais e mentais dentro do ambiente das igrejas.

Orlando, EUA … [ASN] Quando o assunto é saúde mental, vencer o preconceito é um dos grandes desafios enfrentados pelos líderes da área de saúde na Igreja Adventista do Sétimo Dia. Essencialmente, o cérebro é como qualquer órgão do corpo. Ele também adoece e pode desenvolver problemas que afetam a saúde emocional. E não há saúde sem saúde mental, assim como não há saúde mental sem saúde espiritual. Que estilo de vida pode ajudar as pessoas que sofrem com depressão, ansiedade, vícios, traumas e desejos suicidas? O que a igreja e suas instituições podem fazer para ajudar homens e mulheres a ter saúde mental? Em resumo, essas têm sido as questões com as quais 214 líderes e 19 expositores estão lidando desde o dia 13 de janeiro, no Health Summit, evento realizado na cidade de Orlando, na Flórida, com o tema Emotional Wellness – Sharing Wholeness, Serving All. Há representantes de várias partes dos Estados Unidos, Canadá, América do Sul, Europa e até da Rússia.

Um dos objetivos dos organizadores, além de promover a importância do tema saúde emocional, é prover atualização técnica numa perspectiva cristã para lideranças da igreja e proporcionar o intercâmbio multiprofissional e multidisciplinar a respeito do assunto. Segundo o médico Marcello Niek, diretor do Ministério da Saúde da Igreja Adventista para oito países sul-americanos e um dos organizadores do evento, saúde mental compreende duas perspectivas diferentes: uma visão cognitiva, relacionada com a mente, o intelecto e a consciência; e uma visão emocional, relacionada com a emoção, o sentimento e o humor. “Nesta conferência, estaremos dando destaque para o aspecto da saúde emocional”, diz ele. “Esse é um tema relevante e atual, mas, infelizmente, ainda muito mal compreendido e de alto impacto na saúde dos indivíduos de modo geral”, reforça.

Niek salienta, ainda, que a saúde emocional é um tema relevante, atual, mas infelizmente ainda muito mal compreendido e de alto impacto na saúde dos indivíduos de modo geral, especialmente no ambiente cristão. “Tenho observado uma demanda crescente por esse tema, uma vez que, refletindo a sociedade moderna, muitos membros de igreja e pastores sofrem nessa área e encontram alguma dificuldade de obter informações e apoio especializado cristão”, comenta.

Especialistas da área 

Um destaques do congresso é a participação de autoridades reconhecidas na área. Logo na abertura, um convidado especial marcou presença e falou aos participantes. O médico Vivek Murthy, dos Estados Unidos, detém o cargo médico de mais alta autoridade em saúde pública no país, com a responsabilidade de liderar o Serviço de Saúde Pública. Não há um equivalente direto no Brasil, mas seria algo como um diretor médico geral do Ministério da Saúde, e não o ministro em si, que é um cargo mais político.

Murthy destacou a relevância do trabalho da Igreja Adventista para a saúde pública e para o fortalecimento da comunidade. Além disso, ressaltou que a saúde emocional é condição fundamental para o bem-estar do ser humano, uma vez que é impossível pensar em saúde sem uma visão integral. Ele concluiu ao dizer para os líderes adventistas que orem e prometeu que também estaria orando pelos projetos da igreja e atuando em seu departamento para apoiar as iniciativas em favor da saúde emocional.

Nos dias seguintes, falaram o Dr. David Williams, da Universidade Harvard (“Sete lições que os adventistas precisam aprender dos estudos científicos sobre saúde mental”), o Dr. Harold Koenig, da Universidade Duke (“Fé e saúde mental”), Claudina Cayetano, da Organização Panamericana de Saúde (“Estratégias que a Igreja Adventista pode usar para prevenir o suicídio”) e outros. Na avaliação dos participantes, palestras muito bem apresentadas e recheadas de informações relevantes, aprofundadas e debatidas nos workshops de cada tarde, em cinco eixos temáticos.

Uma análise completa do evento e dos temas estudados será publicada na Revista Adventista e na Revista Vida e Saúde, da Casa Publicadora Brasileira. [Equipe ASN, Michelson Borges, enviado especial da Revista Vida e Saúde]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox