Notícias Adventistas

Igreja do Paranoá realiza Feira de Saúde

Cerca de 500 pessoas da região receberam atendimento gratuito

26 de setembro de 2017

Objetivo é criar aproximação entre igreja e comunidade

Toda a Igreja se envolveu para realizar a Feira

Brasília, DF… [ASN] Neste domingo, 24 de de setembro, a região do Paranoá, DF, recebeu uma Feira de Saúde realizada pela Igreja Adventista do Sétimo Dia local. Cerca de 500 pessoas passaram pelo circuito de testes e palestras sobre os oito remédios naturais: ar puro, luz solar, descanso, temperança, atividade física, alimentação saudável e confiança em Deus. Além de receberem corte de cabelo, aferição de pressão e glicemia gratuitamente.

A ideia de realizar uma Feira de Saúde na região surgiu a partir de uma visita realizada ao hospital local. “Nós percebemos o quanto de doenças que poderiam ser evitadas, se nossa cidade se atentasse aos oito remédios deixados por Deus”, conta Rafaela Tavares, líder do Ministério da Saúde na Igreja do Paranoá. Aproximar a Igreja da comunidade também é uma preocupação da liderança. “Nós queríamos muito que o Paranoá nos enxergasse como pessoas amigas que realmente se preocupam com a saúde física, mental e espiritual de cada morador”, diz. Segundo Rafaela, o projeto também serviu para envolver os membros na missão através do trabalho voluntário. “Tudo isso só foi possível porque nós trabalhamos juntos. Foi o Ministério da Saúde juntamente com a ASA (Ação Solidária Adventista) e toda a igreja. Foram mais de 150 voluntários”, afirma.

Testes gratuitos atraíram a população

Maria José da Silva participou pela primeira vez de uma iniciativa como essa. A moradora do Paranoá foi atraída pelo exame gratuito de glicemia e se encantou pelo projeto. “Pelo menos de três em três meses deveria ter atendimento de saúde aqui”, opina. Raimundo Anchieta gostaria que feiras de saúde fossem realizadas sempre. “Gostei de tudo… do atendimento. Foi bom demais! Isso aqui é bem-vindo”, se alegra. Para Eliane Mota, que quer emagrecer, a feira foi esclarecedora. “Isso fez com que a comunidade tivesse a oportunidade de vir aqui, principalmente aqueles que não têm condições de fazer os exames oferecidos”, diz. O eletricista Selmo Freitas concorda. “[A feira] nos ajuda com essa dificuldade com os postos de saúde, você tem um diagnóstico de glicose, de pressão. Essas coisas que, às vezes, nem nossos postos de saúde estão oferecendo”, afirma.  [Equipe ASN, Pâmela Meireles com colaboração de Roselane Alves]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox