Notícias Adventistas

Especialista afirma: Emoções e lado físico possuem forte conexão

As emoções têm impacto sobre o organismo, explica especialista no assunto e professor nos Estados Unidos

13 de outubro de 2016
Melgosa tem vários artigos científicos publicados em importantes revistas da área sobre temas diversos como inteligência emocional e psicologia voltada à educação.

Melgosa tem vários artigos científicos publicados em importantes revistas da área sobre temas diversos como inteligência emocional e psicologia voltada à educação.

Dados gerais demonstram que, em média, 77% das pessoas nos Estados Unidos apresentam síntomas físicos regulares causados por estresse. E outros 33% sentem que estão vivendo em situação extrema de estresse. A relação entre o emocional e o físico parece ser cada vez mais óbvia e mais estudada. A reportagem da Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN) resolveu conversar sobre o tema com o psicólogo e doutor em Psicologia Educacional, o professor Julián Melgosa, da Universidade Walla Walla, nos Estados Unidos, e atualmente diretor asociado da Rede de Educação Adventista no mundo. É autor de dezenas de livros na área, um deles o conhecido Mente Positiva, editado em português pela Casa Publicadora Brasileira.

Pesquisas demonstram claramente a relação entre as emoções positivas e a saúde física. O que o senhor tem visto de mais avançado nas últimas pesquisas científicas a respeito desse tema? E sua experiencia com pacientes?

Julián Melgosa – A relação entre as emoções e a saúde física são estudadas de maneira científica desde os anos 70 com o surgimento da chamada medicina comportamental. Desde então, o interesse tem crescido e as várias aplicações práticas do conhecimento científico estão sendo difundidas de forma significativa. Hoje se fala do estresse psicológico de alto nível como um dos principais riscos de doenças e se equipara ao da hipertensão, ao uso de drogas, álcool, drogas ou obesidade.

Hoje se pede aos pacientes que tenham bom ânimo e olhem para o futuro com esperança, que busquem um psicoterapeuta para melhorar sua atitude e alcançar o equilibrio mental, que cuidem muito de suas relações interpessoais, que pratiquem o relaxamento, que utilizem a oração e a meditação e que assistam regularmente a cultos religiosos se são pessoas de fé. Hoje certos hospitais exigem de seus médicos que conheçam o que está por trás de seus pacientes e suas doenças e que os convidem a expresar seus sentimentos e emoções.

Leia também:

Veja o que pode ocorrer no organismo com situações emocionais extremas. Infográfico produzido pela Revista Galileu publicado em 07.04.2014:

doutor-em-psicologia-afirma-emocoes-e-lado-fisico-sempre-estao-conectados1Mas há efeitos reais então das emoções sobre o organismo?

A evidencia empírica mais recente fala do papel que as emoções e as atitudes têm sobre a hipertensão arterial, o controle da dor, a recuperação das intervenções cirúrgicas e a depressão. Da sua parte, a psiconeuroimunologia tem detectado vínculos entre o estado de ânimo e as seguintes doenças: tuberculose, resfriado, infecção por HIV, melanoma, cáncer, vícios, síndrome da fadiga crónica, artrite reumatoide e esclerose múltipla.

Por tudo isso, os médicos e todo o pessoal da área de saúde estão incorporando mais e mais os aspectos emocionais na contextualização do tratamento das doenças. Isso já levou a estudos de Medicina nas áreas de psiconeuroimunologia, psicobiologia, medicina comportamental, doenças ligadas ao estilo de vida, personalidades inclinadas à doença, etc. Nos Estados Unidos, já se incorporou a obrigatoriedade de se conhecer bem a Psicologia para entrar em qualquer faculdade de Medicina.

A prova chamada Medical College Admission Test (MCAT) é usada para seleccionar os melhores candidatos de Medicina. Pois bem, desde 2015 esse exame dedica um quarto do seu conteúdo para os fundamentos psicológicos, sociais e biológicos do comportamento humano. Não há dúvidas de que não se pode praticar a Medicina sem um conhecimento cabal da mente e do comportamento humanos.

O que, na sua visão, deveria fazer parte da nossa rotina para que tenhamos a desejada boa saúde emocional? Que conselhos o senhor daría?

O mais interesante dos conselhos práticos para a saúde mental e emocional é sua simplicidade. As formas de prevenir e superar o estresse e os conflitos emocionais são simples e eficazes. Aqui vão os mais importantes:

Manter-se ocupado. Recomendamos às pessoas que organizem seu tempo baseado em um plano diario e semanal de atividades e preencham todo o espaço disponível com atividades e obrigações que incluam atividade mental, física, social e espiritual. A mente e o corpo humanos foram desenhados para múltiplas e constantes atividades durante o tempo de vigilia, isso sim, sem se estressar.

Promover a interação social – Recomendamos às pessoas cultivar o trato afável no trabalho, na família e com os amigos e a conservar o bom humor. Sugerimos que, em vez de se sentar em frente ao televisor ou ao computador, visitem um amigo, passeiem com a esposa ou esposo e levem os filhos a um parque.

Cuidar do seu pensamento – Para conseguir um pensamento são e consequentemente um comportamento e emoções sadias, é preciso cultivar bons hábitos de pensamento. Como? Aprendendo a ver o lado positivo da coisas, eliminando os pensamentos de ruína e de catástrofe, acostumando-se a conversar sobre o pontos fortes e positivos das situações e olhando o futuro com esperança.

Livrar-se da culpa – O sentimento de culpabilidade é responsável por boa parte dos problemas mentais. Queremos que as pessoas se livrem desse estado. Se você se sente mal por aquilo que disse ao seu amigo ou cônjuge, va até ela ou ela. Peça perdão e, sem dúvida, a situação vai se esclareacer. Em qualquer caso, vá a Deus e admita sua culpa. Uma das promessas mais apreciadas da Bíblia assegura que “se confessarmos os nossos pecads Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (I João 1:9).

Focar-se em ajudar a outros – É importante experimentar atividades altruistas e, assim, um completo estado de bem-estar físico e emocional. Visite uma pessoa idosa e ajude-a, quem sabe, a limpar a casa, cuide dos filhos de uma vizinha, uma mãe solteira, que necessita de tempo para fazer compras ou participe de um projeto de limpeza no bairro. Ofereça seus serviços profissionais gratuitamente em algum plano de ajuda humanitária. Faça tudo isso com um espírito sincero e alegre e vai experimentar os beneficios de forma imediata.

Integrar-se à natureza – O ambiente natural comunica saúde mental e por ele sugerimos que as pessoas busquem a natureza sempre que possível. Outro bom costume é trazer a natureza para casa. Por exemplo, as plantas de ornamentação no interior da casa alegram o espírito.

Conectar-se com o transcendental – Deus deseja a felicidade do ser humano e está disponível para ajudar os outros, independentemente do seu credo, raça ou condição social. Mas, ao mesmo tempo, Ele não força suas bênçãos, porém espera que nós O busquemos. Ore a Deus, pois Ele é uma comprobada fonte de serenidade e paz mental. Pratique a esperança da salvação e pense que esse mundo doente e injusto logo terá um fim. Que será o princípio da perfeição e da felicidade eternos. [Equipe ASN, Felipe Lemos]

Veja essa entrevista sobre como lidar com emoções negativas:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox