Notícias Adventistas

Cuide bem do seu coração

Veja dicas para mantê-lo saudável e evitar problemas cardíacos.

29 de setembro de 2018

Por Jônatas Emanuel Monteiro e Souza

O coração também requer cuidados constantes (Foto: Shutterstock)

Nos últimos três séculos, a ciência e seus métodos apresentaram à humanidade certezas e objetividade até então inimagináveis. Gradativamente, tornou-se inquestionável, por exemplo, a noção de que as emoções e toda a constelação de sentimentos nelas envolvida eram desdobramentos de processos eletroquímicos localizados essencialmente nos hemisférios cerebrais, e, portanto, independentes de órgãos como fígado, estômago ou coração.

É o cérebro, por exemplo, que modula a frequência cardíaca, mas nós continuamos a enxergar o coração como órgão incomparavelmente especial. E, de fato, ele o é.

O movimento, em todas as suas formas, é pressuposto indispensável à vida. Ao garantir a movimentação do sangue – circulação sanguínea ininterrupta com pressão adequada -, o coração justifica sua preeminência. Quando vemos equipes de saúde debruçadas sobre um paciente no momento mais adverso e dramático de todas as emergências clínicas – a parada cardiorrespiratória -, temos, na verdade, indivíduos massageando o coração externamente, tentando garantir a circulação e buscando preservar o movimento sanguíneo necessário.

Preocupantemente, as doenças do coração estão no topo das causas de morte em todo o mundo. Diante disso, a pergunta natural é: como podemos preveni-las? Veja alguns conselhos valiosos:

  1. Abandone a tão recorrente obsessão por check ups e concentre suas energias em adotar bons hábitos e um estilo de vida saudável. Existem poucas coisas tão perniciosas quanto um resultado de exame normal, o qual comumente induz o paciente a postergar mudanças que deveriam ser imediatas.
  2. Se você foi diagnosticado(a) com enfermidades como hipertensão arterial, diabetes mellitus, obesidade ou dislipidemia, busque, de maneira consistente, aderir ao tratamento, fazer uso correto das medicações, comparecer às consultas de rotina e submeter-se aos exames de controle. Cada um desses agravos citados, quando não controlados, culminarão implacavelmente em maior risco de eventos cardiovasculares graves.
  3. Elimine o cigarro da sua existência e abandone drogas de abuso, como álcool, metanfetaminas e cocaína.
  1. Reveja seus hábitos alimentares, priorizando alimentos naturais, com pouca gordura, pouco açúcar e pouco sal. Reconheça que décadas de alimentação ruim são um obstáculo a ser vencido com determinação e persistência.
  2. Perca peso.
  3. Após avaliação de um cardiologista e de um ortopedista, inicie atividades físicas. Internalize o seguinte: exercícios físicos são para vida toda e não para temporadas (verão, férias).
  4. Cuide de suas emoções. Não hesite em procurar ajuda profissional.
  5. Desfrute da certeza de que, acima de tudo e de todos, existe Alguém onipotente que cuida de você. Deus faz bem para o coração. Deus faz bem para a saúde.

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida” (Provérbios 4:23).


Jônatas Emanuel Monteiro e Souza, graduado em Medicina pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), é médico de resgate veicular em rodovias.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox