Notícias Adventistas

Simpósio de Espírito de Profecia resgata temas importantes sobre o adventismo

Evento realizado em novembro abordou a herança profética deixada por pioneiros da Igreja Adventista.

Por Vanessa Moraes 23 de dezembro de 2020

Evento realizado na Igreja Adventista do Conjunto José Bonifácio, no leste paulista, foi transmitido ao vivo (Foto: Arquivo Pessoal).

Com mais de 5 mil artigos e 49 livros produzidos, Ellen White é a escritora mais traduzida em toda a história da literatura. Seus escritos formam o que a Igreja Adventista do Sétimo Dia chama de Espírito de Profecia, que significa a ação do Espírito Santo de Deus num profeta, onde ele faz registros escritos de determinada mensagem. “São orientações especiais para nós, nesta época da história, e que visa nos levar de volta ao estudo da Bíblia. Por isso sua importância para o avanço da pregação do evangelho, para o avanço da Igreja e o retorno com a fidelidade ao estudo sério da Palavra de Deus”, afirma o pastor Aguinaldo Guimarães, líder da Igreja Adventista para as regiões leste e norte da capital paulista.

Simpósio teve a participação do pastor, escritor e jornalista Michelson Borges (Foto: Arquivo Pessoal).

Herança Profética

Este foi o tema de um Simpósio realizado no mês de novembro na região leste de São Paulo. O evento tratou sobre a história do adventismo e a chegada dele no Brasil, além de trazer informações sobre Ellen White e suas contribuições para a ciência. Para o líder do Espírito de Profecia da Igreja Adventista para o leste e norte paulista, pastor Roberto Albuquerque, o Simpósio, que recebeu o tema Nossa Herança Profética, teve o objetivo de reafirmar que os adventistas são estudantes da Bíblia. “Quando estudamos a Palavra, quando vemos a história dos nossos pioneiros, o preço que eles pagaram para fazer com que essa história chegasse até nós, começamos a entender que temos uma missão neste momento da história do mundo, e que temos que propagar o evangelho. Então, o grande objetivo é reaver as essências da nossa fé”, explica.

De acordo com o pastor, jornalista e escritor Michelson Borges, que participou do evento, é necessário entender a história humana. “As origens são importantes como fator de ordenamento, de ordem para nossa vida. Quando nós entendemos, como adventistas, que temos uma herança profética, que temos homens e mulheres que deram a vida por essa missão, e nos identificamos com essa mensagem, isso faz uma diferença tremenda na forma de ser adventista”, comenta.

Participação do quarteto Arautos do Rei, com integrantes da formação de 1975 (Foto: Arquivo Pessoal).

Presente de Deus

O evento contou com encenações da vida de Ellen White e a participação musical do quarteto Arautos do Rei na formação de 1975. A programação foi transmitida ao vivo (assista aqui: parte I e parte II) e recebeu apenas alguns expectadores no local, que aprovaram a iniciativa, como o ancião Carlos André. “O Simpósio é importante porque contribui para o crescimento da Igreja, para o conhecimento do Espírito de Profecia e também para o conhecimento da nossa própria história. É necessário que a gente conheça as nossas origens”, destaca o participante.

Ainda segundo Michelson Borges, os escritos de Ellen White são um presente de Deus para sua Igreja e não devem ser ignorados. “Por meio dela, assim como de outros instrumentos de Deus no passado, Deus concede esses conselhos, essa luz especial que nos leva à Bíblia, a luz maior. Portanto, das as costas para isso é quase uma ingratidão com Deus. Quanto mais lemos, mais próximos da Bíblia ficamos. Isso é impressionante. Então, não rejeite esse presente que Deus concedeu à sua Igreja”, finaliza.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox