Notícias Adventistas

Jovem conquista casa própria e graduação com a venda de livros

A partir do convite para participar de um projeto com jovens da Igreja, Erika conquistou seus maiores sonhos

Por Gerllany Amorim Dias 15 de outubro de 2020

Uma das maiores realizações de Erika por meio da colportagem: a conquista de uma casa para a mãe (Foto: Arquivo pessoal)

O ano era 2017 e uma jovem de 18 anos se preparava para o vestibular. A rotina de estudos era comum a pessoas daquela idade, mas Erika Priscila Silva do Carmo tinha sonhos maiores. Moradora do bairro da Terra Firme, em Belém do Pará, considerado periférico e ainda com um alto índice de violência, o local podia até assustar, mas era não capaz de impedi-la de buscar seus objetivos.

Foi num culto de sábado, no templo adventista onde congregava, que ela se deparou com a oportunidade de realizar sonhos que nem mesmo imaginava serem possível de alcançar.

Leia também:

“Eu estava em minha igreja quando os pastores Marcos Sousa e Daniel Jennings apresentaram aos jovens o projeto Sonhando Alto. Foi ali que eu decidi que queria participar”, relembra Erika. A iniciativa é do Ministério de Publicações da Igreja Adventista, que também é conhecida como colportagem. A atividade dá oportunidade para que jovens consigam recursos para cursar uma faculdade e, ao mesmo tempo, compartilhem mensagens bíblicas, de saúde, relacionamento e educação dos filhos, por exemplo.

Erika com dois amigos em uma foto de sua primeira experiência com a comercialização de literatura (Foto: Arquivo pessoal).

Entre a vontade de lutar por objetivos e a realização deles, Erika enfrentou obstáculos. O mais dolorido deles, segundo ela, foi o fato do projeto não ter sido compreendido por sua mãe, Antonia Rosinete Santos da Silva, de 47.

“[Ela] pensou que essa história de sair de casa pra vender livros com vários jovens não era certo. Foi quando ela me expulsou de casa e passamos três meses sem nos falar”, relembra emocionada. “Minha mãe chegou a dizer que se eu seguisse com ‘isso’, era pra eu esquecer que tinha mãe e que iria jogar fora minhas roupas.”

Já na prática, outra dificuldade que Erika encontrou foi exatamente em sua ferramenta de trabalho: a comunicação. “Eu tinha muita dificuldade, pois eu era muito tímida, não sabia nem mesmo falar bem, falava muito errado e não conseguia me expressar direito. Fiquei pensando em como iria conseguir fazer com que as pessoas comprassem os livros de mim com essa timidez. Mas tive ajuda de muitas pessoas para aprender”, destaca.

Conquistas

Ela embarcou em sua primeira experiência ainda em 2017 e participou de dois períodos de trabalho com duração de cinco meses cada. Ela ficava hospedada com outros jovens que recebiam treinamentos por uma semana e em seguida eram designados para diferentes regiões.

“Lembro que saí de casa na primeira vez com a quantia de quatro reais no bolso, uma escova de dentes, um sabonete e um pouco de shampoo. Senti medo, mas em todo momento também senti que podia confiar em Deus e que Ele iria me ajudar”, pontua Erika.

“Superei minhas limitações e meus medos e segui firme confiando que esse era o plano de Deus pra mim e por isso ia conseguir. O resultado foi tão bom que fui líder de vendas e ainda liderei equipes novas para a colportagem. Com o dinheiro que ganhava, passei a ajudar minha mãe nas despesas da casa, alimentação e consegui reconquistar a confiança e o perdão dela”, amplia. “Minha mãe também me pediu perdão por todas as coisas que me falou e disse que teve medo de eu ganhar dinheiro e esquecer de estudar.”

Erika e a mãe, Antonia Rosinete, reaproximadas e felizes por todas as conquistas alcançadas graças ao projeto Sonhando Alto (Foto: Arquivo pessoal)

E justamente superando as expectativas da mãe, depois de alcançar bons resultados no projeto, Erika guardou recursos para a realização de mais um sonho: estudar fora de seu Estado. “Consegui economizar e ter dinheiro para pagar a faculdade e então embarquei para São Paulo em busca desse sonho. Fiquei uma semana na casa de uma prima e então fui até a faculdade com dinheiro de um semestre todo. Mas eu queria pagar todo o ano, então decidi que iria colportar em São Paulo para conseguir o restante”, detalha Erika.

E assim ela o fez. Não só pagou um ano inteiro de faculdade, como também foi convidada a liderar uma equipe do projeto em São Paulo. Hoje cursa Pedagogia no Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Hortolândia, e mora dentro na instituição, que possui sistema de internato.

Um sonho maior também foi possível

Erika fez mais uma promessa à mãe, que mal podia acreditar estar bem próximo de ser conquistada: comprar uma casa para ela com o dinheiro da venda dos livros. “De início minha mãe não acreditou que eu conseguiria, mas eu sabia que Deus me ajudaria em mais esse sonho e saímos para procurar uma casa para comprar”, descreve.

Foi então que o sonho se tornou possível e Erika conseguiu comprar a casa à vista. “Nessa procura achamos uma casa com o terreno bem grande, pois eu disse pra ela que queria um espaço pra poder fazer a minha piscina. E ainda, ela teria de ser próximo a uma igreja adventista, pois é dessa forma que poderei conseguir realizar meu próximo sonho”, compartilha.

Agora ela ora a Deus para que a mãe se entregue a Jesus.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox