Notícias Adventistas

Voluntários distribuem sopa aos moradores de rua de Porto Alegre

Ação foi promovida pelo Centro de Vida Saudável da capital gaúcha

13 de junho de 2016
13413060_1063382160419020_7051129733775593843_n

Equipe também distribuiu roupas aos necessitados durante a ação. Ideia é que, depois de cadastrados, moradores de rua possam ser melhor atendidos por projetos sociais.

Porto Alegre, RS… [ASN] A vida no outono da capital gaúcha está cada dia mais complicada para quem vive nas ruas. Os termômetros já sinalizam temperaturas baixíssimas, sem contar as sensações térmicas negativas. Foi devido a essa realidade que o programa Fazer o bem Faz bem, iniciativa vinculada ao Centro de Vida Saudável de Porto Alegre, reuniu voluntários para diminuir o sofrimento dos necessitados. A coordenação geral partiu da voluntária e advogada Juliana Brun.

Leia também:

Os 14 voluntários, entre jovens e adultos, prepararam sopa quentinha e distribuíram a 30 pessoas na Avenida Borges de Medeiros no período da noite. Eles ainda cadastraram o nome das pessoas carentes para identificar melhor as necessidades de cada um deles e, assim, promover novas ações personalizadas.

Uma das voluntárias, Elisa Machado, atua em um dos escritórios administrativos da Igreja Adventista durante a semana, mas no sábado, se dispôs a dedicar o tempo para ajudar o próximo. Não é a primeira vez que tem se dedicado a ações desta natureza. Há poucas semanas, esteve envolvida em um projeto de doação de sangue. Em um depoimento publicado junto a uma foto em sua página de Facebook após a distribuição de sopa, Elisa disse ter conhecido um homem de apelido de “Detergente”, por conta do produto que ele mesmo produz e vende nas ruas para tentar ajudar a esposa, que dorme em um albergue. Mesmo vivendo em situação de pobreza extrema, o morador de rua sorriu e brincou com a voluntária durante o contato.

elisa

Voluntária ficou marcada pela experiência de um dos moradores de rua e publicou desabafo no Facebook.

“O maior presente quem ganhou fui eu. A felicidade que estou sentindo deveria ser experimentada por todos. Tudo o que ele precisava era de alguém que o ouvisse, que se importasse de verdade com seus problemas e que lhe desse carinho! Passamos por eles na rua e não damos a mínima bola, como se fossem diferentes, mas, um dia, uma vez que seja, pare para conversar com um deles e você descobrirá um advogado, um empresário que perdeu esposa e filhos em um acidente e se afundou na bebida, uma filha que foi estuprada pelo próprio pai – aquele que deveria ser seu porto seguro –, um estudante de medicina que não aguentou a pressão dos pais, enfim, pessoas como você e eu! Vamos dar um pouquinho mais de valor a nossa vida? Vamos sorrir mais? Vamos agradecer mais?”, desabafou Elisa em seu perfil pessoal.

As atividades do Centro de Vida Saudável – instituição sem fins lucrativos – buscam beneficiar a comunidade em vários aspectos da vida humana. Para conhecer mais detalhes, acesse o site www.cvs.org.br ou a página do Facebook, clicando aqui. [Equipe ASN, Willian Vieira]

Abaixo, veja algumas imagens da distribuição de sopão e cadastro dos moradores de rua:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox