Notícias Adventistas

Sul de Minas e Zona da Mata fazem alerta contra o abuso infantil

Ação do Quebrando o Silêncio distribuiu 50 mil revistas no território da Associação Mineira Sul

Por Alessandra Guimarães 27 de agosto de 2019

Crianças distribuem material contra o abuso infantil

Minas Gerais é o segundo estado com maior número de denúncias feitas ao Disque 100, canal de atendimento do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, que recebe, analisa e encaminha denúncias de violações de direitos humanos. Com base em dados levantados pelo atendimento, o órgão concluiu que quase 90% dos casos de abuso de menores acontece em ambiente familiar.

Pensando neste problema, a campanha Quebrando o Silêncio deste ano focou, justamente, em promover o debate em torno deste tema tão sério. Para isso, foi desenvolvido materiais educativos, destinado à crianças, adolescentes e adultos, abordando a temática conforme a faixa etária.

Desde 2002, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, por meio deste projeto educativo, trabalha a prevenção contra o abuso e a violência doméstica em oito países da América do Sul (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai), conscientizando a população e prevenindo novos casos.

Na Zona da Mata, a principal ação do projeto ocorreu no domingo, 25, em Juiz de Fora, no Parque da Lajinha. Com brinquedos infláveis, pintura de rosto, pipoca, algodão-doce e muitas brincadeiras para as famílias, o projeto buscou valorizar a infância e celebrar esta fase que requer proteção e cuidado.

“Também disponibilizamos psicólogos e assistentes sociais para quem precisasse de atendimento. Colocamos este grupo de profissionais em um local discreto para manter a privacidade de quem fosse buscar o aconselhamento”, reforça Laíssa Acencio, coordenadora do projeto Quebrando o Silêncio para a Zona da Mata e Sul de Minas Gerais. Na ocasião, também foram entregues as revistas do projeto Quebrando o Silêncio.

Em Manhuaçu, voluntários montaram um posto de atendimento na região central do município, disponibilizando os materiais da campanha e alertando aos moradores que passavam pelo local, os sinais que uma criança externaliza quando está sofrendo abuso.

Posto de atendimento da campanha em Manhuaçu

Já no Sul de Minas, em Boa Esperança, voluntários escolheram o bairro Populares – comunidade carente da cidade – para trabalhar a campanha com crianças e adolescentes da localidade. O grupo usou ferramentas lúdicas como brincadeiras e contação de histórias para abordar o assunto com os pequenos, além da distribuição das revistas do projeto. Fora a temática abordada pela campanha, o grupo também levou para a comunidade o varal solidário – onde roupas ficaram à disposição para serem retiradas por quem necessitasse – assim, o grupo atendeu outras demandas do bairro.

Quebrando o Silêncio em Boa Esperança

Vanessa Fagundes Ferreira, uma das participantes da ação, comenta que foi uma alegria muito grande participar do projeto e ajudar na orientação de tantas crianças. Mas a voluntária também desabafa. “Ao mesmo tempo foi triste perceber que mais pessoas podiam se levantar para orientar e esclarecer coisas tão simples”, colaborando para que crianças e adolescentes tenham sua infância protegida.

O dia D do projeto já passou, mas o projeto Quebrando o Silêncio é uma campanha contínua da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Lembrando que, para denunciar o abuso infantil de crianças ou adolescentes, disque 100. A ligação é totalmente anônima.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox