Notícias Adventistas

Quebrando o Silêncio impacta diversas cidades cearenses

Em Itapajé o projeto recebeu apoio de autoridades de vários setores da cidade

28 de agosto de 2017

Itapajé – CE [ASN] Diversas igrejas adventistas do estado do Ceará realizaram manifestos contra o abuso e a violência doméstica, no último sábado (26), dia de ênfase do Quebrando o Silêncio. As mobilizações tiveram como objetivo conscientizar a população, oferecer canais seguros para denunciar abusadores e ajudar as vítimas.

Neste ano, a temática da campanha abordou o estupro e o abuso sexual. Em virtude dessa problemática, as ações de combate envolveram passeatas, fóruns, debates e materiais didáticos para despertar a atenção da sociedade. Na cidade de Itapajé, por exemplo, o Quebrando o Silêncio se desenvolveu durante todo o mês. Líderes da igreja envolveram setores municipais, educativos e representantes do poder judiciário nas atividades.  Os meios de comunicação local foram utilizados para divulgar o projeto. Diversas escolas foram visitadas e receberam palestras ministradas por assistentes sociais, psicólogas e coordenadores.

A diretora do Ministério da Mulher da Igreja Adventista do Sétimo Dia central do município, Elizete Brandão, explica que o apoio foi importante, uma vez que o projeto ganhou uma extensão maior. “Visitamos o Conselho Tutelar e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), entidades que têm o primeiro contato com as vítimas desses tipos de violência. Então firmamos parceria e resolvemos traçar as ações. É importante que a igreja mostre sua posição diante desses crimes, pois mostra seu interesse nos problemas sociais, estando incluída na mesma como uma comunidade organizada que busca amenizar o sofrimentos dos outros,” ressalta.

A assistente social, Aline de Sales Silva, coordenadora do Creas de Itapajé, relata que se sentiu animada quando soube do projeto por ser mais uma forma de transmitir informações para a população. “Achei interessante a Igreja Adventista enfatizar esse assunto. Por ser algo trabalhado por nós, que é a violação dos direitos, nossa equipe se disponibilizou para participar das visitas escolares. A política de assistência social é laica, mas acredito que quando trabalhamos em conjunto para combater qualquer tipo de violação dos direitos, independente de religião, , tudo é válido,” salienta.

Um relatório de 2013 da Organização Mundial da Saúde (OMS) demonstrou que, em média, 35% das mulheres do planeta já experimentou algum tipo de violência física e/ou sexual. De acordo com o estudo Estupro no Brasil: Uma Radiografia Segundo os Dados da Saúde, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 70% das vítimas de crime sexual são crianças e adolescentes.

O Quebrando o Silêncio acontece, desde o ano 2002, em oito países da América do Sul: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai. Anualmente, um tema é escolhido para debate na sociedade com foco nos atos violentos praticados contra mulheres, crianças e idosos. O projeto educativo e de proteção produz duas revistas informativas, uma para adultos e outra voltada para crianças. [Equipe ASN, Cida Silva]

 

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox