Notícias Adventistas

Maranatha Voluntários realiza primeira Convenção no Brasil

O evento foi marcado por testemunhos e incentivo ao avanço do serviço.

Por Lisandro Staut

Ana Carolina Gerage se encantou pelas viagens missionárias e viajou grávida para cumprir a missão (Foto: Boris Saavedra)

Depois de trabalhar em mais de 80 países ao redor do mundo, a liderança da Maranatha Voluntários Internacional entendeu que pelo menos um deles certamente tinha potencial para ir além de receber ajudas para a construção de igrejas, escolas ou poços d’água em regiões de maior necessidade. Foi assim que nasceu, há menos de cinco anos, a Maranatha no Brasil, um braço da organização com sede na Califórnia que em 2019 completa 50 anos de serviços prestados para a Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Thaís Mendes fala da experiência do Coral Jovem de Brasília em um projeto da Maranatha (Foto: Boris Saavedra)

A ideia que não passava de um sonho tomou forma e ficou conhecida em todo o País através do programa “Maranatha Histórias de Missão”, da TV Novo Tempo, e não demorou muito para os voluntários brasileiros também abraçarem essa causa. E foi justamente para celebrar o envolvimento de centenas de voluntários do Brasil em projetos de nove países diferentes que a Maranatha os reuniu na tarde do último dia 24, na Comunidade Adventista do Morumbi, localizada na zona sul de São Paulo para o programa “Missão: Maranatha.”

Essa foi uma versão do encontro anual que já acontece nos Estados Unidos por muitos anos. O programa é uma apresentação ampla com vídeos e testemunhos do trabalho realizado pela Maranatha durante o último ano e uma oportunidade para os líderes adventistas falarem das necessidades da Igreja na sua região, chamando assim mais voluntários para ajudar.

Novas possibilidades

Esse foi o caso do pastor Hiram Kalbermatter, que preside a Igreja Adventista na Bolívia. Segundo ele, das 16 regiões administrativas da igreja da América do Sul, a Bolívia está na 13ª posição em volume de dízimos, mesmo tendo 120 mil membros. “Por si só, os adventistas da Bolívia não podem fazer muito pela construção de prédios que os permitam adorar em condições dignas”, lamenta Kalbermatter. Diante desse cenário que encontrou ao ser nomeado recentemente para liderar a região, ele afirma que “a Maranatha tem sido determinante e realiza sonhos em muitos locais onde nós não teríamos condições de avançar.”

Jeferson Pillar canta em frente às bandeiras que representam os 13 países por onde a Maranatha trabalhou no último ano (Foto: Boris Saavedra)

A convenção também foi uma oportunidade para os próprios voluntários compartilharem a sua história de mudança de vida. A experiência de Wanderley Cremonese, trabalhando com a Maranatha na África e na Ásia, impactou profundamente a sua maneira de organizar a vida. “Eu já dedicava algum tempo e algum recurso pra Deus mas não era o suficiente. Agora além da devolução dos meus dízimos, reservo 30% da minha renda mensal para as missões e ajuda ao próximo”, revelou Cremonese, que hoje atua como líder de equipes em viagens missionárias da Maranatha.

Por fim, o testemunho do próprio presidente da Igreja Adventista para a América do Sul tocou a plateia presente no Morumbi na tarde de domingo. “Eu já fiz parte de um projeto da Maranatha também”, disse o pastor Erton Köhler, que participou de um projeto de construção de igreja na República Dominicana. Abrindo a Bíblia em Atos 19:11, ele apontou para o plano divino de envolver seres humanos na missão. “Hoje, para que a obra de Deus avance, Ele precisa de mãos que se estendam, mãos que se ofereçam”, destacou Köhler.

A programa da Convenção “Missão: Maranatha”, que teve ainda a participação do cantor Jeferson Pillar, será veiculado em horário especial pela TV Novo Tempo no domingo, dia 8 de julho, a partir das 17h. Mais informações sobre como participar dos projetos da Maranatha ao redor do mundo podem ser encontradas no site maranathabrasil.com.br.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox