Notícias Adventistas

Cursos profissionalizantes capacitam 200 migrantes no DF

Parceria entre ADRA, OIM e Senai busca inserir alunos no mercado de trabalho

Por Rafael Brondani 23 de fevereiro de 2021

Além de preparar para o mercado, projeto também viabiliza contratação dos alunos (Foto: Divulgação)

A fim de apoiar migrantes venezuelanos e de países vizinhos que se deslocaram para o Distrito Federal (DF) em busca de melhores condições de vida, o Núcleo da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) de Samambaia, região administrativa do DF, realiza atividades do projeto Inclusão Sem Fronteiras. Com atividades educacionais, a iniciativa prevê a certificação e a qualificação profissional de venezuelanos e de outros migrantes.

O projeto é uma ação liderada pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) em parceria com a ADRA e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai-DF). O financiamento é da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional.

Leia também:

De acordo com o diretor da ADRA em Brasília, Jeconias Neto, o projeto oferece certificação e qualificação profissional e inclusão no mercado de trabalho. “A meta é formarmos 200 migrantes dos países que fazem fronteira com o Brasil”, pontua.

No Núcleo são oferecidos cursos de informática com ênfases em redes sociais, corte de cabelo e barbearia, corte e costura e gastronomia criativa.

Apoio para ingresso no mercado

O aluno do curso de gastronomia criativa, Luiz Fernando, veio da Colômbia e tem grandes expectativas com a oportunidade. Ele já possui conhecimentos na área de culinária e vê no curso uma experiência multicultural. “Temos aulas enriquecedoras. Aprendemos a fazer massas culturais, comidas típicas. A comida brasileira é muito colorida, tem formas diferentes de preparo. Espero grandes projeções com esse curso”, destaca.

A iniciativa busca qualificar, valorizar e certificar conhecimentos profissionais que os migrantes e refugiados já possuem, contribuindo para melhorar as condições de empregabilidade no Brasil.

Os migrantes também terão apoio na procura por emprego com o Empresa Sem Fronteira. A ADRA e o Senai-DF contatarão sindicatos, empresas e a Secretaria do Trabalho do DF na busca por vagas e oportunidades para os alunos dos cursos oferecidos.

Veja mais fotos na galeria:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox