Notícias Adventistas

Bairro de Marabá (PA) realiza ações de prevenção à violência

Projeto Quebrando o Silêncio previne contra violência sexual.

31 de agosto de 2017

Valdelice Santana (centro), da Igreja Adventista do Sétimo Dia, leva palestras de prevenção ao abuso sexual até escolas do seu bairro. (Foto: divulgação)

Marabá, PA… [ASN] As Igrejas Adventistas do Sétimo Dia do Distrito de Novo Horizonte, em Marabá, mobilizaram seus membros para promover o projeto Quebrando o Silêncio. A lista de ações é extensa e inclui passeatas com faixas, festas infantis temáticas para orientar as crianças e palestras em escolas, com alunos e pais. O projeto ocorre todos os anos, simultaneamente, em quase toda a América do Sul.

Raphaella Lopes (centro-sentada) organizou uma confraternização temática para prevenir contra o abuso sexual. (foto: Ulisses Pompeu)

Para a Raphaella Lopes, líder do Ministério da Mulher do distrito de Novo Horizonte, “a Igreja se coloca como parceira da comunidade, ao ajudar muitas famílias por meio desse projeto. Talvez por falta de informação ou por falta de coragem, essas famílias não conseguem se manifestar em situações de abuso”. A Raphaella ainda revela que o papel da Igreja é “orientar possíveis vítimas e estar sempre atenta ao menor dos sinais para amparar e ajudar nesses casos”.

Umas das ações foi realizar palestras em escolas públicas e privadas do bairro onde está localizada a Igreja. Uma parceria foi feita com o CRAS – Centro de Referência de Assistência Social de Marabá. As palestras de prevenção foram realizadas nas escolas Aci Barros (adolescentes), Escola Paulo Freire (adolescentes), Escola Cora Coralina (pais de educação infantil), Escola Edivan (pais de educação infantil), Escola Basílio Miguel (adolescentes).

Palestras em escolas promovem conversas abertas com adolescentes e pais. (foto: Divulgacão)

A Valdelice Santana é assistente social no CRAS e também é líder do Ministério da Mulher na IASD Central de Novo Horizonte. Ela defende que os adolescentes precisam aprender a identificar os agressores. Para os pais, também foi falado sobre o perfil do agressor, além das diversas formas de realizar as denúncias. Ela conta, ainda, que o material que serviu como base foi a revista Quebrando o Silêncio. “Passar essas informações, o que é um abuso, como ele ocorre, com quem pode ocorrer, quais os ‘atores’ que podem abusar sexualmente de uma mulher, de uma criança ou de um adolescente, essas informações são importante. Tudo é uma prevenção”, declara Valdelice. A assistente social também teve o auxílio do psicólogo Odemir Souza de Carvalho Junior.

Serviço

Discando 100 é possível denunciar qualquer tipo de violência. O serviço funciona das 8 às 22 horas, inclusive finais de semana e feriados. É possível enviar e-mail para disquedenuncia@sdh.gov.br. [Equipe ASN, Vandilson Junior]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox