Notícias Adventistas

ADRA busca ajudar vítimas de incêndio na Grécia

O acampamento adventista, evacuado no ano passado devido a outro incêndio, está seguro.

Por Victor Hulbert, Trans-European Division News

O incendio foi considerado um dos mais mortíferos da história do país. (Imagem: Shutterstock)

Com mais de 90 mortos, quase 200 feridos e mais de duas mil casas destruídas depois dos incêndios próximos a Atenas, na Grécia, a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) já está trabalhando para oferecer apoio. Os incêndios, considerados um dos mais mortíferos já registrados, iniciaram na segunda-feira, 23 de julho de 2018. Mati, a leste de Attica, é a área mais afetada.

Despina Tologlou, líder das operações da ADRA na Grécia, estava planejando um evento na noite de terça-feira em Katerini, cerca de 410 km ao norte de Atenas, quando veio a notícia do incêndio. Ela transformou o evento no parque da cidade em um evento para angariar fundos. Os cidadãos locais doaram garrafas de água, alimentos, itens de higiene, medicamentos básicos e produtos para bebês a fim de ajudar as vítimas afetadas pelos incêndios. Até o dia 26 de julho, 240 caixas de mantimentos tinham sido entregues. O primeiro ministro da Grécia, Alexis Tsipras, declarou três dias de luto e estado de emergência na região de Attica, dizendo que todos os serviços emergenciais fossem mobilizados.

“É impressionante ver como a solidariedade atua neste país”, afirma Tihomir Lipohar, chefe da missão para a resposta da ADRA aos refugiados na Grécia. “Os gregos têm demonstrado grande compaixão, dando apoio aos refugiados e aos imigrantes que atravessaram o mar para chegar a seu país, nos últimos anos. Agora, ao unirem esforços, como país, diante dessa tragédia, eles necessitam do nosso apoio”.

No final de julho de 2018, um evento “conjunto” para compartilhar alimento sírio com a comunidade grega em Katerini, Grécia, rapidamente se transformou em um evento para angariar fundos para as vítimas do incêndio. (Foto: ADRA Europa)

Trabalhando intimamente com as autoridades, a ADRA está agora no processo de distribuição de materiais nas áreas afetadas, mas, Lipohar diz que há necessidade de mais. “Seria bom apoiar este país em sua resposta às vítimas dos incêndios mortíferos em Mati e em outras áreas do sudeste da Grécia”, ele disse. Os voluntários planejam trabalhar junto com os Escoteiros, com os militares gregos e com as autoridades locais.

Há devastação por toda parte, de acordo com Evangelos Bournous, prefeito de Rafina. Ele disse aos jornalistas que sua vila “não existe mais”. O Ministério da Infraestrutura do governo grego disse, na quinta-feira, que 49% das construções inspecionadas em Mati foram consideradas inabitáveis.

“A ADRA Europa está trabalhando com a rede da ADRA para apoiar as iniciativas na Grécia, durante esta emergência”, disse o diretor da ADRA Europa, João Martins. Eles estão recorrendo a seu fundo de emergência, ele destacou, mas doações extras são especialmente bem-vindas em situações como esta.

No ano passado, o incêndio na floresta chegou a poucos metros do acampamento de jovens adventistas, em Kalamos, localizado a 50 km no nordeste de Atenas. Naquela ocasião o acampamento foi evacuado por precaução, na segunda-feira, depois do início do fogo, a 2,5 km do local, mas ele foi prontamente extinguido e o acampamento de verão pode continuar. O acampamento fica a 45 km da destruição que ocorreu em Mati neste ano.

O presidente da Missão Grega, Claudio Gulyas, diz que aparentemente nenhum membro da igreja foi ferido ou teve a propriedade danificada durante os incêndios mais recentes. A Igreja Adventista, juntamente com a ADRA, fará tudo o que puder para ajudar as muitas famílias afetadas por essa tragédia, disse um porta-voz.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox