Notícias Adventistas

ADRA Brasil age em resposta a crise de refugiados venezuelanos

Segundo relatório da ONU, venezuelanos são a quarta nacionalidade que mais pediu refúgio em 2017.

25 de junho de 2018

Por Julia Bianco e Mauren Fernandes

Uma das peças da campanha de arrecadação de fundos para o projeto de apoio aos refugiados.

Com mais de 1,5 milhão de pessoas tendo deixado o país, os venezuelanos são a quarta nacionalidade que realizou mais pedidos de refúgio em 2017. O Brasil é um dos principais destinos procurados por eles, após Peru e Estados Unidos. A escolha de vir ao Brasil acontece principalmente por conta da proximidade geográfica, sendo que o estado de Roraima faz divisa com boa parte da Venezuela. A ADRA Brasil está lá, auxiliando os que chegam a terem um recomeço mais digno.

Segundo informações da Polícia Federal, mais de 40 mil venezuelanos já entraram na cidade de Boa Vista . Fugindo de uma crise econômica terrível, em que a inflação sobe descontroladamente e de uma crise humanitária não assumida pelos governantes, eles chegam ao Brasil sem nenhum tipo de recurso ou condição. Por não terem outra escolha, muitos deles chegam a viajar desde a fronteira até a capital, uma distância de mais de 200km, a pé.

A ADRA executa projetos de desenvolvimento comunitário e de assistência humanitária sem qualquer distinção política, racial, religiosa, de idade, sexo ou de etnia. (Foto: arquivo)

Há cinco anos consecutivos o número de refugiados e deslocados tem crescido no mundo. Segundo os dados atualizados divulgados pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), mais de 68,5 milhões de pessoas se encontravam em condição de deslocamento até o final de 2017, ou seja, até o final do ano passado, mais do que a população total da França teve que deixar suas casas para trás em busca de refúgio.

Reagindo a esse contexto de extrema relevância social a nível mundial, a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) tem agido em várias regiões do mundo em favor dos refugiados. Um dos projetos mais recentes é o da ADRA Brasil em parceria com a USAID/OFDA, agência do governo norte-americano responsável por atuar em situações de crise e desastre em outros países.

O projeto tem acudido os refugiados venezuelanos no estado de Roraima, focando em ações de ajuda imediata, como entrega de kits de higiene pessoal, colchões, roupa de cama, chinelos e kits de cozinha. Também estão sendo promovidas atividades educativas quanto aos cuidados sanitários que devem ser tomados, principalmente em situação de abrigo, como eles se encontram.

O objetivo é auxiliar esses estrangeiros logo no momento em que chegam ao Brasil, sem dinheiro, sem comida ou até mesmo sem sapatos. O governo brasileiro tem se ocupado em realocar esses refugiados em outros estados do país, de forma que projetos de desenvolvimento humano deverão ser estruturados em uma segunda etapa, em diferentes estados brasileiros.

Mundialmente, o dia 20 de junho foi lembrado como o Dia do Refugiado. A Igreja Adventista separou o dia 16 do mesmo mês em seu calendário oficial para orar por eles e contribuir com os projetos que apoiam essa população, mas você ainda pode contribuir acessando adra.org.br. Assista aqui ao programa Revista Novo Tempo em uma edição especial para o Dia do Refugiado.

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox