Notícias Adventistas

Ações mobilizam cidades da APaC contra a violência infanti

Atividades do Quebrando o Silêncio aconteceram em espaços públicos e contaram com o apoio de voluntários, líderes da igreja e autoridades políticas.

Por Luciana Ferreira 27 de agosto de 2019

Apenas em 2018, o Disque 100 (Disque Direitos Humanos) recebeu mais de 70 mil denúncias de casos de violência contra crianças e adolescentes. Destes, cerca de 17 mil envolveram violência sexual, sendo 70% deles cometidos por pessoas do núcleo familiar.

Os dados são preocupantes e enfatizam a importância de se trabalhar a prevenção dentro da família. Pensando nisso, a 17° edição do projeto Quebrando o Silêncio, promovido pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em toda a América do Sul, escolheu para 2019 trabalhar na prevenção contra o abuso sexual infantil.

No sábado (24), várias ações aconteceram em diversas partes do Brasil, inclusive em cidades da Associação Paulista Central (APaC). O presidente da APaC, pastor Erlo Braun, esteve presente nos locais e enfatizou a importância do envolvimento da igreja nessa missão. “A igreja não se cala, a igreja não concorda. Quando Jesus esteve aqui, Ele disse: ‘deixai vir a mim os pequeninos, porque deles é o reino do céu’. E a igreja tem esse legado, tem essa responsabilidade de gritar, alarmar, informar, para essa informação gerar instrução e assim gerar educação a fim de que menos crianças sejam atingidas por esses males”, destacou.

A líder do Ministério da Mulher da associação, Verli Rocha Braun, vestiu a camisa do Quebrando o Silêncio e acompanhou de perto as ações desse sábado. Ela relembrou o trabalho realizado nos anos anteriores da campanha e reafirmou a importância do envolvimento dos fiéis adventistas na conscientização contra qualquer tipo de abuso e violência.

Rio Claro

A cidade de Rio Claro, localizada na região Centro-Leste, abriga a primeira igreja adventista do estado. Nesse local histórico, mais de 500 voluntários se uniram para alertar a sociedade contra os perigos do abuso infantil. As ações aconteceram na praça central da cidade, onde um palco foi montado. Atrações musicais e mensagens de esperança chamaram a atenção de quem caminhava pelo local.

A dona de casa Marta de Sousa atravessou a rua com suas filhas e neta para conferir a movimentação. “Eu achei muito interessante, pois há um silêncio realmente. Muitas crianças estão sendo abusadas em suas próprias casas por parentes e isso doí. Afinal são pessoas que deveriam protegê-las”, explicou a moradora que aprovou o projeto.

Além do palco, uma feira de saúde em parceria com a prefeitura e os alunos do curso de Educação Física do Unasp Hortolândia ofereceu teste de glicemia, aferição de pressão, entre outros serviços para a população. O clube de Desbravadores e aventureiros entregaram panfletos e recolheram o lixo da praça, e a Ação Solidária Adventista (ASA) montou um varal com roupas para doação.

Artur Nogueira

Na cidade de Artur Nogueira, conhecida como Berço da Amizade, as ações do Quebrando o Silêncio reuniram cerca de 2 mil pessoas, segundo organizadores. O evento envolveu todas as igrejas do município lideradas pela central de Artur Nogueira e contou com o apoio da Igreja do Unasp-EC.

A movimentação começou às 14 horas com uma passeata contra o abuso sexual que saiu da Praça do Coreto, centro da cidade, e encerrou na Lagoa dos Pássaros. No local, a população recebeu atendimento médico e psicológico, aferição de pressão e outros serviços na feira de saúde. Brinquedos infláveis, exibição de filmes, pipoca e a turma do Nosso Amiguinho informaram e fizeram a festa da garotada.

Um das mobilizadoras do projeto na cidade, a psicanalista Sandra de Sá, considerou as ações da campanha positivas. “Nossa expectativa de público foi superada. Isso mostra uma resposta muito positiva da comunidade nogueirense”.

A câmara legislativa de Artur Nogueira aprovou em 17 de junho o projeto de lei 026/2019 que insere oficialmente as ações do Quebrando do Silêncio no calendário do município.

Mococa

Mococa faz parte das 81 cidades que compõem a Associação Paulista Central. No município, as ações do Quebrando o Silêncio começaram um pouco antes do dia D.

No dia 22, mais de 200 pessoas acompanharam um simpósio sobre prevenção de abuso sexual infantil em uma ETEC de São José do Rio Pardo. Autoridades políticas e civis estiveram presentes. A palestrante foi a doutora Raquel Sarmento.

As principais atividades do projeto acontecerem na tarde de sábado (24) no estacionamento em um supermercado de Mococa. Desbravadores, Aventureiros, líderes e voluntários das igrejas ofereceram brinquedos infláveis, pipoca, algodão doce, cantinho de contos e vídeos para os menores. Enquanto eles aprendiam brincando, país e responsáveis contaram com a assessoria de advogados, psicólogos, pastores e enfermeiras.

Literatura de conscientização sobre o tema também foram distribuídos à população. “Fizemos a diferença na vida de centenas de pessoas da comunidade e autoridades do município”, afirmou um dos organizadores do evento, pastor Delmer Román.

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox