Notícias Adventistas

Unasp oferece oportunidades de crescimento por meio do voluntariado

Além de ajudar o próximo com ações práticas, experiências com voluntariado podem agregar também à carreira profissional do participante.

Por Aira Annoroso 28 de agosto de 2019

Grupo de voluntários do Unasp-SP em Quixabeira, interior do estado da Bahia, em 2019. Créditos: Marketing Unasp-SP

Há quem diga que deixar o conforto da realidade nem sempre é fácil, e de fato não é. Mas há anos, o Centro Universitário Adventista de São Paulo, o Unasp, tem incentivado os estudantes a saírem de sua zona de conforto e dedicarem suas férias a fim de ajudarem seus semelhantes. Quem participa, garante que é uma experiência única e enriquecedora.

Entrar em contato com pessoas de costumes diferentes, que carecem de apoio, faz com que esses voluntários passem a ver o mundo de maneira diferente, de forma mais “humana”. Aprendem a se doar pelo próximo, e entendem que mudando o mundo de alguém, o mundo deles também é mudado para melhor. Assim nasceu o Change Your World, organização criada no Unasp campus São Paulo com objetivo de promover voluntariados/missões para diversos lugares do Brasil e do mundo.

Leia também:

Grupo de voluntários do Unasp-SP em Vila Velha, interior do Espírito Santo, em 2017. Créditos: Marketing Unasp-SP

Aline Silveira, aluna de graduação do Unasp-SP, teve a oportunidade de participar de dois projetos no Brasil por meio do Change Your World. A primeira experiência foi em Vila Velha, interior do Espírito Santo, em 2017. A estudante se emociona ao lembrar os dias que passou na cidade. Foi quando percebeu o quanto as pessoas eram vazias mesmo com as contas bancárias cheias, e viu o quanto o diálogo, um abraço, um tempo dedicado ao outro é essencial.

Sua segunda participação no projeto foi neste ano de 2019, em Quixabeira, interior da Bahia, onde o contraste foi ainda maior. “O lugar era simples, com um sol escaldante, ausência de conforto, inúmeros imprevistos. Lá as pessoas não têm nem as necessidades básicas supridas. Possuem carências físicas, além de muitos dados de violência contra mulher e uso de drogas”, conta Aline.

Rosimeire Nascimento, mais conhecida como Rosi, é aluna do MBA em Liderança e Gestão de Voluntariado da instituição, e já participou de cinco projetos de voluntariado no exterior pelo Unasp-SP: Uruguai (2013), França (2015), Chile (2016), Bangladesh (2017) e Egito (2019). “Em alguns países, os projetos eram ações evangelísticas e sociais, em outros só sociais, foi quando aprendi que posso ser Jesus para o outro com ações diferentes, não somente com evangelismo”, revela.

Crescimento pessoal e espiritual

Por conta da classe social muito diferente encontrada no interior da Bahia, Aline sentiu um grande impacto, e percebeu que desde o início estava sendo “quebrada” e moldada por Deus. Sua primeira surpresa, que considerava negativa no início, foi o fato de não ter nenhum espelho na escola em que ficou hospedada e possuía uma estrutura simples.

“Senti dificuldade logo no início pois não podia me ver em algum espelho, olhar como estava meu cabelo, se a roupa estava combinando. Eu ficava reclamando para mim mesma em pensamento: “Nossa, como assim não tem um espelho nesse lugar?!”. Depois de uns dois dias indignada por esse motivo, Deus falou ao meu coração: “Aline, para de reclamar, você não está aqui para olhar para si mesma, pare de ficar preocupada com sua roupa ou cabelo. Você está aqui para olhar para as outras pessoas, então me deixa te usar”. Ao retornar para sua realidade, a vaidade já não era mais um mau costume presente em sua vida.

Rosi com o grupo de voluntários na França, em 2015. Créditos: Marketing Unasp-SP

Quando Rosi retorna dos voluntariados, se sente uma pessoa diferente também. “Volto como alguém melhor, com o desejo de continuar disponível para o outro. Disponível para aprender novas verdades, mas continuar com os mesmos princípios. É nesta troca com o outro, que o meu sentido da vida fica mais claro. É quando eu aprendo que há vários saberes diferentes e isto possibilita um grande aprendizado. Um olhar mais humanizado para as pessoas e mais valorização para minha vida”, comenta.

O coordenador do Centro de Voluntariado, pastor Daniel Lemos, acredita que a comunidade local recebe muitos benefícios do grupo de voluntários, mas que na verdade, em muitos casos, são o voluntariados os mais beneficiados. “O participante do programa é tocado por um sentimento de serviço, de amor sem barganhas”, diz.

Crescimento profissional

Nos tempos atuais, o mercado de trabalho dá grande valor aos profissionais que possuem experiências de voluntariado, pois é considerado um diferencial. Segundo Aline, através dessa experiência adquire-se habilidades valiosas como: trabalho em equipe, boa comunicação, comprometimento, proatividade, empatia, criatividade, entre muitas outras coisas que o mundo corporativo busca na hora de contratar.

Ao participar de uma entrevista de emprego, Rosi ouviu do recrutador que o fato dela ter participado de projetos voluntários foi um diferencial, o que resultou em sua contratação. “As empresas veem este tipo de profissional de maneira diferente, pois o mesmo colabora com o outro sem esperar retorno, e isso é a maior garantia de retorno”, afirma.

Change Your World e Change Language School

Os projetos de voluntariado começam a ser organizados sempre com pelo menos um ano de antecedência. Para o ano de 2020, os destinos disponíveis internacionais serão: Austrália, Estados Unidos, Angola e Mongólia; e os destinos nacionais: Amazonas, Curitiba, São Paulo e Registro. O coordenador Daniel afirma que existem alguns critérios para definir os locais, como geográfico e financeiro. “Na questão geográfica, damos opções de lugares bem longe, quanto lugares bem próximos. Alguns dos lugares são mais urbanos, outros são mais rurais e precários. Isso porque o voluntário não vai se adequar a qualquer tipo de lugar, e não tem nada a ver com conforto, pois ele vai para trabalhar, independentemente de onde seja”, conta o coordenador.

O Centro de Voluntariado tem trabalhado para mudar o pensamento que muitas pessoas têm de que para fazer algum tipo de missão, é necessário que seja em país pobre. “Voluntariado é ir para um lugar onde há uma necessidade pontual, e às vezes essa necessidade é psicológica, e não biológica como a fome, por exemplo”, afirma Daniel.

Diversos programas de voluntariado organizados pelo Unasp-SP, através do Change Your World, são para países onde há necessidade do conhecimento da língua inglesa. Tendo em vista que a procura para esses lugares era grande, porém os voluntários precisavam se qualificar nessa questão, foi criado o Change Language School, cujo objetivo é oferecer aulas de inglês com foco em conversação e escuta. Logo, as portas estão abertas para quem realmente deseja ser um missionário sem fronteiras!

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox