Notícias Adventistas

“Restaurei minha família quando decidi voltar para Jesus”, declara rebatizado após 20 anos

Movimento missionário da Igreja Adventista no Norte levou centenas de pessoas a decidirem pelo rebatismo.

Por Gerllany Amorim 3 de março de 2020

À direita, o casal João Carlos e a esposa Maria do Socorro em seu batismo no Adorai. (Foto: UNB)

Vinte anos foi o tempo que separou João Carlos Cardoso, 48, dos “braços do Pai”, expressão que simboliza o distanciamento de uma pessoa ao deixar de frequentar a Igreja servindo nas obras de Deus e obedecendo aos Seus mandamentos.

“Minha vida estava fadada ao fracasso, em meio a bebidas alcóolicas e destruindo a minha família, eu achei que já tinha perdido tudo. Eu não conseguia mais olhar direito para minha esposa e estava perdendo a infância da minha linda filha. Achei que fosse o fim!”, relembrou emocionado o analista de logística.

Leia também:

Porém, ele testemunhou a restauração de seu próprio lar depois que voltou a frequentar as reuniões da Igreja Adventista e retomou os estudos da Bíblia após 20 anos. Sua esposa, Maria do Socorro Costa, 43, foi quem persistiu em oração para que ele frequentasse a classe bíblica e então decidisse mudar de vida. Não demorou muito para que ele aceitasse o chamado de Deus para reiniciar sua vida cristã. João foi batizado durante um programa especial dias atrás.

Pastor Alejandro Bullón ministrando a mensagem bíblica no Adorai 2020 e a música de parte da programação ficou por conta da cantora Ana Beatriz. (Foto: UNB)

A mensagem tão clara e lembrada na Bíblia sobre o amor de Deus por diversas vezes marcou os momentos de reflexão das milhares de pessoas que acompanharam o movimento de adoração e resgate, concretizado por meio da programação com duração de uma semana do projeto Adorai, edição 2020 (08 a 15 de fevereiro). A programação iniciou no sábado pela manhã, 08 de fevereiro, com o culto matinal do Dia Santo, celebrado pelos adventistas em obediência ao mandamento bíblico e seguiu até o outro sábado, 15. A mensagem foi ministrada por um dos oradores da semana, pastor Luís Gonçalves, e as músicas pela cantora Fernanda Lara.

Outra parte da programação foi feita pelo pastor Alejandro Bullón e a cantora Ana Beatriz. Ainda na música, grupos de louvor locais agregaram aos momentos de adoração a Deus na abertura de cada noite de programação. Ao menos 1.200 pessoas por dia lotaram o auditório do Centro Adventista de Treinamento e Recreação (Catre – Coqueirão) da Igreja Adventista do Sétimo Dia, localizado em Ananindeua, região metropolitana de Belém, onde o evento foi realizado.

Porém, a mensagem chegou a outros locais graças à internet. O alcance foi de quase meio milhão de visualizações somente naquela semana de programação. Cada ponto de conexão não representava apenas uma pessoa, levando em consideração de que igrejas e auditórios inteiros se reuniram para assistir de vários lugares do país.

Inclusão

Intérprete Andressa Cardoso na tradução da Língua Brasileira de Sinais para os surdos presentes no auditório do Adorai 2020. (Foto: UNB)

O projeto Adorai é um programa pioneiro ao traduzir toda sua programação para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Uma equipe composta por seis intérpretes revezavam as traduções que eram feitas na transmissão online e presencial, onde fileiras de cadeiras do auditório foram cuidadosamente separadas para serem ocupadas pelos surdos presentes.

Quem estava em casa ou em sua igreja assistindo pela internet também contava com a tradução na janela com os intérpretes ao vivo. “Se quisermos que o evangelho alcance a todos, devemos trabalhar pela inclusão. E o Adorai 2020 nos proporcionou essa acessibilidade aos surdos através da janela de Libras. Se continuar assim, bem divulgado, serão milhares de surdos como eu impactados com a mensagem”, declarou um dos telespectadores surdos, o pastor adventista Douglas Domingos da Silva que assistiu o Adorai direto do estado de São Paulo.

“Para nossa equipe é um privilégio e uma vitória, pois somos pioneiros no que tange a inclusão em um programa desse porte, somente a UNB (União Norte Brasileira) promove a acessibilidade por meio da janela e isso nos deixa muito felizes pelos surdos”, orgulhou-se Nazaré Siqueira, coordenadora da equipe de Libras no Adorai 2020.

Quase uma década na missão de resgate

O projeto Adorai começou em 2012 na sede administrativa da Igreja Adventista para os Estados do Pará, Amapá e Maranhão, e a cada ano tem se expandido por meio de sua transmissão que cresce consideravelmente em seu alcance. É um movimento de reavivamento espiritual com cunho na mordomia cristã, mas também na visitação e pastoreio de pessoas em busca de um resgate espiritual.

Todos os anos, a Igreja Adventista nessa região se prepara para buscar esses irmãos com projetos que saem das estruturas físicas da Igreja e chegam a quem necessita. É uma forma de “ser igreja” e avançar na missão deixada por Deus para os servos dEle. “O movimento Adorai objetiva fazer aquilo que a Igreja busca ao longo do ano que é atender as pessoas fora dela. Porque a verdadeira Igreja começa quando a gente sai do culto de manhã. Atendendo à comunidade, à vizinhança, seja na escola ou no trabalho.”, explicou o pastor Ozeias Costa, secretário e líder de mordomia cristã para a Igreja Adventista para os estados do Pará, Amapá e Maranhão.

Ao final de uma semana intensa de pregação do Evangelho por meio do Adorai, a Igreja se alegra em anunciar mais de 1.500 pessoas que tomaram a decisão de voltar aos caminhos de Jesus por meio do batismo nas águas, sendo no palco do Adorai ou nas Igrejas que estavam conectadas na programação por meio da internet. Atualmente a Igreja Adventista do Sétimo Dia no Norte possui 3.250 congregações, sendo Igreja ou grupos. Se você deseja conhecer uma delas acesse www.encontreumaigreja.com e ache o endereço de uma mais próxima de você.

Perdeu a programação do Adorai ou deseja rever o programa?

Assista no Youtube: ADORAI NO YOUTUBE

Assista no Facebook: ADORAI NO FACEBOOK

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox