Notícias Adventistas

Mais que alimento, o projeto Sopão Solidário distribui amor e esperança em Imperatriz

Em atividade há oito anos, os voluntários do projeto distribuem semanalmente sopa para acompanhantes de pacientes hospitalizados e para pessoas da comunidade em situação de vulnerabilidade.

Por Érica Tavares 19 de fevereiro de 2021

Além da sopa, os voluntários se preocupam em oferecer esperança e alento espiritual a quem necessita. Obs.: imagem de antes da pandemia. (Foto: Divulgação)

Para a empresária Aline Castilho (44) falar do projeto Sopão Solidário Adventista é algo que desperta muita emoção. Conforme ela diz, esse é o seu “ponto fraco”. O projeto, organizado por ela e por seu esposo Walter (46), semanalmente distribui sopa em frente ao principal hospital municipal da cidade de Imperatriz, Maranhão. A ação é um marco na vida dos voluntários envolvidos e das pessoas que são beneficiadas por ele. Em 2021, a inciativa completa oito anos de existência.

A ideia surgiu nas reuniões de um grupo de oração em que Aline e seu esposo Walter (46) participavam. O desejo de fazer algo pelas pessoas foi que os motivou a se tornarem organizadores do projeto. “No grupo, nós sentimos a necessidade fazer alguma coisa fora do ambiente da igreja. Acreditamos que foi Deus que colocou esse desejo em nosso coração. Oramos muito por esse assunto e Ele nos deu a resposta”, relembra Aline. Na época, um terço dos participantes do grupo de oração deu seguimento à ideia e dedicou-se ao trabalho no Sopão.

Leia também:

O público principal do sopão são os acompanhantes dos pacientes internados no hospital. Aline explica que “a maioria deles vêm de longe, vêm de fora da cidade. E às vezes eles vêm sem nenhum recurso para comprar um lanche. O objetivo central é atender a essas pessoas.” Mas, não apenas eles. O projeto beneficia também pessoas em situação de rua ou que estejam passando por dificuldades financeiras. Muitas vêm de outros bairros da cidade ao local onde a sopa é distribuída e levam o alimento para sua família.

Na cozinha montada especialmente para o projeto o trabalho começa cedo e as cozinheiras se dedicam a preparar um alimento nutritivo e saboroso. (Foto:Divulgação)

Aline orgulha-se em dizer que funcionários do hospital, como médicos e enfermeiros, também consomem a sopa, resultado da dedicação com que refeição é preparada. “É uma sopa gostosa, é muito bem feita. Então, os funcionários que desejam recebem a nossa sopa.” Antes da pandemia eram distribuídos semanalmente 450 copos (400ml) de sopa. Atualmente, com as limitações impostas pela situação de saúde, esse número diminuiu para 250 copos. No entanto, a previsão é de que logo a quantidade de sopa distribuída volte a aumentar.

Voluntariado e amor

Nos fundos da gráfica de propriedade do casal foi montada uma cozinha especificamente para o projeto. Nela, trabalha a equipe de cozinheiras formada por nove voluntárias. O preparo do prato é iniciado ao meio-dia. Depois de pronta, a sopa é levada à frente do hospital e a distribuição começa por volta das 18h. Esse trabalho cabe à outra parte da equipe colaboradora, que conta com cinco membros. O grupo promove um momento especial de pedidos de oração e entrega de livros e folhetos com mensagens de esperança.

O apoio financeiro ao projeto vem da participação de doadores. Trata-se de uma ação semanal, portanto o custo é alto. Ao longo dos oito anos do Sopão Solidário, muitas pessoas já colaboraram. Atualmente, o projeto conta com cinco doadores e o recurso que falta é completado semanalmente pelos organizadores. “Nunca faltou nada. Deus sempre mostrou que Ele certamente ama e cuida dessa iniciativa. Aprendemos a não temer e a confiar não em pessoas, mas em Deus”, testemunha a empresária.

O grupo registra todas as suas atividades em livros de atas. Neste ano o projeto já ultrapassou as 300 edições, número celebrado por Aline (à esquerda) e pelos demais colaboradores. (Foto: Divulgação)

Resultados

Observando de fora, pode parecer que o maior benefício do Sopão Solidário é para as pessoas que recebem o alimento. Entretanto, isso não é um fato. Segundo Aline, envolver-se em algo assim permite ter várias experiências com Deus: “Quando surge o desânimo, Deus mostra que Ele se importa e nos levanta. Ficamos emocionados em ver Deus nos usando para abençoar vidas. Muitos efeitos desse trabalho nós só vamos conhecer no céu”. Porém, já foi possível testemunhar muitas vezes o efeito positivo do projeto, seja no aspecto físico quanto no espiritual. Por exemplo, dona Amélia, que há três anos recebeu um copo de sopa e a partir disso, estudou a Bíblia e decidiu tornar-se adventista do sétimo dia. Foi batizada e hoje atua no Ministério do Serviço em sua igreja.

Natal da Esperança

O Sopão Solidário originou uma outra ação social, o Natal da Esperança. Todos os anos o grupo de voluntários realiza uma ceia natalina na porta do mesmo hospital, permitindo que aqueles que estão longe de casa tenham, na noite de Natal, uma refeição especial. Como resultado, além de compartilhar alimento, eles levam um pouco de amor e da esperança que tanto se faz necessária em momentos como esse.

Se você também deseja ser um doador ou colaborador do Sopão Solidário Adventista, visite a conta do projeto no Instagram e entre em contato com a equipe.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox