Notícias Adventistas

Jovens adventistas ajudam vítimas de desabamento em SP

Tragédia ocorrida em São Paulo mobilizou muitos voluntários, inclusive adventistas que estão doando tempo e mantimentos para minimizar o sofrimento dos que conseguiram escapar com vida.

Por Lóren Vidal

Voluntários atenderam ao chamado das autoridades e não perderam tempo para ajudar a reduzir sofrimento dos afetados pelo desabamento

Voluntários atenderam ao chamado das autoridades e não perderam tempo para ajudar a reduzir sofrimento dos afetados pelo desabamento

O feriado do Dia do Trabalho, comemorado em todo o mundo no dia 1º de maio, última terça-feira, marcou ainda mais a cidade de São Paulo. Ainda durante a madrugada, em um edifício no centro da cidade, um incêndio começou. As 146 famílias que viviam em condições precárias rapidamente deixam o local e para trás fica o pouco que conseguiram conquistar, móveis, eletrodomésticos, roupas, documentos e dinheiro. O fogo tomou conta e logo o prédio desabou.

Os 24 andares, em poucos segundos,  transformam-se em uma montanha de escombros. O prédio era ocupado por 372 pessoas, de 146 famílias, segundo o Corpo de Bombeiros. De acordo com a prefeitura, 320 pessoas foram cadastradas como desabrigadas após o desabamento e 40 delas buscaram atendimento na assistência social.

A Igreja Adventista de Campo Grande, da zona sul da capital paulista, realiza mensalmente uma arrecadação de alimentos em um hipermercado do bairro Interlagos e, graças a essa arrecadação sistemática, também conseguiu auxiliar com toneladas de alimentos os desabrigados. Essa foi uma das primeiras contribuições dos adventistas. Logo no início da noite, houve necessidade de voluntários para cooperar. E, mais uma vez, um grupo da Igreja Adventista foi acionado. Uma equipe composta de 13 jovens do projeto Missão Calebe, e que também fazem parte do projeto 1 Ano em Missão, seguiram na manhã desta quarta-feira, 2, para a sede da Cruz Vermelha. Até um chileno se uniu ao grupo e fez a diferença.

Nessa hora, o senso de solidariedade tomou conta do grupo. Na sede da Cruz Vermelha, os jovens voluntários colaboraram com a triagem das roupas que serão destinadas para as vítimas. Grande parte desses voluntários são membros de congregações atendidas pela sede administrativa da região central da capital.

Até o fechamento desta reportagem, o Corpo de Bombeiros ainda seguia procurando vítimas nos escombros, mas admitiu que é praticamente impossível a chance de se encontrar sobreviventes.

Veja imagens da ação na galeria abaixo:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox