Notícias Adventistas

Histórias de missionários voluntários são apresentadas em Fórum Universitário

O Fórum Online "I Will Go" foi promovido pela Igreja Adventista do Sétimo Dia no sul da Bahia

Por Evellin Fagundes 26 de abril de 2021

Gabriela e Victor contaram  suas experiências como missionários voluntários. Atualmente, são coordenadores de uma escola missionária em Rondônia. (Imagem: Reprodução)

“A gente tem muito essa ideia [equivocada] de que somente os profissionais de saúde podem ser úteis na missão”. Esse é um trecho do depoimento de Gabriela Braga, em entrevista ao vivo no Fórum Online Universitário I Will Go, que foi promovido pelo Ministério Universitário da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Sul da Bahia, liderado pelo pastor Jádison Encarnação. O fórum aconteceu nos dias 23 e 24 de abril e, através de informação e testemunhos, os internautas foram apresentados às inúmeras possibilidades de usar suas habilidades, profissão ou formação acadêmica para a missão.

Gabriela, por exemplo, é advogada, já foi missionária em Guiné-Bissau, que fica no lado oeste do continente africano; depois, foi para o Amazonas servir no projeto Salva-Vidas Amazonas e, atualmente, ela e o esposo coordenam uma Escola Missionária em Porto Velho – RO.

No fórum, outros testemunhos foram contados por mais cinco missionários voluntários que serviram ou ainda atuam no Brasil ou em outros países. Eles compartilharam suas experiências falando sobre os desafios, bênçãos e milagres que viveram.

Os detalhes das histórias impressionaram e inspiraram os internautas, que se expressavam através do bate-papo do Youtube. (Assista tudo aqui​”Esses testemunhos confirmam que meu senso de colocar minha profissão como uma missão está no caminho certo”, disse Gillandia Feitosa, que é psicóloga. Cristina Kelly também comentou determinada. ​”Estou concluindo a primeira graduação, ano que vem vou pra FADBA e quero usar tudo pra obra! Dinheiro nenhum paga as experiências que temos com Deus e o sentimento de ser instrumento para salvação!”

Através de informação e testemunhos, o fórum apresentou inúmeras possibilidades de usar habilidades, profissão ou formação acadêmica para a missão. Na foto, o pastor Jádison Encarnação, líder de jovens para o sul da Bahia. (Imagem: reprodução)

As histórias foram contadas em entrevistas ao pastor Leandro Lins, que é coordenador do Serviço Voluntário Adventista – SVA – para os estados da Bahia e Sergipe, e que também falou sobre sua experiência de missão no Quirguistão. No relato do pastor Yure Gramacho, que foi missionário na Mongólia por quase quatro anos, ele revelou que servir é transformador. “É uma mudança tão profunda que não importa o tempo que você fique no campo, o fato é que todos que vão não voltam os mesmos, no bom sentido. Missão, para mim, é o ar que o cristão deve respirar, é o que dá sentido a sermos filhos de Deus, é o que nos coloca diante da realidade do Reino”, disse Yure. E esse sentimento foi comum aos outros missionários que relataram suas histórias.

O coordenador do SVA para a Associação Geral, pastor Elbert Kunh, apresentou o panorama dos missionários ao redor do mundo. “O tema I Will Go nasceu no coração de jovens leigos com o único desejo de viver na prática aquilo que eles acreditavam na teoria. […]  Hoje temos quase 2.000 voluntários servindo em tempo integral ao redor do mundo. Temos voluntários servindo nos cinco continentes”, contou. Os voluntários atuam nas comunidades oferecendo diferentes serviços, mas alinhados ao mesmo objetivo. “O social é a porta de abertura, mas você precisa ter a essência espiritual, precisa ter o conhecimento do que Deus quer que nós façamos e sejamos. É necessário desmistificar a ideia de que ser voluntário é, às vezes, mais social. O voluntariado está centrado no espiritual”, explicou o pastor Elbert.

O pastor Joni Oliveira mostrou como funciona o site do SVA. Na imagem, o mapa com projetos que estão recrutando missionários voluntários. (Imagem: reprodução)

Mas, na prática, quais são os passos para se tornar um voluntário?
O pastor Joni Oliveira, coordenador desta área para a América do Sul, explicou, detalhadamente, uma das maneiras pelas quais uma pessoa interessada pode encontrar um projeto que esteja recrutando voluntários, mas, antes de tudo, sugeriu quatro reflexões:

  1.  Avalie suas motivações;
  2.  Avalie sua vida espiritual;
  3.  Quanto tempo tem disponível para dedicar à missão? Quais são as coisas que gosta de fazer e faz bem? O quanto está disposto a aprender (pagar o preço)? Quanto recurso tem/quanto irá economizar para investir? pra onde gostaria de ir?
  4.  Busque o seu chamado.

Ao final, ele apresentou o site https://sva.adventistas.org/pt/, e mostrou o passo a passo de como fazer o cadastro.

Em uma das meditações, o pastor Carlos Campitelli, líder de jovens para a América do Sul, falou sobre a importância dos jovens terem firmeza nos princípios cristãos. “A geração que não se curva é a geração que vai se levantar em fidelidade e em missão”, disse. Ele também comentou que as redes sociais podem ser ferramentas eficazes para alcançar pessoas. Os pastores Eduardo Batista, líder de jovens para a Bahia e Sergipe, Davi França, secretário executivo da igreja para esta mesma região e Murilo Andrade, presidente da igreja para o sul da Bahia, também participaram da programação.

Assista à programação completa abaixo:

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox