Notícias Adventistas

Advogada tem experiência de fidelidade com Deus em meio à pandemia

Num voto de fidelidade, Zélia Gomes ganhou dez causas sem necessidade de recurso e pôde vivenciar o poder de Deus ajudando sua comunidade.

Por Érica Tavares 6 de outubro de 2020

A advogada Zélia Gomes atua há mais de 20 anos na área previdenciária. (Foto: Acervo pessoal)

A história de Zélia Gomes, 55, com a Igreja Adventista do Sétimo Dia é longa. Iniciou-se quando ela tinha 12 anos de idade, em Manaus, Amazonas. Nessa época, ela conheceu a denominação por intermédio da namorada de seu irmão, que era adventista, e frequentou os cultos por certo período.

Leia também:

Mais de 30 anos depois, já vivendo na cidade de Bacabal, no Maranhão, a advogada teve outro contato com os adventistas ao conhecer a TV Novo Tempo, rede de televisão que pertence à Igreja. Ela tornou-se uma espectadora regular do canal. Com isso, também passou a contribuir com 10% de seus rendimentos para auxiliar no trabalho desenvolvido pela Igreja, por meio do projeto Anjos da Esperança.

De volta ao templo

Zélia tinha o desejo de assistir aos cultos no templo adventista, mas não conhecia ninguém que pertencesse à Igreja. Ao comentar casualmente com um amigo sobre esse desejo, ele lhe disse que tinha uma amiga adventista e logo as colocou em contato. Essa foi a oportunidade para que Zélia visitasse novamente uma congregação. “Eu me senti muito bem acolhida por todos. Eu os observava e admirava a simplicidade das pessoas. Passei a frequentar com assiduidade e senti vontade de me firmar e viver a fé que eu via em cada um”, relembra.

Ela menciona uma característica dos membros que achava curiosa e a deixava intrigada: a satisfação mesmo em meio à adversidade. “Ficava me perguntando como eles podiam ser tão felizes apesar das dificuldades que cada um tinha. Não via ninguém pedindo casa, carro ou coisas materiais. Eu os via agradecendo até pelas dificuldades e abraçados na promessa da vinda de Jesus. Comigo mesma, eu dizia: Quero viver isso!” Mas ainda não foi dessa vez que Zélia confirmou seu compromisso com Jesus.

Leia também:

Decisão e entrega

Por motivos pessoais, Zélia afastou-se da Igreja. Aos poucos, foi se tornando ausente dos cultos até que parou totalmente de frequentá-los. Entretanto, em seu coração permanecia um vazio, uma lacuna que lhe trazia muito incômodo. Sobre essa fase, ela conta que teve muitas decepções e sofrimento. “Angustiada, pedi a Deus que me ajudasse a tomar um novo rumo em minha vida e voltar a frequentar casa dEle.” Foi depois disso que a decisão de oficialmente tornar-se membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia foi tomada.

Zélia foi batizada junto com sua filha Maria Clara, de 12 anos, em setembro de 2020. (Foto: Acervo pessoal)

Durante a pandemia do novo coronavírus, Zélia perdeu sua mãe. O apoio e cuidado dos irmãos adventistas ratificaram a certeza de que deveria fazer parte dessa família. E então, em setembro de 2020, finalmente decidiu ser batizada.

Voto a Deus

Com a morte de sua mãe, Zélia se deu conta de como a vida é frágil e passageira. “Passei a ver que daqui nada levamos, a não ser algum vestuário. Tudo fica. A vida é um sopro que num piscar de olhos, acaba. Então, porque acumular coisas?” Esse sentimento despertou o desejo de fazer mais pelos outros e pela Igreja.

A congregação que Zélia frequenta ainda não era climatizada. Um dia, perguntou aos líderes se eles não tinham o desejo de climatizá-la. Eles responderam que este era um sonho e que estavam orando para que, no tempo de Deus, se realizasse. “Eu achei tão lindo a maneira como eles responderam. É admirável a fé, a paciência e a certeza da fidelidade de Deus. Conversei com Deus e disse: Por que eu não ajudaria? Um lugar onde encontrei tantas pessoas que, mesmo sem saber, me ensinaram as melhores coisas”, relembra a advogada.

Durante a pandemia, o trabalho de Zélia continuou. As teleaudiências permitiram o seguimento dos processos de seus clientes. (Foto: Acervo pessoal)

Zélia tinha motivos para agradecer, pois, mesmo com a pandemia, o trabalho em seu escritório de advocacia continuou gerando uma receita significativa. Ela conta que fez um voto de fidelidade a Deus. “Eu falei pra Deus que ia separar o valor de 10 causas administrativas que ganhasse, que não precisassem de recurso nas vias judiciais, e doaria o total para a compra dos aparelhos de ar condicionado da Igreja.” De acordo com a experiência de Zélia, não é comum que isso aconteça, ainda mais em tempos de crise. Mas ela foi surpreendentemente abençoada nesse período. Ganhou as 10 causas, sem necessidade de recursos. E assim, com sentimento de dever cumprido, pôde concluir o seu propósito. Os aparelhos condicionadores de ar já estão disponíveis para instalação no templo.

Compromisso de Fidelidade

Ao falar sobre o princípio de fidelidade em sua vida, Zélia considera que diante do poder de Deus, é muito pouco o que o ser humano pode fazer, mas de grande valor para a causa de Deus. “A fidelidade a Deus é loucura para o mundo materialista, onde as pessoas buscam somente satisfação própria. Tudo o que fizermos é o mínimo. Ele não precisa, pelo contrário, nós que precisamos dEle”, conclui.

Se da mesma forma de Zélia, você também tem o desejo de conhecer uma congregação Adventista do Sétimo Dia, acesse o site Encontre uma Igreja e localize uma perto de você.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox