Notícias Adventistas

Liderança

Associação Ministerial completa um século de apoio a pastores e membros

Ao longo dos últimos 100 anos, o departamento tem ampliado seus objetivos e metodologias em prol do desenvolvimento da liderança da Igreja


  • Compartilhar:
Em fala aos delegados da Comissão Diretiva Plenária, o pastor Lucas Alves lembrou os destaques dos primeiros 100 anos da Associação Ministerial (Foto: Gustavo Leighton)

Há 100 anos, a Igreja Adventista do Sétimo Dia tinha um desafio diante de si. Ela precisava acompanhar mais diretamente os seus pastores e elaborar estratégias para o desenvolvimento destes, tanto no âmbito pessoal quanto no que diz respeito ao seu ministério. Foi então que, em 26 de maio de 1922, nasceu a Associação Ministerial, para atender a essa demanda.

Leia também:

Naquele ano, o pastor Arthur G. Daniells foi eleito como o primeiro secretário ministerial, após servir por 21 anos como presidente da Associação Geral (a mais alta instância administrativa da denominação, com abrangência mundial). No fim da década de 1920, todos os escritórios administrativos da Igreja Adventista já contavam com alguém ocupando esse cargo. Aqui na América do Sul, o primeiro a assumi-lo foi o então secretário da denominação no território, pastor J. W. Westphal, eleito em 29 de março de 1924.

Desde sua criação, a Associação Ministerial passou por fases de estruturação, desenvolvimento reflexão e especialização. Ao longo desse período, seus objetivos e metodologias foram se expandindo e aprimorando. Diversos livros, manuais e periódicos foram publicados para servir aos seus propósitos, como a revista Ministry (Ministério), por exemplo, que existe ainda hoje.

Reavivamento e missão

Atualmente, a Associação Ministerial é responsável pelo acompanhamento de pastores e suas famílias, diáconos e diaconisas, anciãos, alunos de Teologia e pastores jubilados. Em sua fala durante as reuniões da Comissão Diretiva Plenária da Igreja na América do Sul neste domingo (15), o secretário ministerial para o território, pastor Lucas Alves, enfatizou que a Associação está comprometida com o “desenvolvimento integral desta liderança, ou seja, o seu crescimento em diversas áreas. O nosso trabalho visa o reavivamento destes líderes, para que nunca desviem o seu foco da missão”.

Apoio ao ancionato

No vocabulário adventista, o ancião é um membro escolhido para atuar lado a lado com o pastor na liderança da igreja local. Dada a relevância deste papel no contexto geral da denominação, o ancionato foi votado, em 2021, como uma das ênfases da Igreja para o quinquênio. Isto significa que muitos esforços seriam (e vêm sendo, de fato) dedicados ao seu desenvolvimento.

Ao falar sobre o tema durante a Comissão Diretiva, o secretário associado da Associação Ministerial no território sul-americano, pastor Josué Espinoza, reforçou: “Nós inspiramos, orientamos e entregamos ferramentas para que os anciãos desempenhem cada vez melhor o seu trabalho. Nós apoiamos as iniciativas locais em favor deles, como o pastoreio, a educação contínua e projetos de capacitação”, declara.

Em sua avaliação dos resultados destas iniciativas, o pastor Josué afirma que há “progressos notórios em distintas áreas, como crescimento espiritual, liderança e administração da igreja. Hoje temos anciãos melhor preparados para cumprir o seu ministério”.


Você também pode receber esse e outros conteúdos diretamente no seu dispositivo. Assine nosso canal no Telegram ou cadastre seu número via WhatsApp.

Quer conhecer mais sobre a Bíblia ou estudá-la com alguém? Clique aqui e comece agora mesmo.