Notícias Adventistas

Presidente do STJ participa de Simpósio de Liberdade Religiosa em MS

O ministro pontuou conceitos que garantem a Liberdade Religiosa por meio da constituição

Por Jefferson Braun 15 de junho de 2021

 

Líder dos jovens Adventistas do MS, Pr. Leandro Alencar (esquerda), em debate com o Presidente do STJ, Ministro Humberto Martins (direita).

 

A preservação da liberdade religiosa é, no plano teórico e prático, um ponto fundamental. De suma importância não somente para a garantia de um direito humano básico em todas as comunidades, culturas, povos e estados, como também por constituir elemento agregador da sociedade. Assim como a liberdade religiosa agrega, a intolerância religiosa causa separação e pode, por si só ou conjugada a outros fatores nocivos, gerar danos imensuráveis e irreversíveis, além de promover o caos, divergências e estimular o desprezo e a violência como já nos ensinaram vários períodos degradantes da história.

Debates sobre o assunto se tornaram um hábito saudável no ambiente universitário e social, além de trazer o que há de mais novo sobre as atuais percepções sobre o tema. Os chamados “simpósios” têm como objetivo principal desenvolver no espectador/ouvinte o senso crítico sobre o assunto.

Em Mato Grosso do Sul, a Igreja Adventista do Sétimo Dia se empenhou em trazer o assunto para a comunidade universitária. Realizado pelo Ministério Jovem da Associação Sul-Mato-Grossense em parceria com o Fórum de Liberdade Religiosa do MS (Forlir), o simpósio on-line “Expressões da Intolerância, Livre Consciência e Identidade na Crise”, contou com a presença de diversas autoridades da área do Direito, entre eles o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, que também é membro da Igreja Adventista.

Leia também:

Presidente do STJ discursou sobre a liberdade jurídica no âmbito da constituição brasileira.

Segundo o ministro, a liberdade religiosa é um direito constitucional e, portanto, deve ser protegido pelo Estado. “Qualquer abordagem sobre o tema da Liberdade Religiosa sob a ótica do Direito deve sempre partir de pressuposto em que se trata de um direito humano fundamental, cabendo ao estado não só o dever de respeitar, mas também o de protegê-lo contra as violações indevidas, além de promover as condições necessárias ao seu amplo exercício”, explica.

O ministro ressaltou ainda a importância que o tema tem na vida do cristão. “A Liberdade Religiosa é a direção para que todos nós possamos caminhar juntos e, ao mesmo tempo, de forma individual na busca do encontro com Cristo através da fé, do amor e da esperança”, afirma.

O evento on-line teve como principal objetivo discutir o tema com universitários adventistas e acadêmicos de outras religiões, é o que explica o diretor de Jovens Adventistas para o território sul-mato-grossense, pastor Leandro Alencar. “A gente acredita que com as informações compartilhadas no simpósio os nossos jovens permanecerão atentos e informados para defender a sua fé e acima de tudo, acreditamos que a partir desse evento eles possam se expressar com mais liberdade defendendo aquilo que eles creem”, pontua.

A transmissão teve uma média de 400 pontos conectados simultaneamente e alcançou mais de mil visualizações no YouTube.

 

 

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox