Notícias Adventistas

Liberdade Religiosa oficializa fórum em BH

A iniciativa faz parte das ações do Dia da Liberdade Religiosa, celebrado em 4 de maio, pela Igreja Adventista, no território da União Sudeste Brasileira (USeB)

Por Renata Paes 21 de maio de 2019

 

O 3º Encontro de Liberdade Religiosa contou com a presença de membros de outras denominações (Foto: Arquivo Pessoal)

O artigo 5º, inciso VI, da Constituição Federal Brasileira de 1988, estabelece como inviolável a liberdade de consciência e de crença, ao assegurar o livre exercício religioso e de culto. Por isso, a Igreja Adventista na região Central de Minas Gerais (Associação Mineral Central) oficializou o Fórum de Liberdade Religiosa (Forlir). Este fórum se trata de um grupo de líderes de diversas Igrejas Adventistas, que se reúne para dialogar sobre religião e como se aproximar das autoridades. A iniciativa faz parte das ações do Dia da Liberdade Religiosa, celebrado em 4 de maio, pela Igreja Adventista, no território da União Sudeste Brasileira (USeB). O Forlir será coordenado pelo doutor Alessandro Victor, junto com o líder de de Assuntos Públicos e Liberdade Religiosa da AMC, prof. Ozéias Batista.

Após a oficialização do Fórum de Liberdade Religiosa, ocorreu ainda o 3º Encontro de Liberdade Religiosa. Esta edição contou pela primeira vez com a presença de membros de outras denominações, como judeus e mórmons. A programação, sediada na Capela do Colégio Adventista de Belo Horizonte (Cabh), recebeu cerca de 70 participantes, entre eles educadores e líderes de igreja. O tema desta ano foi “Liberdade Religiosa para Todos”.

Prof. Ozéias Batista ressaltou a importância de realizar a programação dentro do Cabh. “Nós trabalhamos dentro da rede adventista com alunos de diversas religiões e precisamos ter uma abordagem correta. Temos que propagar a mensagem sem agredir as crenças do outro”.

Ele lembra que ao reunir pessoas empenhadas na defesa daquilo que creem, é possível realizar mudanças na sociedade e na educação, a exemplo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), antes aplicado aos sábados e atualmente em dois domingos.

Outro ponto positivo, que resultou da luta por liberdade religiosa, foi a lei nº 13.796, sancionada pelo presidente da república, Jair Bolsonaro, no início de janeiro de 2019. Ela resguarda diante da justiça, os estudantes da rede pública e privada, de se ausentarem em provas ou aulas por motivos religiosos.

“Essa lei que foi promulgada veio da luta não só da nossa igreja mas de todas aquelas que têm o sábado como dia de guarda. Quando falamos de liberdade religiosa, estamos tratando de liberdade para todos”, ressaltou Ozéias.

O Encontro recebeu o líder de Assuntos Públicos e Liberdade Religiosa da USeB, pastor Eder Leal e o presidente da Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania (ABLIRC), Dr. Samuel Luz, o Dr. Marcelo Miranda Guimarães, fundador e presidente do Museu da Inquisição de Belo Horizonte e  da Associação Brasileira dos descendentes de Judeus Vítimas da Inquisição (ABRADJIN ) e  a doutora Patrícia Sarmento, diretora de Liberdade Religiosa da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox