Notícias Adventistas

Encontro amplia diálogo sobre Liberdade Religiosa na Bahia

O objetivo é ampliar e fortalecer o diálogo.

Feira de Santana, BA …[ASN] No último domingo (11), aconteceu no município de Paulo Afonso, a 470 km da capital Salvador, o primeiro encontro de Liberdade Religiosa na região, que reuniu líderes adventistas e autoridades locais na Câmara de Vereadores da cidade.

O pastor Hélio Carnassale, diretor de Liberdade Religiosa para oito países da Americana do Sul, iniciou sua participação apresentando um panorama bíblico da LR. Mostrando que no coração da missão do Messias está o desejo de dar liberdade ao ser humano. Quando Cristo pede para dar cuidado aos oprimidos, pobres, viúvas e órfãos. A missão de Cristo foi inclusiva e por isso, como igreja, devemos agir assim. “Nesse ponto é onde esse encontro nos coloca em contato com a sociedade para mostrarmos quem somos, o que pensamos e como podemos contribuir para esse tema”, afirmou.

É pauta da LR promover encontros com outras denominações religiosas para através de um diálogo assertivo ampliar e fortalecer o pensamento de liberdade religiosa para trabalhar em defesa do bem-estar de outras pessoas. Carnassale destacou que a relação com outras denominações é estritamente relacionada com assuntos de LR. Nada tem haver com assuntos doutrinários. Desta maneira é importante conscientizar a igreja para que, não haja, um entendimento equivocado sobre esse tema.

O Brasil é o país com maior número de Adventistas no mundo seguido pela Índia. Ao apresentar o panorama mundial, o pastor Hélio ressaltou que o tema está ligado a assuntos escatológicos. O instituto de pesquisa de liberdade religiosa mais respeitado no mundo Pew Research Center, mostra que dos 198 países pesquisados, 50 apresentam altos níveis de intolerância religiosa por parte dos governos. Toda a região situada na janela 10/40 é formada por países onde o governo não é laico. Cerca de 5,8 bilhões de pessoas, o equivalente a 75% da população mundial, vivem em países que apresentam alta restrição governamental e impõem o pensamento do Estado.

O quadro atual mostra que ocorreu um aumento nas hostilidades sociais. Embora como adventistas tenhamos um corpo de doutrinas distinto é importante respeitarmos o pensamento religioso do outro. A Igreja Adventista acredita que todos têm o direito de escolha.

A Comissão de Combate a Intolerância Religiosa da OAB-BA atua para garantir o direito ao cidadão.

Maíra Vida, Conselheira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA) e Presidente da Comissão de Combate a Intolerância Religiosa, foi convidada para orientar os adventistas sobre o impacto da intolerância religiosa na sociedade e no respeito a todas as confissões. Integrou o diálogo apresentando a finalidade da Comissão de Combate a Intolerância Religiosa da OAB, que é um desdobramento da Comissão de Direitos Humanos. Segunda Vida, o objetivo dessa comissão é garantir ao cidadão o direito do exercício da fé. Na Bahia há casos de crime de intolerância religiosa promovido inclusive por cristãos, principalmente contra religiões de matriz africana. “Todos temos direito a sermos iguais quando a diferença nos inferioriza e todos temos direitos de sermos diferentes quando a igualdade nos descaracteriza”, conclui.

Para Heron Santana, diretor Liberdade Religiosa para Bahia e Sergipe, até certo momento a maneira de abordar o assunto foi reativa. Hoje a igreja assume a postura de promover essa pauta num relacionamento institucional. Sugeriu então algumas ideias práticas para promover esse diálogo. Através da coerência com a missão de Cristo, promover relações institucionais, agendar visitas a parlamentares municipais e estaduais, incentivar a implantação nos municípios do Dia de Defesa de Liberdade Religiosa, promover encontro de pessoas públicas, usar a mídia para ampliar o diálogo e envolver estudantes e universitários no diálogo. Essas são algumas das ênfases para ampliar o diálogo e a visão sobre o tema. O objetivo desses encontros é através de uma ação conjunta ampliar o diálogo para fortalecer o direito e minimizar as violências relacionadas a esse tema, encerra.

Compondo a caravana de Liberdade Religiosa Jádison Encarnação, diretor Liberdade Religiosa para região central da Bahia, Weber Thomas presidente da Igreja Adventista na Bahia Central e pastores locais. [Equipe ASN, Roberto Alves]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox