Notícias Adventistas

Tataraneto de Ellen White desafia a leitura de livros proféticos

Parente da escritora adventista Ellen White fala sobre suas experiências com os escritos da tataravó e a influência que isso teve em seu ministério.

5 de outubro de 2015
Torossian só se deu conta do que significava o parentesco ilustre quando tinha 17 anos de idade

Torossian só se deu conta do que significava o parentesco ilustre quando tinha 17 anos de idade

Brasília, Brasil…[ASN] No marco do centenário da morte de Ellen White, são desenvolvidas ações efetivas em 2015, em diversas partes do mundo, organizadas pelo White Estate (órgão da Igreja Adventista mundial). A sede sul-americana adventista (Divisão Sul-Americana) lançou uma série de vídeo com o objetivo de dar a conhecer a vida, família, pessoa e ministério da escritora. Nesse propósito e para fortalecer essa iniciativa, a Agência Adventista Sul-Americana de Notícias entrevistou, pela primeira vez, um dos parentes de Ellen White, o pastor Justin Torossian, que é seu tataraneto.

ASN: Fale um pouco de seu parentesco com Ellen White.

Pastor Justin Torossian: Tiago e Ellen eram meus tataravôs. De seus dois filhos sobreviventes, Willie foi o único que teve filhos, porém, ele teve o suficiente para ambos! A primeira de seus sete filhos foi Ella (Robinson). Ella teve três filhos, e minha avó, Gladys Kubrock, era a mais nova. Depois de se casar com meu avô, Daniel, eles tiveram seis filhos, sendo um deles minha mãe, Edee. Então meus pais me tiveram.

ASN: Que tipo de influência você recebeu de sua mãe da vida de Ellen G. White, a escritora?

Pastor Torossian: Na minha infância, vivi a 10 minutos da Estrada de Elmahaven, a última casa de Ellen White. Por meus pais morarem ali e atuarem como guias turísticos, minha imagem de Ellen White foi a de uma vizinha compassiva e de uma mãe amorosa. Embora eu tivesse crescido sabendo que éramos parentes de alguém que Deus havia usado de forma miraculosa, eu realmente não me dei conta disso até quase os dezessete anos. Foi então, depois de minha reconversão, em uma série de evangelismo, que voltei para Elmshaven e senti, pela primeira vez, que eu estava pisando em solo sagrado. Foi aí que eu realmente comecei a mergulhar em seus livros e a ser abençoado pelas mensagens de Deus a nós por meio dela.

ASN: Como pastor, que livro de Ellen G. White mais influenciou sua vida e ministério?

Pastor Torossian: Caminho a Cristo. Eu o relia a cada ano, como parte de minhas devoções (apenas uma página por dia, e são necessários quatro a cinco meses para a conclusão da leitura!). Além dele, uma compilação chamada Obreiros Evangélicos tem sido uma bênção. É um livro que deve ser lido por todos os interessados!

ASN: Da vida e história de Ellen G. White, o que mais lhe chamou a atenção ou exerceu influência sobre você?

Pastor Torossian: Há muitas histórias da vida de Ellen White que demonstram sua forte fé, fidelidade para com o dever e amor pelo pobre. Embora Mr. Faulkhead and the Secret Sign” (Sr. Faulkhead e o sinal secreto) seja uma de minhas favoritas, gostaria de contar a história que minha bisavó, Ella, escreveu em seu livro* que nos dá melhor compreensão de sua personalidade e criatividade. Quando Willie era bebê, a irmã do Tiago, Anna, vivia com eles e ajudava no trabalho do escritório. A tia Anna amava segurar e acariciar o Willie, mas ela tinha tuberculose! Como a Ellen poderia tirar o Willie dos braços cunhada sem lhe ferir os sentimentos? Então, ela teve uma ideia! Aproximando-se mais e mais da Anna e do bebê, ela estendeu a mão e deu um leve beliscão no bebê, apenas o suficiente para que ele começasse a chorar. “Hmm, ele deve estar querendo a mãe!”, a Ellen disse. “Sim, eu creio que sim”, a Anna respondeu, entregando-o à Ellen. Essa artimanha foi repetida muitas vezes, mas a Anna nunca percebeu. Essa história não apenas mostra a criatividade de Ellen White, mas também seu coração compassivo. A maioria das mães nessa situação não iria hesitar em dizer à cunhada: “Por favor, não segure meu bebê, você irá lhe transmitir a doença!” Mas o coração sensível da Ellen considerou os sentimentos da Anna e encontrou uma forma de resolver o problema sem arriscar lhe ferir os sentimentos. Essa é uma das muitas histórias que demonstram que, embora tivesse sido instruída por Deus para transmitir mensagens que, às vezes, eram difíceis de serem transmitidas e difíceis de serem ouvidas, Ellen White era semelhante a Jesus – ela sempre o fazia com amor e compaixão.

Ela era uma pessoa agradável, tinha senso de humor e amava as pessoas. Uma das muitas pessoas jovens que viveram com os Whites, enquanto criança, foi a Sra. H. E. Rogers, com ternas lembranças ao relembrar que “ela tinha muito interesse em nossas brincadeiras de criança. À noite, ela nos contava histórias e orava conosco, e então nos mandava para cama. Uma vez por semana, ela nos deixava ter uma briga de travesseiros. Ela era afetuosa e humana.”

Quando compreendemos que uma das profetisas de deus era apenas uma pessoa, isso nos ajuda a termos melhor compreensão de Suas mensagens por intermédio dela.

ASN: Como sua vida de pastor é afetada por se tataraneto de Ellen White?

Pastor Torossian: Considero um privilégio ser descendente biológico dos Whites. Mas se há algo que desejo que as pessoas se lembrem dessa entrevista é isto: No livro Parábolas de Jesus, p. 139, ela diz: “Cristo não reconhecia virtude na estirpe. Ensinava que a ligação espiritual supera a natural.” De acordo com o próprio Jesus (João 8:39-40), bem como com Ellen White, é isso o que tem maior valor. Então, embora eu seja grato pelo parentesco biológico em os White, sou ainda mais grato por ter um parentesco espiritual com eles! E esse é um privilégio que todos podemos ter, não importa em que família biológica nós nascemos.

ASN: Atualmente, onde o senhor está servindo?

Pastor Torossian: Estou ajudando em uma igreja local, de hispanos, em Michigan, nos Estados Unidos, enquanto trabalho em meu Mestrado em Teologia, na Andrews University. Depois da graduação, em 1º de maio de 2016, pela graça de Deus, estarei voltando para o centro da Califórnia, para ali servir como pastor de um distrito com duas igrejas.

ASN: Qual é o seu conselho aos leitores dos livros de Ellen White?

Pastor Torossian: Creio que tenho um desafio e um conselho. Meu desafio a você é: Una-se a mim no compromisso de ler, pelo menos, dois livros de Ellen White a cada ano, começando agora até a volta do Senhor. E ao fazê-lo, meu conselho é que você peça a Deus para que lhe fale por meio desses escritos. Lembre-se sempre de que as mensagens dadas por meio de um profeta são apenas isto – mensagens de Deus. Embora as palavras tenham sido escritas por Ellen White, as mensagens são divinas, vindas do próprio Deus. E assim como o propósito e o âmago de toda a Escritura é Jesus (João 5:39), igualmente Ele é o propósito e o centro dos escritos de Ellen White. É por isso que o dom de profecia é chamado de “o testemunho de Jesus” (Apocalipse 19:10)! Ao você ler as mensagens de Deus a nós na Bíblia e nos escritos de Ellen White, peça a Deus para fazer mais do que informar sua mente. Peça-Lhe para transformar seu coração. Ao aplicarmos o que aprendemos pelo fortalecimento do Espírito Santo, Ele operará uma mudança duradoura em nós! Uma transformação que nos levará à Eternidade. [Equipe ASN, Cárolyn Azo e Felipe Lemos]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox