Notícias Adventistas

Presidente de Uganda propõe a abolição de exames no sábado

Ted N. C. Wilson fez um apelo pessoal durante uma visita à residência oficial do chefe de Estado

27 de fevereiro de 2018

Por Andrew McChesney, da Adventist Mission

Wilson (esquerda) e Museveni durante encontro realizado na residência oficial do presidente do país (Foto: Príncipe Bahati / ECD)

Respondendo a um apelo do presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia para abolir os exames no sábado, o líder de Uganda anunciou que tomaria medidas para acomodar as convicções dos alunos adventistas, e também dos cristãos que guardam o domingo, e dos muçulmanos.

O presidente do país, Yoweri Museveni, tuitou o anúncio no dia 17 de fevereiro, um dia depois de receber Wilson em uma visita oficial que se tornou um estudo bíblico na residência do chefe de Estado, em Entebbe, fora da capital, Kampala.

“Agradeço ao pastor Wilson por visitar Uganda”, escreveu Museveni no Twitter. “Felicito os membros da comunidade adventista do sétimo dia em Uganda por sua disciplina. Consideraremos a solicitação da Igreja sobre nossas instituições educacionais não realizarem exames no sábado”.

Ele acrescentou: “Também consideraremos os interesses de outras denominações cristãs que precisam ser liberadas de exames escolares nos domingos e também para a comunidade muçulmana nas sextas-feiras”.

A mídia ugandense interpretou as palavras de Museveni como um acordo fechado. “O presidente Museveni concorda com a solicitação da Igreja Adventista do Sétimo Dia de cancelar os exames escolares no sábado”, dizia o título do website do canal de televisão NTV.

Os líderes da Igreja Adventista local aplaudiram o acontecimento surpreendente. “Isso é emocionante! Muitas pessoas têm sofrido”, afirma Daniel Matte, presidente da Igreja Adventista em Uganda, cujo filho teve que repetir por três anos o curso de Agricultura na universidade estadual porque os exames eram realizados no sábado.

Calorosas boas-vindas

Museveni, usando uniforme militar verde e botas pretas, deixou de lado a formalidade que normalmente domina as visitas de convidados estrangeiros para dar calorosas boas-vindas a Wilson, sua esposa Nancy; Matte; Ruguri; e uma delegação de líderes de outros países da Divisão Africana Centro-Oriental da Igreja.

Sorrindo e brincando, o presidente de 73 anos cumprimentou cada membro da delegação e perguntou de onde eram. Ele conversou com muitos dos presentes em suas próprias línguas.

Museveni perguntou sobre a origem da Igreja Adventista e Wilson apresentou uma breve história, iniciando com a Reforma Protestante. Museveni entendeu o fato de que os adventistas observam o sábado, diferentemente de outras denominações que surgiram da Reforma e perguntou sobre a “matemática” de contar os dias da semana.

Elogiando a pergunta, Wilson esclareceu que o sábado há muito tempo era entendido como sendo o sétimo dia e que apenas mais recentemente algumas pessoas começaram a ver o domingo como o sétimo dia.

Museveni pediu mais informações.

Wilson falou sobre a bênção de Deus para o sétimo dia no fim da semana da Criação, em Gênesis 2:2-3 e disse que Jesus guardou o sétimo dia, o sábado. Ele incentivou Museveni a estudar mais sobre o assunto.

A conversa mudou para o trabalho da Igreja em Uganda e o presidente mundial da denominação expressou gratidão pelo apoio do governo à liberdade religiosa. Depois disso, ele fez um apelo pessoal para que os alunos adventistas fossem autorizados a remarcar os exames do sábado nas escolas públicas.

“Graciosamente, o presidente indicou que isso não deveria ser um problema. Há outros dias que podem ser usados para os exames”, destacou Wilson. “Estamos muito agradecidos por esse gesto de acomodação da observância do sábado para os exames dos alunos e anelamos por seu cumprimento.”

Leitura de Miquéias

Ele ofereceu ao presidente uma caneta na qual estavam gravados o nome e o emblema da Igreja Adventista do Sétimo Dia e sugeriu que Museveni a usasse para assinar documentos importantes ou marcar os versos na Bíblia.

Presidente de Uganda (esquerda) exibe um exemplar do livro Caminho a Cristo, de Ellen G. White (Foto: Príncipe Bahati / ECD)

Wilson também presenteou Museveni com uma Bíblia em couro, com o livro Caminho a Cristo, de Ellen White, e com um livreto intitulado Help in Daily Living (Ajuda para o Viver Diário), contendo capítulos-chave do livro A Ciência do Bom Viver, de Ellen White. Ele incentivou o chefe de Estado a ler o Caminho a Cristo, dizendo que os 13 capítulos poderiam ser facilmente lidos em uma tarde ou entre os compromissos.

Familiaridade

Os presentes descreveram a reunião, com duração de uma hora, como um culto ímpar que quebrou o protocolo usual ao substituir discursos políticos por uma conversa amigável e espiritual.

Museveni está familiarizado com a Igreja Adventista. Quando criança, ele foi alfabetizado em uma escola adventista na cidade de Kyamate, uma nota de rodapé autobiográfica que ele enfatizou tanto na reunião quanto durante um breve discurso a milhares de pessoas que estavam assistindo ao culto sabático conduzido por Wilson no dia 17 de fevereiro, no Solo da Independência Kololo de Kampala.

Museveni também doou fundos para projetos adventistas, incluindo um centro comunitário na cidade ocidental de Kasese, e falou com admiração sobre os esforços adventistas para melhorar o bem-estar de suas comunidades.

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox