Notícias Adventistas

Morre ex-líder adventista pastor Ruy Nagel

Pastor adventista jubilado foi presidente da Divisão Sul-Americana entre 1995 e 2006.

1 de maio de 2015
Nagel esteve na administração sul-americana da Igreja entre 1980 e 2006

Nagel esteve na administração sul-americana da Igreja por vários anos como tesoureiro e presidente

Brasília, DF … [ASN] O ex-presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia para oito países sul-americanos (Divisão Sul-Americana), pastor Ruy Nagel, faleceu, aos 75 anos, aos 30 minutos desta sexta-feira, dia 1o de maio, em Porto-Alegre, Rio Grande do Sul. Segundo apurou com familiares a Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN), o motivo da morte foi infarto de miocárdio. Nagel estava em casa quando teve um mal súbito e foi hospitalizado. O enterro está marcado para as 15 horas de hoje no Crematório Metropolitano São José, na capital gaúcha. Nagel, desde sua aposentadoria em dezembro de 2007, era membro da Igreja Adventista da Floresta.

Leia também:

Pastor Ruy Nagel fala aos pastores do escritório da igreja adventista no leste do RS

Ruy Nagel nasceu no dia 27 de setembro de 1939 na cidade gaúcha de Jaguari e era filho de Arthur e Ida Heinrich Nagel. Casou-se em 19 de dezembro de 1961 com Evelin, que foi por muitos anos líder de Ministério da Mulher da Igreja Adventista para oito países sul-americanos. O casal não tinha filhos.

Nagel foi aluno do Instituto Adventista Cruzeiro do Sul (IACS), localizado em Taquara, no Rio Grande do Sul, e estudou Teologia no antigo Instituto Adventista de Ensino (IAE) onde se formou em 1961. Iniciou seu ministério em 1962 como pastor distrital no território atendido hoje pela Associação Sul Riograndense e sua ordenação ao ministério ocorreu em 28 de janeiro de 1967.

Trabalhou principalmente como diretor financeiro (Tesouraria) na Associação Sul Riograndense (Rio Grande do Sul), Associação Brasil Central (Goiás e DF), União Norte Brasileira, Hospital Adventista Silvestre (Rio de Janeiro) e, em junho de 1980, tornou-se diretor financeiro da Divisão Sul-Americana, com sede em Brasília.

Entre 1980 e 1995 serviu na área de Tesouraria da Igreja para oito países sul-americanos até ser nomeado, em agosto de 1995, como presidente da Divisão Sul-Americana. Foi substituído posteriormente pelo atual presidente da Divisão, pastor Erton Köhler, que assumiu em 2006.

Líder seguro, dedicado e conselheiro

O pastor aposentado Marino de Oliveira, que serviu por muitos anos na área financeira da Igreja e foi tesoureiro da Divisão Sul-Americana, comenta que Nagel foi um líder dedicado e que vivia intensamente a administração da Igreja Adventista. “Tinha um foco bem claro na missão e na valorização das pessoas. Ou seja, pessoas certas nos lugares certos”, lembra.

O atual tesoureiro da Divisão Sul-Americana, pastor Marlon Lopes, afirma que Nagel foi um grande conselheiro nessa área, era uma pessoa muito segura e orientava com precisão sempre seus liderados. Lopes recorda que Nagel administrou a Igreja em um período de grande instabilidade econômica dos países sul-americanos e que, mesmo assim, a denominação manteve um crescimento satisfatório no período. O Brasil é um exemplo claro disso, pois, antes da estabilização da moeda em 1994, viveu períodos de intensa inflação de preços e desajustes das finanças. “O pastor Nagel não teve medo de tomar decisões até impopulares nesse quesito para manter a Igreja com uma situação sólida”, ressalta o atual tesoureiro.

O vice-presidente da Divisão, pastor Almir Marroni, que também trabalhou junto com Nagel por muitos anos, acrescenta que o ex-presidente era firme em suas convicções, mas, ao mesmo tempo, mostrava-se bastante fraterno.

O pastor Erton Köhler, que o substituiu como presidente, disse que “são muitas as lembranças que ficam. Por isso estou certo de que ele descansa no Senhor, mas suas obras e seu exemplo de vida permanecerão vivos e influenciam aqueles que continuam com esta missão. Ele cumpriu fiel e dignamente a missão que recebeu do Senhor. Hoje tenho o privilégio de construir sobre muitas das bases que ele deixou e a visão de seriedade e compromisso com a missão que ele tão persistentemente consolidou. Sua obra foi tão forte que vai além de seus dias”. [Equipe ASN, Felipe Lemos, com colaboração de Andréia Silva]

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox