Notícias Adventistas

Liderança adventista inicia debate sobre revisão da formação teológica

Um profundo estudo para revisar a formação teológica adventista começou nessa semana e terá mais três encontros nesse ano.

17 de março de 2016
Há um crescimento no número de formandos em Teologia na América do Sul, porém diminui a quantidade de chamados para a obra pastoral.

Há um crescimento no número de formandos em Teologia na América do Sul, porém diminui a quantidade de chamados para a obra pastoral.

Brasília, DF … [ASN] Os rumos de uma revisão da formação teológica adventista começaram a ser definidos nesta semana na sede sul-americana da Igreja, em Brasília. Nesta terça e quarta-feira, dias 15 e 16, um grupo de teólogos e administradores de oito países sul-americanos deu início aos debates sobre alterações que vão desde o ingresso de estudantes até o conteúdo das disciplinas oferecidas nos nove seminários existentes no Brasil, Argentina, Chile, Peru, Bolívia e Equador. Há outros três encontros marcados até o final do ano. O estudo não tem por objetivo fazer qualquer ajuste na teologia adventista. A intenção é a de fortalecer e aprofundar a identidade adventista nas novas gerações de pastores.

Leia também:

Não se trata de uma mudança pequena, pois a estrutura de formação teológica tem números expressivos na região. Dados de 2014 indicam que 2.483 alunos ingressaram para estudar Teologia, contra 2.022 de 2010, ano da comparação. O número de formandos, por outro lado, foi de 425 nas instituições sul-americanas contra 300 em 2010. Já a quantidade total de pastores adventistas em atividade atualmente é de mais de 4.591, um salto considerável se a comparação for com o ano de 2010, quando o número chegava a 3.639 no território administrado pela Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

É necessário salientar, no entanto, que o número de teólogos formados que são chamados para a obra pastoral está diminuindo anualmente. Em 2012, eram 291, caindo para 289 em 2013 e, em 2014, foi de 277. Ou seja, enquanto cresce o número de formandos há, ao mesmo tempo, redução na capacidade de absorção desse grupo na obra adventista.

Cinco áreas

O pastor Erton Köhler, líder geral sul-americano, frisou que a Igreja está preocupada em alinhar mais a formação teológica com o cenário religioso atual da sociedade geral em que se questiona cada vez mais as instituições. A ideia é que a formação teológica adventista esteja mais em harmonia com o conceito de integração de esforços e, principalmente, com a identidade da organização. “Precisamos fortalecer, dentro da sala de aula e pela postura dos que lideram a Igreja, que temos um conceito de integração e pautamos nossa caminhada com visão teológica e sustentação pastoral alinhada com nossa identidade”, comentou.

O pastor Bruno Raso, vice-presidente responsável pela área do Seminário Latinoamericano de Teologia (SALT), destacou que o objetivo dos encontros é reavaliar a formação teológica em virtude, por exemplo, da própria forma como os membros hoje enxergam a própria Igreja e se comunicam. “Nós temos de pensar, por exemplo, como os pastores precisam agir em uma sociedade com forte uso da tecnologia. Quais são as oportunidades e os riscos diante disso?”, afirma.

Cinco áreas serão alvo de debates e posteriormente definições para o processo de revisão mais amplo: perfil e seleção do aluno da Teologia, currículo acadêmico, prática pastoral, perfil e seleção do professor de Teologia e a própria estrutura administrativa do SALT.

Primeiras discussões

O pastor Adolfo Suárez, reitor do SALT e um dos organizadores da primeira de quatro reuniões que ocorrerão durante o ano para tratar do tema, informa que os rumos apontados pelo grupo de estudos serão transformados em recomendações a serem votadas, no mês de novembro, durante o Concílio Anual da Divisão Sul-Americana.

Nos primeiros dois dias de conversas, alguns pontos levantados pelos participantes chamaram a atenção. Entre eles estão aspectos como a necessidade de uma maior ênfase em critérios para verificar se um candidato a aluno do curso está devidamente ciente do aspecto vocacional e missionário, avaliação psicossocial dos candidatos, estratégias para se criar um maior envolvimento e a definição das competências necessárias ao pastor da atualidade. Além disso, um dos caminhos encontrados é que o programa de formação teológica seja adaptado ao modelo de competências. [Equipe ASN, Felipe Lemos]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox