Notícias Adventistas

Igreja explica como funciona a disciplina eclesiástica

Disciplina eclesiástica tem propósitos bem definidos e está fundamentada na Bíblia e nos escritos de Ellen White. Secretário-executivo tira dúvidas.

Por Felipe Lemos 26 de março de 2019

O processo disciplinar de membros e líderes, em geral, é levado a sério pela Igreja Adventista do Sétimo Dia desde seus primórdios. Como conceito essencial, a organização toma como referência textos, inclusive citados por Jesus. No evangelho de Mateus, no capítulo 18, especificamente dos versículos 15 a 20, dentro da comunidade cristã, Jesus explica a forma como as pessoas que erram deveriam ser tratadas.

Na coletânea intitulada Testemunhos Seletos, volume 3, uma das pioneiras adventistas, a escritora Ellen White, afirma que “à igreja foi conferido o poder de agir em lugar de Cristo. É a agência de Deus para a conservação da ordem e disciplina entre Seu povo. A ela o Senhor delegou poderes para dirimir todas as questões concernentes à sua prosperidade, pureza e ordem”.

Para esclarecer as principais dúvidas sobre o tema da disciplina eclesiástica (que envolve o voto de censura e a remoção), a Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN) conversou com o secretário-executivo da sede sul-americana adventista, pastor Edward Heidinger.

O que a Igreja Adventista prevê em relação à disciplina eclesiástica em nível de congregação local? Para que serve e de que forma deve ser aplicada?

O Manual da Igreja contém as orientações oficiais da Igreja Adventista do Sétimo Dia em nível mundial que orientam a vida da igreja local. O capítulo 7 trata em detalhes do tema da disciplina eclesiástica. A disciplina eclesiástica serve basicamente para duas coisas: manter a pureza, integridade e fervor espiritual da igreja como corpo de Cristo e ajudar o membro que cometeu um pecado grave no seu processo de restauração espiritual. A disciplina deve ser aplicada com amor, respeito e imparcialidade e redimir o membro envolvido.

Infográfico mostra como funciona na prática o processo:

Fluxo é baseado no que fala o Manual da Igreja. (Arte: Antônio Abreu)

E quanto a procedimentos administrativos no caso de faltas de pastores, sejam de igrejas locais ou da área administrativa, há regulamentação disso também?

O livro Regulamentos Eclesiástico-Administrativos da Divisão Sul-Americana é o manual operativo desta Divisão e rege o funcionamento dela como organização, o que inclui o relacionado ao serviço dos seus obreiros. Na parte denominada letra E 12 S, são apresentadas as orientações a serem seguidas no caso de faltas dos pastores de qualquer área de serviço. A disciplina administrativa pode envolver quatro áreas da vida do pastor: sua licença ou credencial, sua ordenação (se for pastor ordenado), seu vínculo de serviço denominacional e sua condição de membro de igreja.

Infográfico sobre fluxo em relação a servidores:

No caso de pastores, servidores e liderança em geral, a referência para entender o fluxo é o material conhecido como Regulamentos Eclesiástico-Administrativos. (Arte: Antônio Abreu)

Explique um pouco como as decisões administrativas, de várias naturezas, são tomadas pela liderança da Igreja Adventista. Há muitas comissões, certo? Como é esse processo?

As organizações e instituições adventistas não são administradas por uma pessoa só. A equipe administrativa composta por duas ou três pessoas é a responsável direta pelas decisões que deverão ser tomadas em prol do avanço da obra. O diálogo administrativo é fundamental neste processo. Depois da análise das informações e das consultas necessárias, chega-se a um consenso administrativo que só poderá ser executado se tiver o aval do corpo decisório que é a correspondente Comissão Diretiva ou Comissão Auxiliar, formada por mais pessoas.

Uma palavra, também, a respeito da responsabilidade que pastores e líderes possuem nos diferentes níveis da igreja. O modelo de governo da organização adventista é diferente de outras organizações, certo?

O modelo de governo adventista é representativo, no qual os membros de igreja delegam autoridade aos delegados que os representam na assembleia da organização (Missão, Associação, União, etc,). Estes, por sua vez, delegam autoridade à correspondente Comissão Diretiva para dirigir os assuntos dessa organização no intervalo entre as assembleias. Com isso, os líderes escolhidos possuem a responsabilidade de administrar uma organização com base nas decisões da Comissão Diretiva e devem prestar contas a ela. Por outro lado, na Igreja Adventista todos os líderes são eleitos para um período determinado. No final deste período, a igreja avalia sua continuidade ou não na função.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox